quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Abrasus visita Hospital Nossa Senhora da Conceição

A Associação Brasileira em Defesa dos Usuários de Sistemas de Saúde (Abrasus) visitou o Hospital Nossa Senhora da Conceição na manhã de quarta-feira, 28. A preocupação da entidade é com a reforma na emergência do local, que tem previsão de término dentro de 9 meses.


Acompanhados da coordenadora do setor, a médica Juliana Sommer, os integrantes da Abrasus visitaram a emergência fazendo o mesmo trajeto que os pacientes costumam fazer: a chegada a recepção, a triagem, atendimento nos consultórios e demais instalações.

De acordo com a coordenadora, o planejamento para reforma começou após uma vistoria da vigilância sanitária da Secretaria Municipal de Saúde, no início deste ano e também pelo desgaste natural da estrutura devido ao fluxo intenso de pessoas.


A obra, que deveria começar em janeiro de 2013 foi antecipada devido ao rompimento da tubulação de esgoto, em 8 de outubro, e que não pode ser resolvido pela equipe de engenharia do hospital.

Conforme a médica, a reforma só será realizada em razão de o Grupo Hospital Conceição integrar o programa federal SOS Emergências, que destina R$ 39,6 milhões, anualmente, a 11 hospitais do país. A reforma da emergência, que tem três salas, ocorrerá em etapas. A primeira fase contemplará as áreas verde, laranja e vermelha, destinada a atendimentos de baixa, média e alta complexidade. A segunda fase contemplará uma área intermediária entre as salas e a terceira finalizará com a reforma da sala de entrada da emergência.

Questionada sobre a remoção de pacientes para outras alas e como isso afetaria o atendimento, a coordenadora da emergência respondeu que a obra não prejudicará as consultas. “Os pacientes serão realocados, mas não teremos impacto no atendimento”, garantiu.

Leitos de retaguarda

A presidente da Abrasus, Terezinha Alves Borges, elogiou o encaminhamento de pacientes do hospital para os leitos de retaguarda disponibilizados no Hospital Universitário, em Canoas. A instituição foi contemplada pelo programa SOS Emergência com a abertura de 100 leitos de retaguarda, sendo que 25 foram inaugurados em julho deste ano. O Hospital Conceição oferece transporte duas vezes ao dia para os familiares, que podem visitar os pacientes.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Farmácia do Estado fecha para inventário na sexta-feira, no Centro da Capital

Usuários que ainda não fizeram a retirada de medicamentos podem comparecer ao local até quinta-feira

Fonte: Site Correio do Povo - 26 de novembro de 2012.

A Farmácia de Medicamentos Especiais do Estado, em Porto Alegre, localizada na esquina entre a avenida Borges de Medeiros e a rua Riachuelo, volta a fechar ao público na sexta-feira, dia 30 de novembro. Como ocorre sempre uma vez por mês, o expediente na unidade é interno para a realização de inventário de estoque, atendendo a uma determinação da Contadoria e Auditoria Geral do Estado (Cage).

Usuários que ainda não fizeram a retirada dos medicamentos em novembro podem comparecer ao local até a quinta-feira. A farmácia atende de segunda a sexta-feira, com atendimento das 7 às 17h, sem fechar ao meio-dia.

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Abrasus acompanha votação do orçamento para 2013

A Associação Brasileira em Defesa dos Usuários de Sistemas de Saúde (Abrasus) esteve presente na Assembleia Legislativa durante a votação e aprovação da proposta orçamentária do governo estadual para 2013, na quinta-feira, 22.


A Comissão de Finanças, Planejamento, Fiscalização e Controle aprovou por unanimidade a proposta orçamentária, na qual consta o valor que será destinado à saúde no próximo ano. Após passar por esta primeira etapa, agora o projeto segue para o Plenário, onde receberá o parecer definitivo ao ser sancionado pelo governador até 30 de novembro.

A Abrasus, assim como outras entidades integrantes do Movimento Saúde, Rio Grande, aguardava a decisão para saber se será cumprida a Lei 141/12, que determina a aplicação de 12% da receita corrente líquida em ações e serviços públicos de saúde.


