sexta-feira, 29 de junho de 2012

Novo exame de sangue detecta precocemente risco de morte após cirurgias

Mais de 1 milhão de pessoas morrem em até 30 dias depois de realizar procedimentos cirúrgicos

Fonte: Site Zero Hora - 29 de junho de 2012.

O Instituto de Ensino e Pesquisa do HCor — Hospital do Coração, de São Paulo, em parceria com a MCMaster University, do Canadá, desenvolveu um estudo internacional, em larga escala, capaz de apontar riscos cardíacos em pacientes após cirurgias não cardíacas.

A primeira análise do estudo Vision envolveu cerca de 15 mil pacientes acima de 45 anos, de 13 países como Brasil, Canadá, Colômbia, China, Índia, Malásia, Peru, Polônia, África do Sul, EUA, Inglaterra e Espanha, e mais de dois mil pacientes divididos entre o Hospital do Coração, em São Paulo, e Hospital de Clínicas, em Porto Alegre.

Com um simples exame de sangue realizado nas primeiras horas após o procedimento cirúrgico é possível verificar o nível de troponina-T (TnT) do paciente, um biomarcador liberado pelo músculo cardíaco que aponta estresse sofrido pelo coração, que pode ocorrer após anestesias em cirurgias de grande porte. Assim, é possível identificar pacientes em risco de morte e dar início precoce aos tratamentos, reduzindo a mortalidade nas primeiras semanas após a cirurgia.

Segundo o responsável pelo IEP HCor e coordenador do estudo Vision no país, Otávio Berwanger, cerca de 200 milhões de pessoas no mundo fazem cirurgias não cardíacas, como procedimentos ortopédicos, retirada de tumores e até cirurgias plásticas. Deste total, mais de 1 milhão morrem em até 30 dias depois dos procedimentos.

— A identificação precoce dos pacientes com maior risco poderá permitir a redução de mortalidade do infarto durante as cirurgias não cardíacas e isso beneficiará milhões de pacientes no mundo — diz Berwanger.

As complicações cardíacas costumam acontecer desde as primeiras horas após o procedimento cirúrgico até 30 dias depois. Graças ao estudo Vision, 25% dos pacientes que eram considerados de baixo risco para complicações foram reclassificados como alto risco.

— Esse estudo muda a forma como os médicos devem cuidar de seus pacientes logo após uma cirurgia não cardíaca, identificando rapidamente os cuidados adicionais e intensivos para a sobrevida — argumenta o médico.

O estudo Vision faz parte dos projetos de filantropia do HCor em parceria com o Ministério da Saúde à serviço do Sistema Único de Saúde (Programa Proadi — Hospitais de Excelência à serviço do SUS). Os resultados foram publicados no Journal of the American Medical Association.

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Planos de saúde terão aumento de 7,9%

O consumidor terá que preparar o bolso, pois o índice ficou bem acima da inflação do período, que pelo INPC atingiu 4,86% nos últimos 12 meses

Fonte: Site Zero Hora - 28 de junho de 2012.

Os consumidores que têm plano de saúde individual devem preparar o bolso, pois saiu o índice anual de reajuste que supera a inflação do período. Com atraso de quase dois meses, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) divulgou hoje o índice máximo de 7,93% para o reajuste anual dos planos de saúde individuais, que atinge cerca de 8 milhões de contratos.

Para a Proteste Associação de Consumidores, o consumidor cuja data de reajuste anual é maio será penalizado porque terá que pagar a mensalidade acrescida dos valores retroativos até setembro. Desde 2001 a ANS adota a mesma sistemática para definir o reajuste.

O consumidor terá que preparar o bolso, pois o índice ficou bem acima da inflação do período, que pelo INPC atingiu 4,86% nos últimos 12 meses. O reajuste atinge 17% de quem tem plano de saúde. No ano passado o índice havia ficado em 7,69%, mas com a entrada de novo rol de procedimentos com atendimentos antes não cobertos, as operadoras pleiteavam índice bem maior para este ano.

O índice de reajuste autorizado pela ANS pode ser aplicado somente a partir da data de aniversário de cada contrato, com a permissão de cobrança do valor retroativo caso a defasagem seja de no máximo quatro meses.

terça-feira, 26 de junho de 2012

Superlotação atinge pelo menos quatro emergências de hospitais da Capital

Em duas delas, no Hospital de Clínicas e no São Lucas da PUCRS, o número é três vezes maior do que a capacidade

Fonte: Site Zero Hora - 26 de junho de 2012.

Pelo menos quatro emergências de hospitais da Capital funcionam com superlotação nesta terça-feira. O caso mais grave é no Hospital de Clínicas de Porto Alegre, onde são atendidas 164 pessoas para um total de 49 vagas disponíveis. Ou seja, o setor recebe mais que o triplo da capacidade.

O mesmo ocorre no Hospital São Lucas da PUCRS, no qual há 39 pacientes adultos para 13 leitos. Na emergência pediátrica, são 15 atendimentos para seis vagas. Já o Hospital Conceição registra pouco mais que o dobro da lotação máxima para atendimento. São 114 pacientes para 50 leitos.

O Hospital Dom Vicente Scherer da Santa Casa também apresenta o dobro da capacidade de lotação. Com 26 pessoas atendidas para apenas 10 leitos, o serviço é oferecido com restrições, conforme a assessoria de imprensa.

Ainda na Santa Casa, o Hospital da Criança Santo Antônio tem os 13 leitos do Sistema Único de Saúde (SUS) ocupados. As vagas para pacientes com convênios estão superlotadas, com 13 pessoas para oito unidades. Já no Hospital Santa Clara, a situação é mais tranquila: apenas sete camas em uso para 12 disponibilizadas.

Nos hospitais Materno Infantil Presidente Vargas, Moinhos de Vento e Ernesto Dornelles, 100% das vagas estão ocupadas. Em seu Twitter, o Hospital Ernesto Dornelles informa que os oito leitos recebem pacientes. O tempo de espera é de três horas para casos não urgentes.

