terça-feira, 31 de maio de 2011

Cinco emergências de Porto Alegre operam com mais que o dobro da capacidade nesta terça-feira

Somente no Hospital Conceição, são 166 pacientes para 50 leitos

Fonte: Site Zero Hora - 31 de maio de 2011.

Pelo menos cinco emergências da Capital atendem mais que o dobro da sua capacidade nesta terça-feira. Um dos casos mais graves é o do Hospital Conceição, que atende 166 pacientes em 50 leitos, ou seja, mais de três vezes o número ideal.

Outros quatro hospitais trabalham com mais que o dobro do número recomendado. São eles: o Hospital de Clínicas, que atende 114 pacientes em 49 vagas, o São Lucas, da Pucrs, que tem 43 adultos para 15 vagas, o Dom Vicente Scherer e o Hospital Santa Clara, ambos do complexo Santa Casa, com 21 pacientes para 10 vagas e 28 para 12, respectivamente. Devido à superlotação, a emergência do hospital Dom Vicente Scherer está fechada desde a noite de segunda-feira.

O Hospital Ernesto Dornelles está restringindo os atendimentos a casos de urgência para que não ocorra superlotação. As duas únicas emergências que têm vagas são as dos Hospitais Moinhos de Vento e Mãe de Deus.

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Saiba como observar os sinais para o diagnóstico precoce do Alzheimer

Esquecimento de fatos recentes é um dos sintomas mais comuns do início da doença

Fonte: Site Zero Hora - 29 de maio de 2011.

Esquecer o guarda-chuva, o local onde estacionou o carro ou não fazer ideia do nome daquela pessoa que você acabou de conversar são situações pra lá de constrangedoras. Quem nunca passou por isso? Porém, se essas falhas de memória começam a ficar frequentes demais, é hora de ligar o alerta vermelho.

Segundo Cássio Bottino, psiquiatra e coordenador do Programa Terceira Idade (Proter), da Universidade de São Paulo (USP), esquecimento de fatos recentes é um dos sintomas mais comuns do início da Doença de Alzheimer (DA), que afeta principalmente pessoas que ultrapassaram a faixa dos 65 anos.

— Se analisarmos somente as falhas de memória, não é possível afirmar que é Alzheimer. O esquecimento de alguns fatos pode ser fruto de alguma dificuldade pela qual a pessoa possa estar passando, problemas familiares, sobrecarga de trabalho, depressão, alcoolismo, drogas, entre outros — esclarece Bottino.

Porém, o diagnóstico precoce é a chave para impedir que os efeitos da doença avancem e comprometam a qualidade de vida do idoso. A DA tem evolução lenta, e essa é uma forte barreira para sua detecção. Nesse sentido, a participação e observação da família torna-se fundamental. Prestar atenção nas mudanças de comportamento e fazer uma comparação com pessoas da mesma idade é uma boa forma de saber se é hora de procurar tratamento.

Se há diagnóstico de Alzheimer, é preciso saber que os esquecimentos aumentarão em frequência, já que a doença não tem cura. Estimular a pessoa a manter a mente ativa, seja através de leitura, jogos ou atividades físicas é essencial. E para quem já tem DA, essas medidas e o tratamento medicamentoso com inibidores da acetilcolinestinesterase, podem retardar de forma significativa o declínio da função cognitiva em pacientes com DA leve a moderada. O médico deve ser sempre procurado para avaliar e indicar o tratamento mais adequado para cada paciente.

Fique atento aos principais sintomas da doença:

:: Perda de memória recente, com esquecimentos frequentes e incapacidade de relembrar assuntos.

:: Dificuldade para realizar atividades rotineiras, como preparar uma refeição ou fazer uma ligação.

:: Desorientação espacial, incluindo esquecimentos de onde está e como chegou a tal local.

:: Poder de julgamento e raciocínio abaixo do normal. Exemplos: vestir-se de forma inapropriada, com várias camadas de roupa em dias quentes ou pouca vestimenta em dias frios.

:: Problemas com pensamento abstrato, com dificuldade acima do comum para realizar raciocínios mentais.

:: Errar o lugar das coisas, como colocar o ferro de passar no freezer.

:: Mudanças de humor e comportamento sem motivos aparentes. O paciente pode ir de um estado calmo ao depressivo e raivoso em pouco tempo.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

ABRASUS alerta para os problemas no Centro de Saúde Vila dos Comerciários

Fonte: ABRASUS - 25 de maio de 2011.