A principal luta das entidades que integram o Movimento Saúde, Rio Grande, mobilização em prol do cumprimento da Lei, se refere à destinação do percentual especificamente a ações de saúde. “O primeiro passo foi dado, mas estamos aguardando com cautela a votação no plenário. Será uma nova batalha”, ressaltou a presidente da Abrasus, Terezinha Alves Borges.

Abrasus visita Hospital Parque Belém

A Associação Brasileira em Defesa dos Usuários de Sistemas de Saúde (Abrasus) esteve na manhã desta sexta-feira, 23, no Hospital Parque Belém, para conhecer a estrutura do local.


A presidente Terezinha Alves Borges, a conselheira Neci Cardoso Bastos, a associada Eleine Ruiz e o associado Ailton Rogério Kulenkamp foram recebidos pelo presidente da instituição, Luiz Augusto Pereira, que apresentou o hospital. Segundo ele, o Hospital Parque Belém foi fundado em 1934 para atender especificamente pacientes com tuberculose. Em 1975, após uma reformulação, o local passou a ser um hospital geral e sempre manteve caráter filantrópico.


A entidade conta com 100 leitos exclusivos para atendimento psiquiátrico e 100 leitos para procedimentos de alta complexidade nas áreas de traumatologia, neurologia e ortopedia. A estrutura física do hospital é de 15 mil m² de área construída e 155 hectares de propriedade.

Equipamentos ociosos preocupam o presidente. De acordo com ele, um tomógrafo, aparelho que permite melhor qualidade de imagem com menor dose de radiação, adquirido este ano, não está sendo utilizado por falta de pacientes. Apesar da capacidade para realizar 1,2 mil procedimentos por mês, estão sendo feitos entre 300 e 400 exames apenas. O aparelho usado anteriormente levava, em média, 45 minutos para realizar imagens abdominais, por exemplo. Já o atual, leva apenas 4 segundos, otimizando o tempo de profissionais e pacientes. 


A presidente da Abrasus elogiou a gestão e estrutura do Hospital Parque Belém, mas manifestou sua preocupação com a ociosidade de equipamentos que poderiam estar à disposição da população. “A falta de uso destes aparelhos prejudica aquelas pessoas que estão há anos em filas para realização de exames”, lamentou.

Na ocasião, as integrantes da Abrasus convidaram o presidente do hospital para participar de eventos que serão promovidos pela entidade.

Reforma da Emergência do Hospital de Clínicas começa dia 1° de dezembro

Atendimento na unidade começa a ser restrito a partir da próxima segunda-feira

Fonte: Site Correio do Povo - 23 de novembro de 2012.

A reforma do setor de Emergência do Hospital de Clínicas (HCPA) de Porto Alegre vai ocorrer entre 1º e 12 de dezembro. O cronograma de obras foi confirmado na manhã desta sexta-feira. Os trabalhos estavam previstos para começar na última segunda-feira, mas foram adiados em função da ameaça de greve no Grupo Hospitalar Conceição, a pedido do secretário municipal de Saúde, Carlos Henrique Casartelli.
 
A partir da próxima segunda-feira, 26 de novembro, pacientes que se encontram em atendimento começarão a ser transferidos para unidades de internação do próprio Hospital de Clínicas e para outras instituições. A área da Emergência deverá estar vazia até o dia 1º, quando iniciam as obras. A reforma vai readequar o espaço física e vai e exigir o desligamento total do sistema de ar-condicionado, para limpeza dos dutos.

O conjunto de melhorias atende a normas internacionais de qualidade e segurança e inclui a remodelação dos consultórios, a reorganização da área para triagem - com mais privacidade para os pacientes - e a construção de novos boxes para estabilização de doentes graves.

Durante a reforma, apenas os pacientes que chegarem em situação grave, com risco de morte, serão atendidos no box de urgência. Por isso, a Administração do HCPA solicita à população de Porto Alegre e cidades da região Metropolitana que, no período, procure atendimento em outros estabelecimentos de saúde.

Lei assegura primeiro tratamento a paciente com câncer

SUS deve atender paciente em até 60 dias após diagnóstico

Fonte: Site correio do Povo - 23 de novembro de 2012.