No Presidente Vargas, apesar da lotação das 20 vagas disponíveis, nenhum paciente fica sem atendimento, afirma a assessoria de imprensa. A instituição espera para esta semana a apresentação de mais funcionários que reforçarão a equipe durante a Operação Inverno. Eles foram chamados na sexta-feira.

Já o Hospital de Pronto Socorro (HPS) não divulgou o balanço da ocupação dos leitos, mas informou, por meio da assessoria de imprensa, que está em adequação para socorrer pacientes com urgência.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Abrasus promove palestra sobre Tuberculose

Fonte: ABRASUS - 25 de junho de 2012.

A Associação Brasileira em Defesa dos Usuários de Sistemas de Saúde (Abrasus) promove no dia 27 de junho (quarta-feira) palestra com o tema “Tuberculose, causas e consequências”, que será ministrada pelo Dr. Sérgio Pinto Ribeiro, Vice-Presidente e Médico do Hospital de Clínicas de Porto Alegre.

A palestra será realizada às 14 horas na sede da ABRASUS, na Rua dos Andradas, 1560, sala 1704, Bairro Centro.

O evento, com capacidade de 40 vagas, é aberto a todos os interessados, que devem confirmar presença pelo telefone 3062-8007.

Hospitais de Porto Alegre terão 354 novos leitos neste ano

Outros 248 já existentes serão qualificados

Fonte: Correio do Povo - 25 de junho de 2012.

Em uma tentativa de desafogar as emergências lotadas dos hospitais de Porto Alegre, a prefeitura, em parceria com os governos Estadual e Federal, anunciou nesta segunda-feira que abrirá 354 novos leitos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), além de qualificar outros 248 já existentes. Os investimentos serão de R$ 18,6 milhões e a implantação começa já na próxima semana.

Neste ano, ocorrerão de imediato a abertura de 328 leitos clínicos de apoio às emergências, 50 de longa permanência e 66 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Além destes, serão qualificados 174 leitos clínicos de apoio às emergências e 74 de UTI. Com recursos do Ministério da Saúde, as vagas, que antes eram ocupadas por convênios privados, serão disponibilizadas em cinco hospitais: Parque Belém, Santa Casa, São Lucas, Beneficência Portuguesa e Vila Nova.

A previsão da prefeitura é criar mais 1.077 vagas hospitalares até o final de 2013. O prefeito José Fortunati ressalta que a medida proporcionará reestruturação, expansão e aperfeiçoamento das portas de entrada das urgências hospitalares, além de aumento do número de leitos clínicos de apoio a pacientes com quadros agudos e de vagas nas UTIs, e leitos clínicos de longa permanência.

Conforme Fortunati, quando ele assumiu a prefeitura priorizou a área da saúde, proporcionando um salto de qualidade. “Criamos o Instituto Municipal de Estratégia de Saúde da Família (Imesf), iniciamos a reforma e modernização do Hospital de Pronto Socorro, apostamos na regulação informatizado dos leitos para acabar com o QI nas filas, além de focarmos nas Unidades de Pronto Atendimentos”, disse o chefe do executivo ao ressaltar que desde 2010 foram feitas 57 obras de reformas e ampliação nas Unidades Básicas de Saúde.

De acordo com o secretário municipal da saúde, Marcelo Bósio, Porto Alegre foi a segunda capital brasileira a aprovar o Plano de Ação na Rede de Atenção às Urgências da Região Metropolitana. Conforme Bósio, não é possível pensar em saúde focando apenas em Porto Alegre, pois é preciso olhar no entorno para desafogar as emergências. “Porto Alegre não precisaria de leitos, mas 5 em cada 10 pacientes atendidos são do interior. Por isso, abrimos leitos fechados e através de instituições privadas foram disponibilizanas as vagas”, afirmou.

Veja os números de leitos abertos ou qualificados na primeira etapa:

Aumento de leitos de terapia intensiva

- Hospital Parque Belém: 10
- Santa Casa de Misericórdia: 11
- São Lucas da PUCRS: 15
- Beneficência Portuguesa: 30

Aumento e qualificação dos leitos clínicos do SUS

- Parque Belém: 35
- Santa Casa de Misericórdia: 127 (48 na primeira fase)
- São Lucas da PUCRS: 40
- Beneficência Portuguesa: 36
- Vila Nova: 50

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Abrasus visita três entidades de saúde em Camaquã

Fonte: ABRASUS - 22 de junho de 2012.

Representando a Associação Brasileira em Defesa dos Usuários de Sistemas de Saúde (Abrasus), a presidente Terezinha Alves Borges e a conselheira fiscal Neci Bastos estiveram em Camaquã no início de junho visitando entidades ligadas à saúde. Elas conheceram o Hospital Nossa Senhora Aparecida, o Conselho Municipal de Saúde e a Farmácia do município e do Estado.


Hospital Nossa Senhora Aparecida - No Hospital Nossa Senhora Aparecida, as integrantes da Abrasus foram informadas de que no local são realizadas apenas cirurgias de baixa complexidade. Os procedimentos de tratamento de complexidade média são encaminhadas à Pelotas e Rio Grande e os de alta complexidade são encaminhados à Porto Alegre.


No local, também conheceram a central de ambulâncias. Conforme Terezinha, “a central é muito bem equipada, possuindo três ambulâncias, uma do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e duas unidades de tratamento intensivo móveis”. 


De acordo com os dados apurados pela Abrasus, o hospital possui uma equipe formada por 34 funcionários entre médicos, enfermeiros e motoristas que atuam na frota de ambulâncias do município e de cidades vizinhas.

As integrantes da associação percorreram as instalações do hospital, inclusive o bloco cirúrgico, recentemente construído. Na avaliação das integrantes da Abrasus, o local possui excelente organização e estrutura. As refeições (café da manhã, almoço e janta) são disponibilizadas para pacientes do SUS e acompanhantes. O hospital realiza ainda trabalhos de orientação e acompanhamento médico de gestantes. Os pais também são incentivados a acompanhar a gestação.

A direção do Nossa Senhora Aparecida informou que projeto de compra de equipamentos cirúrgicos foi encaminhado ao Governo do Estado. Na oportunidade, foi solicitado pelo representante do hospital que a Abrasus encaminhasse ofício à Secretaria da Saúde para agilizar a análise do pedido.