Representantes da Associação Brasileira Em Defesa dos Usuários de Sistemas de Saúde (ABRASUS), estiveram no início de maio, no Centro de Saúde Vila dos Comerciários, na Capital, quando constataram a veracidade das denúncias realizadas por alguns usuários do posto. Entre elas: estrutura física precária e falta de recursos humanos.


Representantes da ABRASUS chegando ao Centro de Saúde Vila dos Comerciários
Os integrantes da Associação foram recebidos pelo diretor do estabelecimento Dr. Rodrigo Silva, que explicou as dificuldades para recompor o grupo de funcionários. Ocorre que os trabalhadores concursados e nomeados na área da saúde foram designados para suprir às necessidades geradas pela demissão dos profissionais vinculados à Fundação Riograndense Universitária de Gastroenterologia (Fugast), que prestavam serviços em hospitais como o Presidente Vargas e o Psiquiátrico São Pedro. Sobre os problemas na estrutura da unidade, Silva concorda que eles existem, mas não diferem dos encontrados em outros postos.

A ABRASUS pretende se reunir em breve com responsáveis pela Secretaria Municipal de Saúde, a fim de apresentar relatório apontando as precariedades observadas na Vila dos Comerciários.

Falta de estrutura e de profissionais no Posto IAPI

Fonte: ABRASUS - 25 de maio de 2011.

A fim de verificar as condições de atendimento do Posto IAPI, em Porto Alegre, representantes da Associação Brasileira Em Defesa dos Usuários de Sistemas de Saúde (ABRASUS) estiveram visitando o local na tarde do dia 25 de abril. No encontro com o diretor da unidade Marcos Rapke, comprovaram que a estrutura é extremamente precária e a falta de profissionais de diversas áreas prejudica o funcionamento dos serviços oferecidos.

Representantes ABRASUS com o Diretor do IAPI - Dr. Marcos Rapke
Conforme o diretor, o prédio de 20 mil m² erguido na década de 60 precisa de melhorias. Embora várias alas tenham sido reformadas, há necessidade de consertos no telhado, na parte elétrica e na rampa de acesso — desnivelada e quase caindo. “É um perigo para quem utiliza o local”, afirmou a presidente da ABRASUS, Terezinha Alves Borges.

Desnível na rampa de acesso ao local

Rachadura na rampa
Quanto aos recursos humanos, Rapke esclarece que a ausência se deve por vários fatores, tais como exoneração de funcionários, aposentadorias e a falta de concurso público. “Há dificuldade de repor muitos profissionais que se aposentam, porque eram federais ou estaduais e não conseguimos enquadrar na matrícula do município”, declarou.

O posto está sem ortopedista desde o ano passado. O diretor não considera isto como um grande problema, pois o especialista que se aposentou prestava consultas médicas, não realizava outros procedimentos. Cirurgias nesta especialidade não ocorrem no IAPI. Segundo Rapke, para se ter um ortopedista seria interessante trabalhar com o pacote: procedimentos e cirurgia. Ele explica que hoje a maior carência se dá nas áreas de reumatologia e cardiologia.

A realidade de quem precisa de atendimento

Por outro lado, quem procura por avaliação de um ortopedista terá que esperar pelo agendamento no hospital de referência, feito pelo posto. Este é o caso da cozinheira de 58 anos, Ana Terezinha de Oliveira. Ana está desde julho de 2010 aguardando a chamada. “Caí, tenho dores no joelho. Ele está inchado, e quem está me atendendo é um clínico, que agora me encaminhou para a fisioterapia. Quando pergunto no posto quando vou conseguir um ortopedista eles dizem que provavelmente a consulta no hospital seja daqui a dois anos”, reclama a usuária.

Representantes da ABRASUS com paciente que espera por atendimento de Ortopedista
Para os integrantes da ABRASUS esta situação é absurda. “Uma pessoa não pode esperar tanto tempo para conseguir uma consulta. Conversaremos com o Secretário Municipal da Saúde. Nosso objetivo é auxiliar os usuários do Sistema. Vamos expor o que vimos aqui”, afirmou a presidente da Associação.

Mais fotos da visita:

Rachaduras no teto do Posto IAPI

Teto do posto embolorado

terça-feira, 24 de maio de 2011

Três emergências da Capital operam com o triplo da capacidade

Superlotação atinge no total quatro unidades. Outras quatro estão lotadas

Fonte: Site Zero Hora - 24 de maio de 2011.