A presidente Dilma Rousseff sancionou a lei que oferece o primeiro tratamento gratuito, no Sistema Único de Saúde, ao paciente com câncer. Ele terá direito ao tratamento no prazo de até 60 dias a partir da data do diagnóstico, ou em prazo menor, conforme a necessidade terapêutica.

Os pacientes com manifestações dolorosas da doença terão tratamento privilegiado quanto ao acesso às prescrições e medicamentos. A lei entrará em vigor em 180 dias. O texto foi publicado nesta sexta-feira no Diário Oficial da União.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Abrasus promove palestra com o tema: “A Automedicação”

A Associação Brasileira em Defesa dos Usuários de Sistemas de Saúde (Abrasus) promove no dia 05 de dezembro (quarta-feira) palestra com o tema “A Automedicação”, que será ministrada pelo Dr. Alberto Maia.

A palestra será realizada às 14 horas na sede da ABRASUS, na Rua dos Andradas, 1560, sala 1704, Bairro Centro.

O evento, com capacidade de 40 vagas, é aberto a todos os interessados, que devem confirmar presença pelo telefone 3062-8007.

A ABRASUS solicita a colaboração do público na doação de um pacote de fraldas geriátricas, tamanho G ou GG, em prol do Lar Santo Antônio dos Excepcionais (OPCIONAL).

Emergências do GHC devem atender somente casos graves a partir de quarta

Greve dos servidores vai afetar cirurgias eletivas e consultas em quatro hospitais, na UPA e em 12 postos

Fonte: Site Correio do Povo - 20 de novembro de 2012. 

Devido à greve dos servidores, a partir de quarta-feira, apenas casos graves devem ser atendidos nas emergências das instituições ligadas ao Grupo Hospitalar Conceição (GHC). O Sindicato dos Profissionais de Enfermagem, Técnicos, Duchistas, Massagistas e Empregados em Hospitais e Casas de Saúde do Rio Grande do Sul (Sindisaúde-RS) esteve reunido com funcionários dos hospitais Conceição, da Criança Conceição, Cristo Redentor e Fêmina, da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Moacyr Scliar e das 12 unidades básicas administradas pelo grupo para tratar do caso.

O diretor de Formação Sindical do Sindisaúde-RS, Gilnei Borges, afirmou que a expectativa é de adesão expressiva entre os 7 mil trabalhadores. Dessa forma, os casos de menor gravidade serão encaminhados para outros hospitais ou postos. Serviços como cirurgias eletivas e consultas médicas também serão afetados, já que dependem do apoio de técnicos, advertiu Borges.

O diretor do Sindisaúde-RS garantiu que 30% do efetivo será mantido para atender os pacientes, conforme prevê a lei. Ele admite que o prejuízo à população deve ser significativo, mas garante que intenção da categoria não era fazer greve, dizendo que a medida foi necessária para chamar a atenção da direção do GHC para as reivindicações.

Os trabalhadores do GHC pedem isonomia de benefícios com médicos e dentistas, que fizeram acordo com os empregadores. Conforme Borges, a solicitação é para que sejam concedidos vale-alimentação, adicional por tempo de serviço, prêmio-férias e licença-prêmio, como foi feito para as duas categorias neste ano.

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Hospital de Clínicas confirma adiamento de reforma e não tem nova data definida

Possibilidade de greve de serviores do Grupo Hospitalar Conceição motivou pedido da Secretaria da Saúde

Fonte: Site Zero Hora - 16 de novembro de 2012.

O Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) confirmou, na manhã desta sexta-feira, o adiamento da reforma na emergência em decorrência do indicativo de greve no Grupo Hospitalar Conceição (GHC). A administração do Clínicas atendeu ao pedido do secretário municipal de Saúde, Carlos Henrique Casartelli, que alertou sobre a possibilidade de uma desordem no serviço da Capital.

De acordo com a assessoria de imprensa do HCPA, a obra prevista para iniciar na próxima segunda-feira e encerrar no dia 4 de dezembro está em suspenso. A administração do hospital deve se reunir nos próximos dias, de acordo com o andamento da paralisação no GHC, para definir uma nova data.