O hospital conta com um banco de coleta de sangue, mas não possui UTI e UTI Neonatal. Os pacientes que precisam de mais cuidados são encaminhados à Pelotas ou Porto Alegre.

Conselho Municipal de Saúde - No Conselho Municipal de Saúde, a Abrasus recebeu informações sobre o atendimento aos moradores da cidade e a mais de 200 habitantes das cidades vizinhas.

Farmácias do município e Estado – As farmácias do município e do Estado de Camaquã estão localizadas na mesma sede e estão bem equipadas, conforme verificado na visita da Abrasus.


 



De acordo com Terezinha, a maior parte dos medicamentos disponibilizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) encontram-se disponíveis para a população. Na falta de algum remédio, este deve ser solicitado junto a prefeitura. Caso esta não forneça, os pacientes são direcionados ao Ministério Público para viabilizarem a demanda judicial.

Mortalidade por câncer diminui em 48% com atividade física de alto gasto calórico

Efeito de exercícios físicos varia conforme a intensidade e a regularidade

Fonte: Zero Hora - 22 de junho de 2012.

O risco de mortalidade por câncer pode ser reduzido em 48% em pessoas não obesas, com funções metabólicas normais, que realizam atividade física regular e intensa, ou seja, com alto gasto calórico. É o que mostra um estudo realizado por pesquisadores de Nova York, a ser publicado no periódico científico Journal of Obesity.

Mais de 15 mil pessoas adultas participaram do estudo, que buscou identificar que modalidade de exercício físico (intensidade baixa, moderada e alta, de acordo com o gasto calórico) pode diminuir o risco de morte por câncer, já que pesquisas anteriores identificaram a obesidade como possível fator de risco para o câncer.

O estudo não encontrou relação entre a mortalidade por câncer e a atividade física com intensidade baixa a moderada em pessoas não obesas, nem qualquer tipo de atividade física reduziu a mortalidade por câncer em pessoas obesas. Mas as pessoas que realizavam atividades físicas com alto gasto calórico apresentaram uma diminuição significativa do risco de morte por câncer.

Manutenção do peso

Segundo a oncologista Christina Oppermann, gestora do serviço de prevenção do câncer do Instituto do Câncer Mãe de Deus, ao auxiliar na redução da obesidade, os exercícios físicos contribuem para a manutenção de um metabolismo normal, diminuindo o risco de câncer. A especialista comenta que o benefício dos exercícios físicos não depende apenas da modalidade escolhida.

— É importante que a pessoa escolha um exercício físico que a agrade e mantenha a disciplina — recomenda.

Um estilo de vida saudável também é fundamental, com controle da alimentação, exames médicos periódicos e um acompanhamento de um profissional para elaborar um plano de prevenção.

Gasto calórico

De maneira geral, um exercício físico de alto gasto calórico é aquele que envolve grandes grupos musculares, principalmente com movimentação de pernas e quadril, explica o educador físico Márcio Soares. Corrida, natação e bicicleta são alguns exemplos de modalidades, mas o profissional destaca que o efeito varia conforme a intensidade e o tempo de prática: uma caminhada prolongada também pode ter alto gasto calórico, por exemplo.

— Cada caso deve ser avaliado individualmente, conforme os objetivos e os limites de cada um. É importante também ter consciência de que os melhores efeitos se dão pela continuidade da prática esportiva — frisa.

Soares lembra que o sucesso de um exercício físico depende do equilíbrio de um tripé, que incluir treinar corretamente, alimentar-se adequadamente e descansar o suficiente para reabilitar o corpo. Por isso, antes de começar, é importante fazer uma avaliação física completa.

Brique da Redenção: Abrasus recolhe assinaturas pelo Movimento Saúde Rio Grande

Fonte: ABRASUS - 22 de junho de 2012.

Seguindo o objetivo de recolher 1 milhão de assinaturas pelo Movimento Saúde Rio Grande – Cumpra-se a Lei, a Associação Brasileira em Defesa dos Usuários de Sistemas de Saúde (Abrasus) esteve no Brique da Redenção no domingo, dia 10.
 

 
As integrantes da associação recolheram cerca de 200 assinaturas a favor da mobilização, que tem por objetivo cobrar do governo estadual a aplicação de 12% da receita líquida corrente na área da Saúde, conforme determina a Emenda 29 - cuja regulamentação foi aprovada no final de 2011 pelo Congresso Nacional.





Na ocasião, elas também divulgaram as ações da Abrasus para o público presente no parque.

terça-feira, 19 de junho de 2012

ABRASUS defende 12% para a saúde na TV Assembleia

Fonte: ABRASUS - 19 de junho de 2012.

A presidente da Associação Brasileira em Defesa de Usuários de Sistemas de Saúde (ABRASUS), Terezinha Alves Borges, defendeu no Programa de TV Democracia, que o Governo do Estado cumpra a lei e aplique os 12% da Receita Líquida de Imposto e Transferências - RLIT em ações específicas de saúde. O programa que tem a apresentação de Batista Filho, foi exibido ontem, dia (18) , no Canal 16 da Net Cidade às 23h. Participaram também o coordenador técnico de fiscalização do Conselho Regional de Enfermagem (COREN/RS) Igor Prestes e pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/RS), o advogado Carlos Eduardo Chaise.


Durante uma hora, os convidados falaram sobre a luta para uma saúde de qualidade para os Usuários do Sistema Único de Saúde. Conforme Terezinha, as visitas realizadas pela ABRASUS, como as recentes em Gravataí e Camaquã comprovam cada vez mais a necessidade de verbas para aumentar o número de profissionais e a estrutura onde estas pessoas trabalham. “Falta médico, falta concurso público. As pessoas sofrem com a falta de especialistas nos postos e acabam superlotando os hospitais. Precisa trabalhar a prevenção,” disse.

