quarta-feira, 30 de março de 2011

Ações e projetos para o futuro

O Presidente do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (SIMERS), Paulo de Argollo Mendes, visita a ABRASUS e conversa sobre ações e projetos para o futuro

Fonte: ABRASUS - 30 de março de 2011.

Ocorrida em 17 de março, a 6ª assembleia geral ordinária da Abrasus de 2011 contou com presença de importante defensor da qualidade no sistema público de atendimento, o Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (SIMERS). O presidente da entidade, Paulo de Argollo Mendes, apresentou o projeto “Movimento pela Saúde”, e pediu apoio para reforçá-lo. A assessoria do sindicalista também comprometeu-se em indicar a Associação para integrar o Fórum das Entidades em Defesa do SUS.

Foto: Júlio Barbosa
A presidente da Abrasus, Terezinha Borges, fez relato das mais recentes atividades de divulgação e de reforço do trabalho do grupo, como entrevista concedida a Radio Guaíba sobre a falta de médicos ortopedista e oftalmologista no Posto do IAPI, o projeto "ABRASUS SEM FRONTEIRAS", contatos com a ONG Parceiros Voluntários e com a assessoria da deputada Manuela. A parlamentar solicitou o espaço físico da Abrasus para a primeira palestra do programa “Envelhecimento Saudável”. Em votação, a proposta foi aceita pelos presentes.

terça-feira, 29 de março de 2011

Nova área da medicina garante fertilidade após tratamentos de câncer

Oncofertilidade oferece várias alternativas, como congelamento de espermatozoides ou do tecido ovariano

Fonte: Site Zero Hora - 29 de março de 2011.

A oncofertilidade é uma nova subespecialidade da medicina que tem o objetivo de preservar a fertilidade dos pacientes que se submetem a quimio ou radioterapia para tratamento de câncer. Segundo o médico urologista Alberto Stein, a radiação e as drogas utilizadas nestes casos causa danos nas células germinativas, podendo provocar a subfertilidade ou infertilidade, que pode ser transitória ou permanente.

— O paciente deve ser orientado a respeito antes de se iniciarem as terapias para combater o câncer e quem ainda não tem ou pretende ter mais filhos pode buscar a oncofertilidade — explica.

De acordo com o médico, a subespecialidade aborda várias alternativas, como o congelamento de espermatozoides, ovócitos e embriões, ou ainda o congelamento do tecido ovariano ou mesmo de parte do ovário da paciente (que é extraído por laparoscopia) e posteriormente é autotransplantado. Os procedimentos são todos rápidos e não retardam o início do tratamento.

— A procura está cada vez maior, pois os pacientes estão sendo cada vez mais bem orientados pelos médicos que mostrar a chance de cura da doença juntamente com a possibilidade de restabelecer suas vidas com qualidade depois da terapia, inclusive realizando até o desejo de ter filhos — analisa Alberto.

Conforme o urologista, mesmo para os pacientes que não preservaram a fertilidade antes de tratar o câncer existem técnicas específicas que podem auxiliá-los a ter filhos.

Controle das taxas de glicose pode evitar "pé diabético"

Complicação é comum em quem tem diabetes mal controlado e causa infecções e problemas na circulação

Fonte: Site Zero Hora - 28 de março de 2011.

Infecções ou problemas na circulação nos membros inferiores estão entre as complicações mais comuns em quem tem diabetes mal controlado. Calcula-se que metade dos pacientes com mais de 60 anos apresente o chamado "pé diabético", uma doença que pode ser evitada através do controle das taxas de glicose.

Tais alterações podem causar neuropatia, úlceras, infecções, isquemia ou trombose, que começam a ocorrer geralmente quando as taxas de glicose permanecem altas durante muitos anos. Se não for tratado, o pé diabético pode levar à amputação. Segundo o Ministério da Saúde, 70% das cirurgias para retirada de membros no Brasil têm como causa o diabetes mal controlado.

Manter a taxa glicêmica sob controle e fazer exames regulares são fundamentais para evitar tais complicações.