Casartelli conversou informalmente, por telefone, com a direção do Clínicas sinalizando sobre o adiamento do trabalho. Ele deve encaminhar um ofício formalizando o acordo, que estava previamente acertado.

A prefeitura de Porto Alegre ainda estuda recorrer à Justiça caso a paralisação do GHC afete o atendimento à população: se não for mantido 30% do serviço previsto em lei ou, mesmo que o percentual seja correspondido, a greve cause prejuízos à comunidade. Segundo Casartelli, os dois casos serão monitorados pelo governo municipal.

De acordo com o diretor-técnico do GHC, Neio Lúcio Pereira, o grupo questiona os motivos da greve dos funcionários — negociação de gratificações, férias-prêmio e vale-alimentação. A paralisação pode iniciar na próxima quarta-feira.

— Não vamos deixar haver desassistência à população. Vamos tentar garantir o atendimento — afirma Pereira.

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Servidores do GHC paralisam atividades na próxima semana

Atendimento será realizado por 30% dos funcionários em quatro unidades hospitalares

Fonte: Site Correio do Povo - 13 de setembro de 2012.

Os servidores do Grupo Hospitalar Conceição (GHC) vão paralisar as atividades a partir da próximo dia 21 de novembro por tempo indeterminado. A decisão foi tomada em assembleia realizada na tarde desta terça feira, que reuniu cerca de dois mil funcionários. A paralisação atingirá o Hospital Conceição, o Hospital Cristo Redentor, o Hospital Fêmina e o Hospital da Criança Conceição. Neste período, a atendimento será realizado por 30% dos funcionários, conforme determina a legislação.

O movimento atingirá todos os trabalhadores da área da saúde, menos médicos e dentistas, que já firmaram um acordo salarial. Nessa segunda-feira, a direção do GHC apresentou uma proposta que não foi aceita foi pelos servidores.

O presidente da Associação dos Servidores do Grupo Hospital Conceição, Arlindo Nelson Ritter, afirmou que a paralisação é em repúdio à posição da diretoria de não negociar e não apresentar uma proposta adequada aos pedidos da categoria.

SAÚDE OCULAR: Ministério da Saúde credencia serviços privados ao SUS

Cadastro tem objetivo de formar rede de prestadores de serviços privados e públicos para aumentar a capacidade e qualificar o atendimento no projeto Olhar Brasil

Fonte: Site Ministério da Saúde - 13 de novembro de 2012.

O Ministério da Saúde está ampliando e qualificando a assistência oferecida pelo projeto Olhar Brasil. Uma das medidas será a contratação de estabelecimentos de saúde privados e públicos para atender mais de quatro milhões de consultas e exames oftalmológicos. Com a formação de um cadastro nacional de estabelecimentos de saúde - públicos e privados -pretende-se aumentar a capacidade instalada de atendimento e reduzir as filas de espera.A inscrição dos serviços deve ser feito na internet pelo link que consta no Edital, publicado no dia 1º de novembro no Diário Oficial da União. O cadastro ficará disponível em um site para consulta dos gestores responsáveis pela contratação dos serviços.

O edital é uma das ações do projeto Olhar Brasil, que foi redefinido recentemente por meio de portaria interministerial (Ministério da Saúde e Ministério da Educação) e da portaria nº 1.229, de 01 de novembro de 2012, do Ministério da Saúde. Os serviços cadastrados irão contribuir para o atendimento de cerca de 10,5 milhões de crianças, jovens e adultos matriculados na rede pública e inseridos nos programas Saúde na Escola (PSE) e Brasil Alfabetizado (PBA) até 2014.

O novo projeto Olhar Brasil prevê, além de oferecer tratamento oftalmológico integral, o reajuste de valores dos procedimentos na tabela do SUS, a identificação de problemas de visão de estudantes de escolas públicas. No período de 2008 a 2011 foram realizadas 483 mil consultas oftalmológicas, apesar de a demanda ser ainda maior. “Nossa meta é ampliar em até nove vezes a quantidade de consultas. A grande mudança no projeto Olhar Brasil é a ampliação da oferta de consultas especializadas e exames de diagnóstico, sobretudo pelas clínicas privadas”, afirma o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. Ele adianta que está sendo estudada a possibilidade de adotar essa mesma estratégia para atender outras especialidades, como doenças cardiovasculares e câncer.