A presidente ainda ressaltou a ambulâncioterapia, que é a vinda de pacientes do interior do Estado para a Capital na tentativa de conseguir uma consulta, e entregou ao apresentador do Democracia o abaixo - assinado criado na campanha: Saúde Rio Grande, Cumpra-se a Lei, a qual a Associação faz parte. Para aderir ao movimento e exigir mais saúde para o RS é só acessar  http://www.sauderiogrande.org.br/  e optar pela assinatura eletrônica ou imprimir o formulário para coleta de adesões. O objetivo é entregar no dia 2 de julho ao Governador Tarso Genro as assinaturas colhidas em todo o Estado em um ato público na Assembleia Legislativa.

PLANOS DE SAÚDE: Operadoras começam a divulgar mapa de conveniadas na internet

A partir de dezembro, todas as operadoras, independente do número de beneficiários, deverão ter redes de credenciados abertas à consulta on-line

Fonte: Site Ministério da Saúde - 19 de junho de 2012.

A partir de 23 de junho de 2012, operadoras de planos de saúde com mais de 100 mil beneficiários deverão divulgar suas redes assistenciais na internet por meio de imagens ou mapas que indiquem a localização espacial geográfica dinâmica de cada prestador de serviço de saúde. A determinação consta da Resolução Normativa nº 285, publicada em 26/12/2011, pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

As demais operadoras, com menos de 100 mil beneficiários, deverão cumprir essa determinação a partir de dezembro.  As que possuem entre 20 mil e 100 mil beneficiários deverão adotar o georreferenciamento por meio de mapeamento geográfico. As operadoras com até 20 mil beneficiários poderão divulgar em seus portais corporativos as informações de seus planos de saúde e suas respectivas redes credenciadas de forma simplificada, sem necessidade do mapeamento de localização.

A partir de dezembro de 2012, portanto, todas as operadoras de planos de saúde, com qualquer número de beneficiários, deverão ter suas redes de credenciados abertas à consulta na Internet.

A norma permitirá aos beneficiários localizar de forma mais fácil e ágil todos os prestadores de saúde do plano contratado. Permitirá, ainda, que qualquer cidadão pesquise informações sobre a rede credenciada de prestadores de todas as operadoras de plano de saúde do país. Essa possibilidade aumenta a concorrência no setor pelo fato de tornar mais visível o que cada operadora oferece, possibilitando uma melhor escolha no momento de contratar um plano. Todas as informações prestadas pelas operadoras deverão ser atualizadas constantemente e sua utilização será um direito do consumidor.

A rede assistencial deverá ser exibida por cada plano de saúde, apresentando o nome comercial do plano, seu número de registro na ANS ou seu código de identificação no Sistema de Cadastro de Planos comercializados anteriormente a janeiro de 1999, data de vigência da Lei 9.656/98.

Em relação aos prestadores de serviços de saúde, a operadora deverá expor informações como: nome de fantasia do estabelecimento (pessoa jurídica) ou nome do profissional (pessoa física); tipo de estabelecimento; e principalmente a(s) especialidade(s) ou serviço(s) contratado(s) - de acordo com o contrato firmado - e endereço, além de telefones para contato. Neste caso, os parâmetros sugeridos para que a informação seja disponibilizada são os seguintes: unidade da federação; município; bairro; logradouro; número; telefones; e código de endereçamento postal – CEP.

segunda-feira, 18 de junho de 2012

ABRASUS na TV Assembleia

Fonte: ABRASUS - 18 de junho de 2012.

A presidente da Associação Brasileira em Defesa dos Usuários de Sistemas de Saúde (ABRASUS), Terezinha Alves Borges, participa do Programa Democracia da TV da Assembleia Legislativa, hoje às 23h, no Canal 16 da NET Cidade. O programa tem a mediação de Batista Filho e a pauta é os 12% para a saúde. Assista!  

Desinformação e burocracia limitam abrangência de lei que isenta do IR portadores de doenças graves

Regulamentação em vigor desde 2004 é praticamente desconhecida por quem seria beneficiado
 
Fonte: Zero Hora - 18 de junho de 2012.

O leão do Imposto de Renda não morde os que se aposentam em função de uma doença incurável. Voraz e inclemente com os demais trabalhadores, o rei da selva e dos tributos é mansinho perante os que se enquadram na Lei 11.052, de 2004, que atualizou uma legislação de 24 anos.

Mas nem todos conseguem evitar o rugido devorador de salários, mesmo sendo merecedores da isenção do IR. Especialistas apontam que a lei é quase desconhecida e pode assustar pela burocracia que impõe. Por consequência, é utilizada por poucos.

O presidente da Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Anfip), Álvaro Sólon de França, elege pelo menos duas entre as mais graves. A primeira delas: trabalhadores que se aposentam, e depois contraem uma doença grave, raramente são informados sobre o direito. Como se desligam da empresa e do seu sindicato, não costumam buscar orientação.

A segunda distorção é o limite de enfermidades abrangidas pela lei. No site da Receita, constam 16, como hanseníase, cardiopatia severa e tuberculose ativa. Para o dirigente da Anfip, é preciso abrir o leque e incluir outras patologias, que também geram incapacidades e despesas com tratamento e medicamentos.

— Falta maior justiça fiscal. Cabe às associações de classe e aos sindicatos reivindicarem esses direitos, exigirem mais publicidade e informação — recomenda Sólon de França.

A isenção começa a ser concedida a partir do exame médico que diagnostica o mal. A perícia deve ser oficial, em acordo com o regime de trabalho do futuro aposentado — se CLT, funcionalismo público, carreira militar e outras. E é aí que começa o cipoal burocrático. Para o professor da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (Fecap), Amauri Liba, a lei está distante da população:

— É complexa e burocrática. As pessoas que mais necessitam, as de baixa renda, não têm acesso.

O professor do Instituto Brasileiro de Estudos Tributários (Ibet), José Antonio Minatel, considera normal que os servidores com salários altos apareçam entre os maiores beneficiários da isenção. Lembra que eles costumam ganhar aposentadorias equivalentes ao último vencimento. São pagadores de IR. A situação é diferente para a massa que depende do INSS.

— Os portadores de doença grave, aposentados pelo INSS, em regra, recebem valores já isentos de tributação, o que não desperta interesse ou necessidade de conhecimento da legislação — pondera Minatel.