Saiba tudo sobre o pé diabético:

Sintomas

:: Formigamentos, perda da sensibilidade local, dores, queimação nos pés e nas pernas, sensação de agulhadas, dormência, além de fraqueza nas pernas. Tais sintomas podem piorar à noite, ao deitar-se. Normalmente a pessoa só se dá conta do problema quando este está em um estágio avançado e quase sempre com uma ferida ou uma infecção, o que torna o tratamento mais difícil devido aos problemas de circulação;

:: Os sintomas são mais frequentes após alguns com o diabetes mal controlado. Muitas pessoas passam a apresentar problemas de diminuição de circulação arterial e de sensibilidade em pés e pernas;

Prevenção

:: A medida principal é manter os níveis da glicemia controlados, exame visual dos pés diário e avaliação médica periódica;

:: Pacientes com diabetes tipo 1 e tipo 2 devem devem passar, regularmente, por uma avaliação dos pés;

:: O paciente deve examinar os pés diariamente em um lugar bem iluminado. Quem não tiver condições de fazê-lo precisa pedir a ajuda de alguém. Deve-se verificar a existência de frieiras, cortes, calos, rachaduras, feridas ou alterações de cor. Uma dica é usar um espelho para se ter uma visão completa. Nas consultas, deve-se pedir ao médico que examine os pés. O paciente deve avisar de imediato o médico sobre eventuais alterações;

:: É preciso manter os pés sempre limpos e usar sempre água morna, e nunca quente, para evitar queimaduras. Mantenha a pele hidratada, mas sem passar creme entre os dedos ou ao redor das unhas.

:: Use meias sem costura de algodão ou lã. Evite sintéticos, como nylon;

:: Antes de cortar as unhas, o paciente precisa lavá-las e secá-las bem. Para cortar, usar um alicate apropriado ou uma tesoura de ponta arredondada. O corte deve ser quadrado, com as laterais levemente arredondadas, e sem tirar a cutícula. Recomenda-se evitar idas a manicures ou pedicures, dando preferência a um profissional treinado, o qual deve ser avisado do diabetes. O ideal é não cortar os calos, nem usar abrasivos. É melhor conversar com o médico sobre a possível causa do aparecimento dos calos;

:: É melhor que os pés estejam sempre protegidos, inclusive na praia e na piscina;

:: Os calçados ideais são os fechados, macios, confortáveis e com solados rígidos, que ofereçam firmeza. Antes de adquiri-los, é importante olhar com atenção para ver se há deformação. As mulheres devem dar preferência a saltos quadrados, que tenham, no máximo, 3 cm de altura. É melhor evitar sapatos apertados, duros, de plástico, de coro sintético, com ponta fina, saltos muito altos e sandálias que deixam os pés desprotegidos.

* Fonte Original: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia

sexta-feira, 25 de março de 2011

Catarata: uma doença ocular que pode aparecer em qualquer idade

Problema no cristalino é muito comum entre os idosos

Fonte: Site Zero Hora - 25 de março de 2011.

A catarata é uma das doenças oculares mais comuns relacionadas ao envelhecimento, mas pode se formar em qualquer idade. É um problema de visão que vai avançando aos poucos, fazendo com que portador sofra alterações no cristalino durante meses ou anos, sem se dar conta da sua gravidade, até que a visão se reduza drasticamente.

De acordo com o oftalmologista Renato Neves, na fase inicial da doença o paciente tem mais facilidade para enxergar de perto. Mas essa sensação logo se transforma em maior sensibilidade à luz e, principalmente, aos reflexos e brilhos à noite, visão embaçada, sensação de que as cores estão desbotadas e mudanças na cor da pupila.

— Esse avanço progressivo impede a pessoa de realizar tarefas simples, como ler, dirigir, fazer a barba ou até mesmo cozinhar — explica.

Dados da Academia Americana de Oftalmologia apontam que mais de 20 milhões de americanos acima dos 40 anos sofrem de catarata. Pelo menos metade dos idosos brasileiros sofre da doença em que a lente do cristalino vai ficando opaca e esbranquiçada. Por isso, os especialistas atentam para a importância de pessoas dessa faixa etária realizarem o exame de fundo de olho anualmente.