De acordo com Padilha a estratégia é ampliar fortemente o número de consultas a serem oferecidas. “As secretarias municipais de saúde afirmam, e, com razão, que a maior dificuldade de oferecer consulta oftalmológica aos alunos do PSE e PBA é fixar o oftalmologista na localidade”, explica o ministro. Na sua avaliação, o cadastro vem para ajudar nesta questão. “Entre as vantagens do cadastro, está que o profissional estruturado em clínica particular é remunerado pelo número de procedimentos entregues, e não por número de horas trabalhadas. Outra vantagem é que pela escala apresentada de pacientes a serem atendidos pode atrair mais fortemente o número de clínicas e de oftalmologistas que venham prestar serviço para aqueles municípios”, destaca Padilha.

Dentro dos próximos anos, o Ministério da Saúde estima realizar, via projeto Olhar Brasil, 4,7 milhões de consultas, 871% a mais que no primeiro período do projeto, entre 2008 e 2012 (até agosto), quando foram feitas 483.898. O ministério também estima entregar 2,2 milhões óculos, 780% a mais que nos últimos quatro anos, com 258.261 óculos.

INCENTIVOS - Os estados e municípios receberão recursos a mais para realizar todas as etapas do projeto. Para realização das consultas serão investidos cerca de R$ 100 milhões. Esses valores se somam ao financiamento do restante da assistência, como fornecimento de óculos, tratamento de doenças oculares, além do tratamento da refração, abrangendo aproximadamente 20 procedimentos, como biometria ultrassônica, mapeamento da retina com gráfico e retinografia colorida. Parte desses procedimentos terá reajuste na tabela do SUS, que irão variar entre 36,6% a 63,20%, para o atendimento no projeto Olhar Brasil.

O valor pago pela consulta terá aumento de 47%, passando de R$ 14,29 para R$ 21. “Estamos criando uma tabela SUS específica para atender esse público definido, por se tratar de parte da população com menor condição de acesso ao atendimento especializado e a óculos, principalmente os que vivem em regiões mais pobres”, destaca o ministro Alexandre Padilha.

O edital para cadastramento traz um conjunto de normas que devem ser cumpridas pelos estabelecimentos de saúde, como normas da Vigilância Sanitária. Após a realização do cadastro e a partir do momento que passar a atender pelo projeto Olhar Brasil, o serviço terá que preencher um sistema de informação do Ministério da Saúde. Trata-se de medida de controle sobre o procedimento da consulta. Os serviços cadastrados e habilitados pelo Ministério da Saúde poderão ter seus serviços contratados diretamente pelo gestor local (estado e município) que estiver inserido no projeto. Para fazer parte do Olhar Brasil, o gestor deve aderir ao projeto por meio de solicitação ao Ministério da Saúde.

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Cartões SUS poderão ser fornecidos pelos planos de Saúde

A medida irá facilitar o ressarcimento das operadoras ao SUS pelo atendimento de seus usuários na rede pública

Fonte: Site Ministério da Saúde - 07 de novembro de 2012.

As operadoras de planos de saúde vão poder fornecer o número do Cartão Nacional de Saúde (CNS),aos beneficiários que ainda não possuem o registro. A medida, anunciada na terça-feira (6) pelo Ministério da Saúde e pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), tem como principal objetivo facilitar o ressarcimento das operadoras ao Sistema Único de Saúde (SUS). Pela lei, os planos devem fazer o reembolso quando seus usuários recebem tratamento no SUS. Em 2011, o Ministério da Saúde recebeu um recorde de ressarcimento, R$ 82,8 milhões.

Com a iniciativa, as operadoras terão acesso ao Sistema de cadastramento de Usuários do SUS (CadSUS) na internet, que permite a geração do CNS. Com isso, as operadoras poderão consultar se seus beneficiários já possuem registro, além de fazer alterações de dados de beneficiários e fornecer números para a emissão de novos cartões. Pela Resolução Normativa 295, da ANS, as operadoras têm até o dia 6 de junho de 2013 para cadastrarem os usuários não identificados e informar os números dos cartões do SUS.