A maioria dos celetistas não tem direito à isenção — ganha tão pouco que foi dispensada de acertar contas com o leão —, mas uma parcela está perdendo o auxílio por desinformação. O alerta é do diretor do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis do Estado (Sescon), Célio Levandovski.

— O pessoal não tem aproveitado. Muito por desconhecimento, depois pela burocracia, que é meio penosa — informa.

Uma das dificuldades, na opinião de Levandovski, é a comprovação da doença. Outra, pior ainda, é o trabalhador demonstrar que já estava enfermo antes da realização da perícia médica para obter o benefício de forma retroativa.

Saiba mais sobre o cálculo renal, problema que atinge 10% da população

Homens com idade entre 30 e 50 anos são os mais afetados

Fonte: Zero Hora - 18 de junho de 2012.

Conhecido popularmente como pedra nos rins, o cálculo renal é um quadro agudo e abrupto que provoca dores muito fortes e pode aparecer em qualquer ponto das vias urinárias. De acordo com o urologista Camilo Loprete, do Hospital São Luiz, essa patologia atinge cerca de 10% da população, sendo mais frequente me homens com idade entre 30 e 50 anos. As principais causas de cálculo renal são herança genética, processos infecciosos, má alimentação ou distúrbios hormonais.

Quando a pedra se direciona à parte central, onde estão os tubos coletores, e para os ureteres pode causar cólicas fortíssimas, além de sintomas como vômitos, febre, dor ao urinar e sangue presente na urina. As cólicas renais são provenientes da obstrução do canal urinário e, além de representar uma das urgências urológicas mais frequentes, exigem atendimento médico imediato.

— O diagnóstico é feito por meio de exames como ultrassonografia ou tomografia dos rins, que possibilitam verificar quantidade e tamanho das pedras. Apenas depois desse procedimento é possível avaliar o tratamento mais indicado — explica o médico.

Hoje, existem algumas técnicas pouco invasivas para o tratamento do cálculo renal, como a litrotripsia extracorpórea, cirurgia renal percutânea, e a ureteroscopia com uso do laser para a fragmentação dos cálculos. O ideal é que o cálculo saia naturalmente, porém, caso isso não seja possível, Loprete garante que o laser não traz danos a estruturas vizinhas ao cálculo.

Ainda segundo o urologista, pessoas que já tiveram uma crise de cólica renal têm 50% mais de chance de ter outra, possivelmente em um curto espaço de tempo. Alguns fatores na dieta estão relacionados com a maior produção de cálculos renais. Por isso, recomenda-se cuidados simples que podem evitar ou adiar o desenvolvimento de novos cálculos, reduzir o consumo de sal e de proteínas, aumentar a ingestão de líquidos, principalmente água, e evitar café e chocolate.

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Começa amanhã campanha de vacinação contra poliomielite

Pelo menos 625 mil crianças devem ser vacinadas no Estado

Fonte: Correio do Povo - 15 de junho de 2012.

Todas as crianças menores de cinco anos devem ser levadas aos postos de saúde neste sábado para receberem as gotinhas que protegem contra a poliomielite. No Rio Grande do Sul, 625 mil crianças devem ser imunizadas, número que representa 95% do público-alvo estimado no Estado. A campanha movimentará 5.118 pontos de vacinação nosmunicípios gaúchos, incluindo postos móveis, que vão ao encontro da população em lugares públicos.

Neste ano, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Pólio terá apenas uma etapa. Quem perder essa data terá até o dia 6 de julho para garantir a dose. Segundo a Chefe do Núcleo de Imunizações da Secretaria de Saúde de Porto Alegre, Patrícia Couto, a vacina é completamente segura e deve ser tomada até mesmo pelas crianças que já receberam as duas gotinhas. Já as que tiverem febre acima de 38°C ou alguma infecção devem ser avaliadas por um médico. De acordo com Patrícia, uma nova campanha, chamada de Multivacinação, será realizada de 18 a 24 de agosto em todo o País. O objetivo será atualizar todas as imunizações que constam no calendário vacinal de uma criança.

A poliomielite não tem tratamento, a única forma de evitar a doença é a prevenção. A doença, infecto-contagiosa, tem a transmissão acentuada pela falta de higiene e de saneamento. O vírus se desenvolve na garganta ou nos intestinos, se espalha pela corrente sanguínea, ataca o sistema nervoso e paralisa os músculos das pernas. Em alguns casos, pode até matar. O País está livre da doença há mais de 20 anos.

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Hemocentro realiza ações para marcar o Dia Mundial do Doador de Sangue

Inca também adere à campanha para garantir abastecimento necessário a pacientes com câncer

Fonte: Site Zero Hora - 14 de junho de 2012.

Ações no Hemocentro de Porto Alegre (Avenida Bento Gonçalves, 3722 — Partenon) irão homenagear o doador voluntário, como parte da programação do Hemocentro do Rio Grande do Sul (Hemorgs) para marcar o Dia Mundial do Doador de Sangue, nesta quinta-feira, 14 de junho. A data foi fixada por organismos internacionais, sob liderança da Organização Mundial da Saúde (OMS), assinalando o nascimento de Karl Landsteiner, que descobriu os grupos sanguíneos ABO.

O secretário estadual da Saúde, Ciro Simoni, estará no hemocentro apoiando a ação, que visa aumentar os estoques que abastecem os leitos do Sistema Único de Saúde (SUS) no Estado. Simoni estará acompanhado do presidente da Fundação Estadual de Produção e Pesquisa em Saúde (FEPPS), José Vellinho Pinto. O humorista Jair Kobe , com seu personagem Guri de Uruguaiana, irá reforçar o apoio à causa doando sangue, juntamente com seu companheiro Licurgo. No início da tarde de quinta-feira, uma apresentação do Coral da FEPPS homenageará os doadores voluntários.

De acordo com a secretaria, os estoques de sangue do Hemorgs estão sob controle. Autoridades e população permanecem atentas ao ato solidário da doação, visto que é normal durante o inverno uma queda no número de doadores. A unidade de Porto Alegre funciona para doações de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.