A maioria das cataratas é causada por uma mudança na composição química do cristalino, que é a “lente” do olho. Numa porcentagem pequena dos casos, essas mudanças químicas são causadas por um defeito hereditário, por um trauma no olho, por diabetes, ou pelo uso de determinadas drogas, tais como o esteroides.

Segundo o oftalmologista Renato Neves, a melhor solução para os portadores de catarata é o implante de uma lente intraocular artificial no lugar cristalino, que é removido.

— As lentes intraoculares implantadas, têm a função de ajustar a visão conforme a necessidade do momento. Há casos em que o paciente fica melhor do que era antes da patologia — diz.

Sintomas da catarata:

:: Visão turva ou borrada;

:: Visão dupla;

:: Cores enfraquecidas e menos nítidas;

:: Halos ao redor das imagens;

:: Sensibilidade à luz forte.

quinta-feira, 24 de março de 2011

Brasil testa um novo exame que promete diagnóstico mais rápido da tuberculose

Segundo médico, o atraso no diagnóstico é um sério agravante da doença

Fonte: Site Zero Hora - 24 de março de 2011.

No Dia Mundial da Tuberculose, a boa notícia para a saúde no país é que já está em fase de testes no Brasil, o diagnóstico rápido que pretende identificar o bacilo da tuberculose e avaliar sua resistência.

— Já estão sendo feitos estudos em Manaus e Salvador e há expectativa muito grande de que ele seja disponibilizado para utilização na rede pública ainda esse ano — explica o médico Marcelo Fouad Rabahi, presidente da Comissão de Tuberculose da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT).

Ele alerta que o atraso no diagnóstico é um sério agravante desta situação, pois o seu retardo facilita a disseminação da tuberculose, que é transmitida pela tosse de pessoas doentes.

Por se tratar de uma doença endêmica no Brasil, o pneumologista também defende a busca ativa de casos. Segundo ele, pessoas que procuram atendimento médico com quadro de tosse há mais de duas semanas, mesmo não apresentando um quadro clássico de tuberculose, devem ser investigadas, uma vez que a patologia pode se apresentar de diversas formas.

— Ainda hoje predomina a busca passiva, que é aguardar o paciente com tosse procurar o posto de saúde para descobrir se é tuberculose. Porém, desta forma, há um retardo muito grande no diagnóstico. Precisamos criar mecanismos para que a avaliação e o diagnóstico sejam feitos precocemente — afirma.

Tuberculose no Brasil

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) revelam que o Brasil é um dos 22 países recordistas nos índices de incidência da tuberculose. Há uma estimativa de 80 mil a 90 mil novos casos ao ano e cinco mil óbitos.

Conforme o Marcelo, além dos doentes de fato, há os pacientes infectados.

— Um terço da população brasileira é portadora do bacilo da doença, mas não a desenvolve. Para desenvolvê-la, há a necessidade de uma alteração na resposta do organismo, que varia de pessoa para pessoa e depende de uma série de situações clínicas — diz.

Programa Nacional

Atualmente, toda a rede pública brasileira conta com o esquema de tratamento com dose fixa combinada, o mesmo esquema utilizado em quase todo o mundo.

— Temos estas políticas implantadas, porém a erradicação da tuberculose depende de todos. Os gestores de cada estado e município precisam ter em mente que a tuberculose é um problema sério e geral, devendo ser intensamente combatido — finaliza.

terça-feira, 22 de março de 2011

Conheça os benefícios do zinco para a saúde

Deficiência do mineral pode acarretar distúrbios de atenção, maior suscetibilidade às infecções virais e outros problemas

Fonte: Site Zero Hora - 21 de março de 2011.

O zinco é um mineral importante, sendo essencial para que inúmeras reações químicas ocorram no organismo. Ele está presente em mais de 300 enzimas, intervém no funcionamento de certos hormônios e é indispensável à síntese de proteínas, à reprodução e ao funcionamento normal do sistema imune.

Segundo a nutricionista Thais Souza, da Rede Mundo Verde, o zinco é necessário para a diferenciação das células do sistema imunológico, diferencia os linfócitos que percebem o invasor em células que o atacam e eliminam.