Para o cidadão, a identificação via Cartão SUS vai possibilitar o registro eletrônico de saúde nas bases de dados dos hospitais públicos e privados. Além disso, o registro será feito nos planos de saúde, contribuindo para a continuidade qualificada da assistência recebida.

 “Além de facilitar o acesso ao cartão - já que o cidadão não precisará mais ir a uma unidade de saúde para obter número - a iniciativa irá acelerar o processo de devolução dos recursos ao SUS”, observa o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. Segundo ele, várias medidas adotadas pelo Ministério da Saúde resultaram em um aumento significativo desse ressarcimento, de R$ 15,42 milhões - em 2010 - para R$ 82,8 milhões, em 2011. “Com o número do cartão haverá mais facilidade em identificar o usuário”, afirmou o ministro.

A ferramenta foi desenvolvida pela equipe do DataSUSe aANS ficará responsável pela distribuição dos usuários e das senhas para as 1.586 operadoras cadastradas.  As operadoras poderão consultar se seus beneficiários já possuem registro no cartão, além de fazer alterações de dados de beneficiários e emitir novos cartões.

Atualmente, existem no Brasil cerca de 48 milhões de usuários de planos de saúde. A medida deverá beneficiar cerca de 17 milhões de usuários que não foram contemplados pela entrega dos 31 milhões de registros, em maio deste ano, e os futuros usuários de planos de saúde.

RESSARCIMENTO - Os atendimentos realizados na rede pública de saúde geram um conjunto de Autorização de Internação Hospitalar (AIH) trimestral. As AIH são enviadas para a ANS que faz a comparação com seu cadastro de beneficiários. Os atendimentos de beneficiários de plano de saúde, realizados na rede pública, geram uma cobrança, por parte da ANS, para as operadoras. Os pagamentos efetuados para à Agência são repassados ao Fundo Nacional de Saúde (FNS).

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

ABRASUS participa de Fórum Temático

Representantes da Associação Brasileira em Defesa dos Usuários de Sistemas de Saúde (ABRASUS), estiveram no dia (1º) participando do Fórum Temático no Plenarinho da Assembleia Legislativa. Diversos assuntos foram abordados, entre eles o mercado de trabalho feminino, a inserção de movimentos sociais nas redes ampliando o número de participantes em sua defesa, formas de planejar cidades sustentáveis e a saúde atual.



A presidente da ABRASUS, Terezinha Alves Borges, falou sobre o descaso do governo com a saúde. Segundo Terezinha mais de 70% da população utiliza o Sistema Único de Saúde (SUS), o que preocupa a Associação, é o grande número de pacientes a espera de solução para as suas enfermidades. Como exemplo a presidente citou as consultas, medicamentos, exames e a realização de cirurgias.  

   

A Associação fará parte do Fórum que ocorrerá em janeiro.   
                 

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Abrasus promove palestra sobre Saúde e Diretos Humanos

A Associação Brasileira em Defesa dos Usuários de Sistemas de Saúde (Abrasus) promoveu na tarde de quarta-feira, 31, em sua sede, uma palestra com o tema Saúde e Direitos Humanos. As convidadas, a vice-presidente do Sindicato Médico do RS (SIMERS), Maria Rita de Assis Brasil, e a Promotora de Justiça Marinês Assmann debateram sobre o tema.


A aplicação de 12% da arrecadação de impostos na saúde, conforme regulamentado na Lei número 141, de janeiro de 2012, foi a bandeira defendida pela promotora, lembrando que o Governo Estadual anunciou para o orçamento o investimento de apenas 8,5%. De acordo com Marinês, as despesas com o IPERGS, Brigada Militar e Polícia Civil, regime próprio de previdência e transferências a instituições privadas não devem ser considerados para atingir a marca de 12%. “Estas despesas não devem ser admitidas e consideradas como saúde pública”, advertiu.