O hemocentro coordena a Política do Sangue e Hemoderivados no Estado, que tem como uma de suas principais finalidades unificar as ações da hemorrede pública composta por mais cinco hemocentros regionais e três hemonúcleos, além dos bancos de sangue do Grupo Hospitalar Conceição e Hospital de Clínicas de Porto Alegre.

Instituto do Câncer também faz campanha

O Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca) também promove ações no Rio de Janeiro para conscientizar sobre a importância de doar sangue com regularidade. O Inca precisa de doações de sangue para abastecer o estoque que atende aos pacientes de suas cinco unidades hospitalares.

As pessoas que realizam cirurgias, tratamento quimioterápico ou radioterápico e os transplantados de medula óssea necessitam de transfusões de sangue regularmente. A instituição atende uma média de 1,3 mil paciente por mês, e desde o começo de julho vem sofrendo uma queda no estoque de sangue devido ao aumento de candidatos inaptos para a doação, devido aos resfriados, gripes ou alergias, comuns nesta época do ano.

Quem pode doar sangue

:: Pessoas com peso acima de 50 quilos e idade entre 18 e 67 anos.

:: Jovens com idade entre 16 e 17 anos também podem ser aceitos como candidatos, desde que haja consentimento formal do responsável legal.

:: No momento da doação, é necessário apresentar documento com foto válido em todo território nacional.

Quem não pode doar

:: Pessoas com diagnóstico de hepatite após os 11 anos de idade.

:: Mulheres grávidas ou amamentando.

:: Pessoas expostas a doenças transmissíveis pelo sangue, como aids, hepatite, sífilis e doença de Chagas.

:: Usuários de drogas.

:: Pessoas que tiveram relacionamento sexual com parceiro desconhecido ou eventual, sem uso de preservativos.

Recomendações

:: Não estar em jejum.

:: Dormir por pelo menos seis horas na noite anterior à doação.

:: Não tomem bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores à doação.

:: Evitar fumar por pelo menos duas horas antes da doação.

:: Evitar alimentos gordurosos nas três horas antecedentes.

:: Pessoas que exercem profissões como piloto de avião ou helicóptero, condutor de ônibus ou caminhão de grande porte e, ainda, trabalhadores que sobem em andaimes devem interromper as atividades por 12 horas após a doação. A mesma recomendação é válida para quem pratica paraquedismo ou mergulho.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Abrasus promove palestra sobre Tuberculose

Fonte: ABRASUS - 13 de junho de 2012.

A Associação Brasileira em Defesa dos Usuários de Sistemas de Saúde (Abrasus) promove no dia 27 de junho (quarta-feira) palestra com o tema “Tuberculose, causas e consequências”, que será ministrada pelo Dr. Sergio Pinto Ribeiro, Vice-Presidente e Médico do Hospital de Clínicas de Porto Alegre.

A palestra será realizada às 14 horas na sede da ABRASUS, na Rua dos Andradas, 1560, sala 1704, Bairro Centro.

O evento, com capacidade de 40 vagas, é aberto a todos os interessados, que devem confirmar presença pelo telefone 3062 8007.

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Saúde RS protocola emendas que exigem 12% do orçamento do RS para a Saúde

Fonte: ABRASUS - 11 de junho de 2012.

O Movimento “Saúde Rio Grande: Cumpra-se a Lei”, integrado pela Abrasus e outras 12 entidades, entregou na tarde desta terça-feira (6) ao presidente da Assembleia Legislativa, deputado Alexandre Postal, e à presidente da Comissão de Finanças, deputada Maria Helena Sartori, três emendas populares ao texto do Executivo que estabelece a Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO) 2013. O objetivo é comprometer o governo do Estado a aplicar 12% de suas receitas líquidas na Saúde, conforme determina a Emenda Constitucional 29. Mais de cem mil assinaturas foram coletadas em diversos municípios gaúchos em apoio ao ato, ocorrido no salão Júlio de Castilhos, diante de mais de uma dezena de parlamentares.


A presidente da Associação Brasileira em defesa dos Usuários dos Sistemas de Saúde (Abrasus), Terezinha Borges, entregou o texto das emendas e o montante de assinaturas à Maria Helena. “Visitamos os locais de atendimento periodicamente e percebemos que cada vez mais a saúde está deteriorada, em todos os sentidos, tanto na parte estrutural, como na administrativa”, protestou. “Chegamos a um ponto insustentável”.


O deputado e médico Pedro Westphalen, salientou a importância do Movimento. “A sociedade tornou oficial, para a Assembleia, o seu ‘basta’ ao que está acontecendo. Faltam recursos e gestão adequada e o caos na Saúde tem conseqüências”, relatou. A presidente da Comissão de Finanças, saudou a iniciativa popular, mas lembrou das dificuldades. “O Estado ganha pouco mais de 20% do bolo total de impostos, e destina 13% de suas receitas ao pagamento da dívida pública, precisamos rever essas questões”, afirmou. As emendas devem ser apreciadas pelo plenário até o dia 15 de julho.

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Postos fechados revoltam pacientes em Porto Alegre

Depois de viajar 250 quilômetros, paciente chorou ao ver porta fechada em centro de saúde no IAPI
 
Fonte: Site Zero Hora - 08 de junho de 2012.

Pacientes com consultas marcadas para a manhã desta sexta-feira tiveram uma desagradável surpresa. A exemplo de outros postos de saúde do município, o Centro de Saúde IAPI amanheceu fechado, provocando desespero em pacientes como Neli Barros, de 60 anos.

Ela viajou mais de 250 quilômetros para buscar atendimento na Capital. De madrugada, ela embarcou no veículo contratado pela prefeitura de Capão do Leão, no sul do Estado, com outros quatro pacientes. Neli realizou uma cirurgia na coluna em janeiro e seria atendida por um médico, às 7h30min. Com dores e andando de muletas, Neli desabou no choro ao deparar com as portas fechadas.

— Acordamos de madrugada para viajar e quando chegamos aqui dizem que está fechado porque é feriado — reclama o marido de Neli, Nilzo Medeiros, que acudia a mulher caída ao chão, chorando.

No interior do prédio, funcionários apenas avisavam que o local não seria aberto. Um cartaz, fixado na parede dizia: "Dia 08/06, o posto estará fechado".