A deficiência de zinco está associada a uma maior susceptibilidade às infecções virais, uma vez que ele interfere na síntese das imunoglobulinas e na manutenção da função imune.

De acordo com a especialista, o zinco desempenha importante papel na reprodução, necessário para ovulação, produção e maturação do esperma e fertilização. A deficiência de zinco pode levar a diminuição do desejo sexual em mulheres e impotência nos homens.

Além disso, a deficiência de zinco também é prejudicial para o paladar e digestão que acarreta redução da percepção do gosto, com isso ocorre redução do apetite e a ingestão alimentar será prejudicada. O zinco apresenta ainda importante ação no processo digestório, pois auxilia na produção de ácido clorídrico, além de formar várias enzimas envolvidas na digestão dos alimentos.

O mineral participa ainda da formação de uma enzima cujo desequilíbrio pode ocasionar distúrbios de atenção. Quando há falta de zinco, podem ser observados sintomas como diminuição de memória, concentração e convulsões. Em casos mais graves de deficiência podem ocorrer distúrbios de comportamento.

— O zinco é fundamental para o adequado crescimento e desenvolvimento de crianças, sua deficiência pode acarretar diminuição da atividade motora, do desenvolvimento cognitivo e da massa óssea — afirma Thais.

O zinco e a saúde:

:: Osteoporose

O zinco promove aumento da atividade da vitamina D e é essencial para a formação óssea. A deficiência de zinco durante o crescimento pode prejudicar o acúmulo de massa óssea, também aumenta o risco de desenvolvimento de osteoporose, pois pode levar a queda significativa da massa óssea.

:: Diabetes

O zinco é um componente da insulina, atua como regulador da atividade da mesma. O zinco estimula a insulina a se ligar em receptores das membranas celulares, o que promove a entrada da glicose na célula.

:: Pele e unhas

Nutriente necessário para a cicatrização e produção de colágeno, proteína que dá sustentação a pele, está relacionado à manutenção de uma pele saudável. Sua deficiência pode ocasionar lesões na pele, má cicatrização, acne, manchas brancas nas unhas, entre outros problemas. Além disso, apresenta ação antioxidante, por isso está relacionado à prevenção do envelhecimento precoce da pele.

Confira alguns alimentos que são fonte de zinco:

:: Grão de bico;

:: Leguminosas, como ervilha, lentilha e feijão;

:: Semente de abóbora e cereais integrais, como arroz e aveia;

:: Oleaginosas, como a castanha de Caju e amêndias e gergelim;

:: Frutas: abacate, abacaxi, ameixa, banana, figo, framboesa, maça, manga, melão e morango, entre outras;

:: Legumes: abóbora, acelga, alface, agrião,batata, batata-doce, beterraba, brócolos, cebola, cenoura, cogumelo, couve e couve-flor;

:: Carne; fígado, peixe e os ovos.

sexta-feira, 18 de março de 2011

Teste do pezinho completa 10 anos em 2011, com uma série de disparidades

Se não é feito por completo, teste compromete o diagnóstico de doenças graves nas crianças

Fonte: Site Zero Hora - 17 de março de 2011.

Uma conquista inestimável para a infância brasileira, o Programa Nacional de Triagem Neonatal, que prevê o diagnóstico e tratamento de quatro doenças genéticas graves logo após o nascimento, completa 10 anos em 2011. Uma década depois da iniciativa do Ministério da Saúde, entretanto, a implantação efetiva dos exames, chamados popularmente de teste do pezinho, ainda se mostra desigual e lenta pelo país.

Um terço das unidades da Federação não passou da fase I do programa. Isso significa que, nesses locais, meninos e meninas nascidos na rede pública têm acesso apenas ao diagnóstico de duas das quatro patologias abrangidas pela política. Somente cinco estados já estão na última fase, a III.

As disparidades revelam a falta de articulação das políticas estaduais e municipais, na avaliação de Maria Terezinha de Oliveira Cardoso, presidente do Departamento Científico de Genética Clínica da Sociedade Brasileira de Pediatria.