Com foco no atendimento no Sistema Único de Saúde (SUS), a vice-presidente do SIMERS informou aos presentes que entre 1993 e 2011, o Estado registrou a queda de cerca de 35%, ou seja, 12.340 leitos, sendo que no mesmo período, a população do Estado aumentou em torno de 14%. De acordo com Maria Rita, as consequências da precariedade do atendimento acontece devido a falta de financiamento na área, falta de investimento por parte da União e dos Estados, terceirizações, cidades pequenas sem condições e estrutura e grandes cidades sobrecarregadas. “Com isso, somam-se mortes evitáveis, agravamento na saúde dos pacientes e demanda reprimida, ou seja, pessoas sem acesso ao atendimento”, concluiu.  


Postagens Populares

Vídeos da Abrasus

Loading...

3º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2012

Abaixo, fotos do 3º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2012.



PALESTRA "TUBERCULOSE, CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS"

PALESTRA "TUBERCULOSE, CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS"

PALESTRA "FRATERNIDADE E SAÚDE PÚBLICA"

PALESTRA "FRATERNIDADE E SAÚDE PÚBLICA"

2º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2011

Abaixo, fotos do 2º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2011.

PALESTRA "CÂNCER DE MAMA: PREVENÇÃO, TRATAMENTOS E DEPOIMENTOS"

PALESTRA "CÂNCER DE MAMA: PREVENÇÃO, TRATAMENTOS E DEPOIMENTOS"

PALESTRA "FRAGILIDADE NA TERCEIRA IDADE"

PALESTRA "FRAGILIDADE NA TERCEIRA IDADE"

PALESTRA “DIABETE E SEXUALIDADE”

PALESTRA “DIABETE E SEXUALIDADE”
Evento realizado em 27 de outubro de 2011.

PALESTRA "CENTROS DE REFERÊNCIAS PARA DOENÇAS REUMATOLÓGICAS NO SISTEMA PÚBLICO"

PALESTRA "CENTROS DE REFERÊNCIAS PARA DOENÇAS REUMATOLÓGICAS NO SISTEMA PÚBLICO"
Evento realizado em 28 de setembro de 2011.

PALESTRA “HEPATITES”

PALESTRA “HEPATITES”
Evento realizado em 17 de junho de 2011.

Palestra "A Importância do Exercício Físico Para a Qualidade de Vida"

Palestra "A Importância do Exercício Físico Para a Qualidade de Vida"
Evento realizado em 7 de abril de 2011.

1º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2009-2010

Abaixo, fotos do 1º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2009-2010.

Palestra ABRASUS - O que "É" e O que "FAZ"

Palestra ABRASUS - O que "É" e O que "FAZ"
Último evento do 1º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2009-2010, realizado em 25 de novembro de 2010.

Palestra "Atribuições da Defensoria Pública da União"

Palestra "Atribuições da Defensoria Pública da União"
Evento realizado em 30 de setembro de 2010.

Palestra "Fumo: As Razões da Abstinência"

Palestra "Fumo: As Razões da Abstinência"
Evento realizado em 5 de agosto de 2010.

Palestra "Proteja-se Contra o Câncer"

Palestra "Proteja-se Contra o Câncer"
Evento realizado em 27 de maio de 2010.

Palestra "Assistência à Saúde Mental Pelo SUS"

Palestra "Assistência à Saúde Mental Pelo SUS"
Evento realizado em 25 de março de 2010.

Palestra "Cuidadores de Idosos"

Palestra "Cuidadores de Idosos"
Evento realizado em 19 de novembro de 2009.

Mais Eventos

Abaixo, fotos de outros eventos realizados pela Abrasus e eventos que contaram com a participação da Entidade.

ABRASUS em nova sede

ABRASUS em nova sede
Evento realizado em 25 de maio de 2009.

Iara Trovão - Presidente à época - apresentando a Associação.

Entrevista com o Vereador Reginaldo Pujol.

Entrevista com Ivo Fortes - Conselheiro Suplente da ABRASUS.

ABRASUS vai a Natal - RN em dez/2008

ABRASUS vai a Natal - RN em dez/2008
Reunião com Associações congêneres no Hospital Psquiátrico Prof. Severino Lopes.

Iara Trovão - Presidente à época - apresentando a Abrasus.

Público que prestigiou o evento.

Dra. Rosane Rempel apresentando o Jurídico da Abrasus.

Presidente do Sindisaúde de Natal comentando sobre o evento.