O motorista Guido Júlio Hirdes tentava encontrar uma forma de ajudar seus passageiros. No entanto, teve que deixar o posto de saúde e procurar um hospital para Neli.

— Acho que vamos ter que voltar (para Capão do Leão). Não avisaram a prefeitura nem o transporte que (o posto) estaria fechado — lamentou durante a manhã.

Já a dona de casa Pedra Silva da Silva, de 60 anos, tinha consulta com um dentista às 9h30min. Foi orientada a telefonar novamente na segunda-feira e tentar remarcar o atendimento.

— Não avisaram que iam fazer feriadão.

Contraponto:

A Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre informa que, nos dias de pontos facultativos, os postos de saúde são fechados. Como o decreto saiu somente na quarta-feira, a secretaria não tem certeza se houve tempo suficiente para avisar a todos os pacientes que tinham consulta marcada. O órgão afirma que divulgou a informação por meio do site e redes sociais da prefeitura.

Revoltada, médica grita por ajuda em hospital superlotado no Rio

Pacientes reclamam de condições precárias e falta de atendimento adequado

Fonte: Site R7 - 08 de junho de 2012.

Uma médica do Hospital Rocha Faria, em Campo Grande, zona oeste do Rio de Janeiro, desabafou sobre a situação precária em que se encontra a saúde do Estado. Angela Tenório afirma estar sobrecarregada e cansada do descaso com os pacientes.

— Estou sozinha nessa porcaria aqui. Não posso fazer nada pelo excesso de pacientes doentes. E a secretaria [de Saúde] e o governador [Sérgio Cabral] não fazem nada. Cadê o Pedro II [hospital estadual]? Nós somos sobrecarregados. Eu sou diabética e hipertensa. O Pedro II está lá, com médicos que não atendem porque não tem cama. Eu já estou de saco cheio. Eu vou ser punida por uma boa causa.

Desde o incêndio no Hospital Estadual Pedro II, em Santa Cruz, na zona oeste, há quase dois anos, o Hospital Rocha Faria está sempre superlotado. Todos os dias há congestionamento de ambulâncias e doentes que se aglomeram esperando atendimento.

Diversos pacientes reclamam da falta de médicos e de equipamentos de saúde. Segundo Angela Tenório, as condições são precárias e as pessoas correm risco de morrer.

— A saúde está zerada, os pacientes estão à míngua e estão morrendo.

Por meio de nota, a direção do Hospital Estadual Rocha Faria informou que o quadro médico estava completo na quarta-feira, mas confirma que a superlotação tem sido uma realidade na unidade desde o incêndio e fechamento do Hospital Pedro 2º. No dia em que foi feita a reportagem, foram realizados 597 atendimentos de emergência na unidade, quatro vezes mais do que sua capacidade (120 atendimentos/dia). O hospital ressalta que todos os pacientes são atendidos.

A Secretaria de Estado de Saúde aguarda a definição da data de reabertura do Hospital Pedro 2º por parte da Prefeitura do Rio e informa que espera que este fluxo de pacientes melhore o atendimento à população. O projeto de um novo Rocha Faria também já está em andamento, para aumentar e melhorar o atendimento à população.

Assista ao vídeo:

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Estado inclui fibrose cística no Teste do Pezinho pelo SUS

Exame já estava previsto no programa de triagem neonatal do Ministério da Saúde, mas ainda não era realizado no RS

Fonte: Site Zero Hora - 06 de junho de 2012.

O Teste do Pezinho se tornou obrigatório em todo o território nacional apenas em 2001. No entanto, até hoje, poucas pessoas sabem o período ideal de realização do exame. A Secretaria Municipal da Saúde de Porto Alegre determina que o teste seja feito após 48 horas do nascimento do bebê, para que doenças causadoras de sequelas graves ao desenvolvimento e crescimento sejam detectadas precocemente.

As enfermidades mais comumente diagnosticadas são assintomáticas nos primeiros meses, por isso, a importância de identificação no estágio inicial. Dependendo do mal detectado, pode-se obter uma orientação adequada e uma continuidade no tratamento. Em 6 de junho comemora-se o Dia Nacional do Teste do Pezinho, data instituída pelo governo federal para disseminar a importância do exame.

No Estado, o Hospital Materno-Infantil Presidente Vargas (HMIPV) é o único que faz as análises laboratoriais e, a partir deste mês, vai incluir a investigação de fibrose cística nos testes. Com isso, o Rio Grande do Sul atinge a Fase 3 do Programa Nacional de Triagem Neonatal, a última determinada pelo Ministério da Saúde (MS). A orientação é de que o bebê seja levado até a Unidade Básica de Saúde mais próxima para o recolhimento do sangue e que todos os dados, principalmente endereço, sejam preenchidos corretamente na ficha de inscrição.

No Presidente Vargas, são realizados em torno de 10 mil testes por mês, o que equivale a pouco mais de 80% dos nascidos vivos no Estado. Apesar do Teste do Pezinho ser apenas uma triagem e não um diagnóstico definitivo, a partir do que for diagnosticado no exame, o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece um tratamento continuado. De acordo com a coordenadora do Serviço de Referência de Triagem Neonatal do Rio Grande do Sul no hospital, Paula Regla Vargas, antes do sistema ser implantado, há 11 anos, menos de 40% dos bebês gaúchos tinham a possibilidade de ter diagnóstico precoce, e havia um alto índice de mortalidade de crianças portadoras das doenças falciformes.

A triagem neonatal é um exame de laboratório simples, a partir de amostra de sangue retirada do calcanhar do bebê, que serve para diagnosticar precocemente doenças do metabolismo e enfermidades genéticas ou infecciosas que podem produzir lesões irreversíveis, como retardo mental. Hoje são detectadas pelo SUS o hipotireoidismo congênito, a fenilcetonúria, a hemoglobinopatia e a fibrose cística. Porém, o Ministério Público Federal (MPF) recomendou a ampliação do Teste do Pezinho, incluindo outras duas doenças.

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Abrasus conhece história, programas e infra-estrutura do Hospital Psiquiátrico São Pedro

Fonte: ABRASUS - 1º de junho de 2012.