— Entendemos que as realidades dos estados são diferentes, especialmente num país dessa dimensão. Mas 10 anos é um tempo suficiente para os administradores locais se prepararem. Não deveríamos ter estados muito atrasados — lamenta a médica.

Ela explica que a triagem do recém-nascido é necessária porque as doenças diagnosticadas com o teste do pezinho são graves e, muitas vezes, letais.

— Quando não incapacitam, levam ao óbito até os dois anos de idade. Então, esse é um programa que repercute muito na mortalidade infantil e precisa ser aperfeiçoado — diz.

Dos quase 3 milhões de bebês nascidos anualmente no Brasil, cerca de 82% têm acesso ao teste do pezinho para pelo menos duas doenças - fenilcetonúria e hipotireoidismo congênito, ambas ligadas à falta de produção de substâncias vitais para o corpo. Em termos proporcionais, o dado parece positivo. Mas ignora, em números absolutos, as 40 mil crianças que não são atendidas todos os anos. Em determinados estados, especialmente os do Norte do país, essa cobertura fica abaixo de 50%. É o caso do Amapá.

— Muitas mães dão à luz, ficam 24 horas no hospital, vão embora e não retornam. Falta um trabalho de conscientização no pré-natal para que ela volte entre o terceiro e o sétimo dia para fazer a coleta — explica Maria Terezinha, que além de representante da Sociedade Brasileira de Pediatria trabalha na Secretaria de Saúde do DF.

quarta-feira, 16 de março de 2011

Emergências seguem atendendo o tripo da capacidade na Capital

Simers considera que pessoas podem morrer com essa situação

Fonte: Marina Fauth / Rádio Guaíba - Site Correiro do Povo - 16 de março de 2011.

As emergências dos hospitais da Capital seguem superlotadas. Nos últimos dias, alguns setores têm operado com o triplo da capacidade. O Hospital Conceição, por exemplo, recebe até 900 pessoas todos os dias. Na manhã desta quarta-feira, 150 pacientes dividiam 50 leitos. Segundo a administração, 30% dos doentes vem de cidades da Grande Porto Alegre e 75% dos casos poderiam ser atendidos nos postos de saúde.

As instituições orientam que somente os casos graves sejam encaminhados às emergências do Sistema Único de Saúde (SUS). No Hospital de Clínicas, 116 pessoas estão em um espaço que comporta 49. No São Lucas, 32 pessoas dividem 15 leitos e na Santa Casa, 31 pacientes se aglomeram em uma ala que suporta até 12 pessoas.

O Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers) informou que há risco de que vidas deixem de ser salvas e o que os direitos humanos dos pacientes e dos profissionais de saúde estão sendo violados com essa situação. A Secretaria Municipal da Saúde adianta que serão feitos novos investimentos, entre eles a criação de 500 novos leitos nos setores de emergência até 2013.

terça-feira, 15 de março de 2011

Nova técnica com uso de nanopartículas pode evitar reincidência de câncer

Técnica consiste na filtragem de células cancerígenas que flutuam livremente pelo organismo

Fonte: Site Zero Hora - 14 de março de 2011.

Minúsculas e visíveis apenas pelas lentes de potentes microscópios, as nanopartículas, apesar de seu tamanho, podem ser uma poderosa arma contra a metástase do câncer de ovário. Uma pesquisa publicada no jornal especializado Nanomedicine forneceu os primeiros fundamentos para uma nova opção de tratamento, que evita a reincidência de tumores malignos. Menos invasiva do que uma cirurgia convencional, a técnica consiste na filtragem, fora do corpo, de células cancerígenas que flutuam livremente pelo organismo e, depois, geralmente, acabam se convertendo em um segundo tumor.

O método foi desenvolvido por pesquisadores do Georgia Institute of Tecnology, nos Estados Unidos, que trabalham com uma empresa de equipamentos médicos no objetivo de desenhar o protótipo utilizado no tratamento. O sistema utiliza nanopartículas magnéticas para capturar as células cancerígenas e tirá-las do organismo. Adicionadas a fluidos removidos do abdômen da paciente, essas estruturas grudam-se nas células doentes. Posteriormente, um filtro magnético remove tanto as nanopartículas quanto o câncer antes que o líquido retorne para o corpo da pessoa.

O experimento, por enquanto, só foi realizado em ratos de laboratório, mas se mostrou bastante promissor. Os pesquisadores esperam que o sistema resulte em múltiplos tratamentos para aumentar a expectativa de vida de pacientes com câncer de ovário. Eles advertem, contudo, que pesquisas adicionais precisam ser feitas para determinar a tecnologia ideal.

Tida como inofensiva, sinusite pode causar até perda da visão

Quem sofre com o problema conhece os sintomas tradicionais: dor de cabeça, sensação de peso na face, obstrução ou corrimento nasal.

Fonte: Site Zero Hora - 14 de março de 2011.

Mudanças bruscas de temperatura, excesso de poeira ou muita umidade. As variações climáticas são extremamente favoráveis à sinusite — ou, como preferem os especialistas no assunto, rinossinusite. Quem sofre com o problema conhece os sintomas tradicionais: dor de cabeça, sensação de peso na face, obstrução ou corrimento nasal. Aqueles que nunca passaram por ele não imaginam o quanto essas manifestações, aparentemente inofensivas, abalam o dia-a-dia. Muito confundida com outras "ites" que afetam as vias aéreas superiores, a doença pode até provocar a perda da visão, quando não tratada.

A sinusite não escolhe idade. Comum em adultos e crianças, a patologia pode se apresentar de forma aguda depois de um resfriado ou de uma crise de rinite. Esses problemas alteram a função de defesa do nariz, permitindo que os germes que penetram nos seios da face se acumulem. Diferentemente da rinite, a secreção produzida pela patologia é mais espessa e escura, o problema traz a sensação de peso na cabeça, especialmente na região da face, e, às vezes, febre.

De acordo com o otorrinolaringologista Luciano Freitas, o médico deve fazer uma rinoscopia — avaliação do interior do nariz e da garganta — para confirmar a sinusite e a dimensão do quadro. O tempo de evolução também pode ser usado como um fator de diferenciação.

Quando a avaliação clínica não é suficiente para o diagnóstico, os médicos lançam mão da tomografia facial ou da endoscopia nasal. Os exames indicam o tratamento e podem ainda descartar ou apontar outras doenças que promovem sintomas semelhantes. Segundo o médico, os antibióticos são importantes para tratar a sinusite, por conta da infecção bacteriana característica, assim como os anti-inflamatórios e a medicação para a dor.

— É comum o paciente chegar ao consultório dizendo ter sinusite quando tem apenas rinite ou vice-versa. As pessoas se automedicam e isso posterga um tratamento adequado. A avaliação médica é essencial — alerta o médico.

A rinite, uma inflamação leve da mucosa nasal, não provoca infecção. No entanto, se não cuidada, pode desencadear a sinusite. Em algumas situações, a doença se torna crônica e gera males mais graves.

Entenda a doença

Sintomas

:: Sensação de "peso na face", corrimento nasal, dores de cabeça, espirros, obstrução nasal, com presença de catarro purulento e sanguinolento, mal-estar e febre.

Como se adquire?

:: Após infecção viral, inflamação de origem alérgica (fungos ou bactérias) ou por poluentes, a mucosa da região nasal aumenta de volume e obstrui a comunicação das cavidades com as fossas nasais. A obstrução acarreta o início da colonização por germes e fungos que estão presentes na região, mas não encontravam condições favoráveis ao seu crescimento.

Os resfriados

:: A sinusite quase sempre se manifesta depois de um resfriado. Cerca de 90% dos indivíduos resfriados apresentam alterações nos seios da face (cavidades aeradas no interior dos ossos que se localizam ao lado do nariz ou nas maçãs do rosto), mas apenas 10% evoluem para sinusite.

Tratamento

:: Deve-se primeiro aliviar os sintomas de dor, febre e obstrução nasal.

:: A aplicação de descongestionantes locais ou sistêmicos ajuda a melhorar as drenagens, mas o uso de vasoconstritores deve ser feito com cuidado, por tempo limitado.