A Associação Brasileira em Defesa dos Usuários de Sistemas de Saúde (Abrasus) esteve no Hospital Psiquiátrico São Pedro na quinta, 31, conhecendo as dependências da primeira entidade psiquiátrica do Rio Grande do Sul.


Inaugurado em 1884, o Hospital São Pedro é referência no atendimento psiquiátrico no Estado e já chegou a receber em torno de 6 mil moradores. Atualmente, comporta 249 pessoas. A história centenária, atual infra-estrutura, programas e atividades foram alguns dos dados apresentados pela equipe do local às integrantes da Abrasus, entre elas a presidente Terezinha Alves Borges, a vice presidente Carmem Lia Marino, a secretária geral Marly Büttner e a conselheira fiscal Neci Bastos.


Elas conheceram também o residencial terapêutico Morada São Pedro, criado em 2002, e habitado atualmente por 54 moradores que residiam anteriormente no interior do São Pedro e, após algum período, receberam autorização para terem sua casa próxima ao hospital. Apesar de uma certa independência, essas pessoas contam com o auxílio da casa de saúde, que fornece medicamentos e alimentação.



Atuando na Sociedade de Apoio ao Doente Mental (Sadom), junto hospital, há 33 anos, a vice-presidente da Abrasus deu seu parecer sobre a visita: “A Abrasus se preocupa com a saúde e esteve no São Pedro para conhecer, saber quantos pacientes são atendidos, entre outras informações para poder se dedicar a tentar lutar pela conservação do hospital. Conhecemos as suas dependências, as unidades, o residencial terapêutico, o que foi muito positivo. Verificamos que a necessidade maior do São Pedro é a contratação de funcionários de enfermagem e médicos”.

A presidente Terezinha elogiou a estrutura do hospital e destacou a fragilidade dos 54 moradores das casas do residencial terapêutico, pontuando sua preocupação com a proteção destas pessoas, uma vez que, reinseridas à sociedade, podem estar expostas a riscos, como violência e roubo. “Percebemos que essas pessoas estão vivendo ao lado de uma vila. Penso que elas não deveriam estar em contato direto com este local, até mesmo por que algumas destas pessoas, que visitamos em suas casas, são idosas e fragilizadas. Ouvimos relatos de que elas, durante o dia, contam com o apoio de cuidadores contratados por elas mesmas, e a noite tomam medicação, ficando ainda mais vulneráveis”, afirma.

Postagens Populares

Arquivo do blog

Vídeos da Abrasus

Loading...

3º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2012

Abaixo, fotos do 3º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2012.



PALESTRA "TUBERCULOSE, CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS"

PALESTRA "TUBERCULOSE, CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS"

PALESTRA "FRATERNIDADE E SAÚDE PÚBLICA"

PALESTRA "FRATERNIDADE E SAÚDE PÚBLICA"

2º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2011

Abaixo, fotos do 2º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2011.

PALESTRA "CÂNCER DE MAMA: PREVENÇÃO, TRATAMENTOS E DEPOIMENTOS"

PALESTRA "CÂNCER DE MAMA: PREVENÇÃO, TRATAMENTOS E DEPOIMENTOS"

PALESTRA "FRAGILIDADE NA TERCEIRA IDADE"

PALESTRA "FRAGILIDADE NA TERCEIRA IDADE"

PALESTRA “DIABETE E SEXUALIDADE”

PALESTRA “DIABETE E SEXUALIDADE”
Evento realizado em 27 de outubro de 2011.

PALESTRA "CENTROS DE REFERÊNCIAS PARA DOENÇAS REUMATOLÓGICAS NO SISTEMA PÚBLICO"

PALESTRA "CENTROS DE REFERÊNCIAS PARA DOENÇAS REUMATOLÓGICAS NO SISTEMA PÚBLICO"
Evento realizado em 28 de setembro de 2011.

PALESTRA “HEPATITES”

PALESTRA “HEPATITES”
Evento realizado em 17 de junho de 2011.

Palestra "A Importância do Exercício Físico Para a Qualidade de Vida"

Palestra "A Importância do Exercício Físico Para a Qualidade de Vida"
Evento realizado em 7 de abril de 2011.

1º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2009-2010

Abaixo, fotos do 1º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2009-2010.

Palestra ABRASUS - O que "É" e O que "FAZ"

Palestra ABRASUS - O que "É" e O que "FAZ"
Último evento do 1º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2009-2010, realizado em 25 de novembro de 2010.

Palestra "Atribuições da Defensoria Pública da União"

Palestra "Atribuições da Defensoria Pública da União"
Evento realizado em 30 de setembro de 2010.

Palestra "Fumo: As Razões da Abstinência"

Palestra "Fumo: As Razões da Abstinência"
Evento realizado em 5 de agosto de 2010.

Palestra "Proteja-se Contra o Câncer"

Palestra "Proteja-se Contra o Câncer"
Evento realizado em 27 de maio de 2010.

Palestra "Assistência à Saúde Mental Pelo SUS"

Palestra "Assistência à Saúde Mental Pelo SUS"
Evento realizado em 25 de março de 2010.

Palestra "Cuidadores de Idosos"

Palestra "Cuidadores de Idosos"
Evento realizado em 19 de novembro de 2009.

Mais Eventos

Abaixo, fotos de outros eventos realizados pela Abrasus e eventos que contaram com a participação da Entidade.

ABRASUS em nova sede

ABRASUS em nova sede
Evento realizado em 25 de maio de 2009.

Iara Trovão - Presidente à época - apresentando a Associação.

Entrevista com o Vereador Reginaldo Pujol.

Entrevista com Ivo Fortes - Conselheiro Suplente da ABRASUS.

ABRASUS vai a Natal - RN em dez/2008

ABRASUS vai a Natal - RN em dez/2008
Reunião com Associações congêneres no Hospital Psquiátrico Prof. Severino Lopes.

Iara Trovão - Presidente à época - apresentando a Abrasus.

Público que prestigiou o evento.

Dra. Rosane Rempel apresentando o Jurídico da Abrasus.

Presidente do Sindisaúde de Natal comentando sobre o evento.