:: Além do descongestionante, são prescritos antibióticos orais e anti-inflamatórios que auxiliam no combate à dor.

:: Às vezes, devido às condições anatômicas do nariz (desvio de septo, um pequeno tumor, um pólipo) ou por tratar-se de um germe mais resistente, faz-se necessária uma intervenção cirúrgica.

Fonte Original: Manual Merck de Informação Médica e Academia Brasileira de Rinologia

Postagens Populares

Vídeos da Abrasus

Loading...

3º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2012

Abaixo, fotos do 3º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2012.



PALESTRA "TUBERCULOSE, CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS"

PALESTRA "TUBERCULOSE, CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS"

PALESTRA "FRATERNIDADE E SAÚDE PÚBLICA"

PALESTRA "FRATERNIDADE E SAÚDE PÚBLICA"

2º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2011

Abaixo, fotos do 2º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2011.

PALESTRA "CÂNCER DE MAMA: PREVENÇÃO, TRATAMENTOS E DEPOIMENTOS"

PALESTRA "CÂNCER DE MAMA: PREVENÇÃO, TRATAMENTOS E DEPOIMENTOS"

PALESTRA "FRAGILIDADE NA TERCEIRA IDADE"

PALESTRA "FRAGILIDADE NA TERCEIRA IDADE"

PALESTRA “DIABETE E SEXUALIDADE”

PALESTRA “DIABETE E SEXUALIDADE”
Evento realizado em 27 de outubro de 2011.

PALESTRA "CENTROS DE REFERÊNCIAS PARA DOENÇAS REUMATOLÓGICAS NO SISTEMA PÚBLICO"

PALESTRA "CENTROS DE REFERÊNCIAS PARA DOENÇAS REUMATOLÓGICAS NO SISTEMA PÚBLICO"
Evento realizado em 28 de setembro de 2011.

PALESTRA “HEPATITES”

PALESTRA “HEPATITES”
Evento realizado em 17 de junho de 2011.

Palestra "A Importância do Exercício Físico Para a Qualidade de Vida"

Palestra "A Importância do Exercício Físico Para a Qualidade de Vida"
Evento realizado em 7 de abril de 2011.

1º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2009-2010

Abaixo, fotos do 1º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2009-2010.

Palestra ABRASUS - O que "É" e O que "FAZ"

Palestra ABRASUS - O que "É" e O que "FAZ"
Último evento do 1º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2009-2010, realizado em 25 de novembro de 2010.

Palestra "Atribuições da Defensoria Pública da União"

Palestra "Atribuições da Defensoria Pública da União"
Evento realizado em 30 de setembro de 2010.

Palestra "Fumo: As Razões da Abstinência"

Palestra "Fumo: As Razões da Abstinência"
Evento realizado em 5 de agosto de 2010.

Palestra "Proteja-se Contra o Câncer"

Palestra "Proteja-se Contra o Câncer"
Evento realizado em 27 de maio de 2010.

Palestra "Assistência à Saúde Mental Pelo SUS"

Palestra "Assistência à Saúde Mental Pelo SUS"
Evento realizado em 25 de março de 2010.

Palestra "Cuidadores de Idosos"

Palestra "Cuidadores de Idosos"
Evento realizado em 19 de novembro de 2009.

Mais Eventos

Abaixo, fotos de outros eventos realizados pela Abrasus e eventos que contaram com a participação da Entidade.

ABRASUS em nova sede

ABRASUS em nova sede
Evento realizado em 25 de maio de 2009.

Iara Trovão - Presidente à época - apresentando a Associação.

Entrevista com o Vereador Reginaldo Pujol.

Entrevista com Ivo Fortes - Conselheiro Suplente da ABRASUS.

ABRASUS vai a Natal - RN em dez/2008

ABRASUS vai a Natal - RN em dez/2008
Reunião com Associações congêneres no Hospital Psquiátrico Prof. Severino Lopes.

Iara Trovão - Presidente à época - apresentando a Abrasus.

Público que prestigiou o evento.

Dra. Rosane Rempel apresentando o Jurídico da Abrasus.

Presidente do Sindisaúde de Natal comentando sobre o evento.