As emergências dos hospitais Nossa Senhora da Conceição, São Lucas da PUCRS e Hospital de Clínicas, em Porto Alegre, atendem nesta manhã um número de pacientes três vezes maior do que o de suas capacidades.

No Conceição, havia 166 pacientes para 50 leitos. No São Lucas, eram 45 para 15, e no Hospital de Clínicas, por volta das 11h30min, eram atendidos 152 adultos em uma estrutura para abrigar apenas 49.

Segundo o chefe do serviço de emergência do Clínicas, Jefferson Piva, o aumento no número de pacientes tem relação direta com a greve dos servidores municipais e a consequente paralisação dos postos de saúde, iniciada ontem.

A mobilização prejudicou o atendimento nas unidades de saúde mantidas pelo município e poderia acarretar na migração de pacientes dos postos de saúde para outros hospitais. No Hospital de Pronto-Socorro (HPS), por exemplo, cerca de 20 servidores do pronto-atendimento paralisaram no início da manhã de ontem.

Apenas casos de emergência eram atendidos. Alguns postos de saúde também tiveram restrições. Apesar da tentativa de negociação, governo municipal e sinidicato não conseguiram chegar a um consenso e a greve foi mantida.

— A demanda aumentou muito desde ontem, inclusive durante a madrugada. Vínhamos recebendo entre 100 e 110 pacientes diariamente nas últimas semanas e hoje estamos com mais de 150. Tivemos de mudar todo nosso sistema de organização de ontem para cá — afirma Piva.

Segundo ele, o aumento maior foi observado na categoria de pacientes classificados como risco verde — de menor gravidade. O atendimento a esse grupo subiu 20% nos ultimos dois dias, de acordo com Piva.

— Não há dúvida nenhuma que seja reflexo da greve — afirmou.

Nas emergências dos hospitais da PUCRS e Conceição, apesar do grande volume de pacientes atendidos, não se verificou um aumento significativo que possa ser relacionado com a greve, conforme informaram as assessorias das instituições.

De acordo com levantamento feito por Zerohora.com, outras quatro emergências estão lotadas, entre elas, a do Hospital Ernesto Dornelles. A administração da instituição informou que o atendimento é restrito a casos de urgência e recomendou que pacientes menos graves procurem atendimento em outros hospitais que aceitem os mesmos convênios. Nos últimos dias, o hospital vem apresentando problema semelhante, segundo sua assessoria, relacionado principalmente às baixas temperaturas, que agravam as doenças respiratórias.

Remédio contra a osteoporose: azeite de oliva

Polifenóis presentes no azeite reduzem os radicais livres, prevenindo o envelhecimento e as doenças crônico-degenerativas

Fonte Site Zero Hora - 23 de maio de 2011.

Conhecido pelo combate a doenças e recomendado para quem quer uma alimentação saudável, o azeite de oliva, de acordo com a ciência, pode ajudar também no combate a osteoporose. Isso é o que conclui um estudo da Universidade de Córdoba, na Espanha, que diz que o produto contém oleuropeína, um polifenol que aumenta a quantidade de osteoblastos, células que fabricam ossos do corpo humano.

A oleuropeína está presente no azeite de oliva, que é capaz de aumentar a quantidade de osteoblastos, células que fabricam osso novinho em folha.

— O tecido ósseo é dinâmico, destruído e construído constantemente, e os osteoblastos ajudam justamente a realizar a reconstrução — explica o geriatra e médico ortomolecular Rogério de Oliveira.

A oleuropeína é o principal composto fenólico presente nas folhas e no fruto da oliveira. A azeitona tem alto teor de ácidos graxos monoinsaturados e possui diversos minerais em sua composição, como cálcio, fósforo, potássio, magnésio, enxofre e cloro, e é também rico em polifenóis, substâncias químicas vegetais com fortes propriedades antioxidantes.

— Ao prevenir oxidações biológicas, os polifenóis reduzem a formação de radicais livres, prevenindo, assim, o envelhecimento e as doenças crônico-degenerativas, como a osteoporose — explica o geriatra.

O azeite de oliva ajuda a prevenir alguns dos estragos provocados pela ação desses agressores, mas é bom que se diga, não faz milagres: não rejuvenesce, não cura e não baixa o colesterol se a pessoa continua mantendo uma dieta cheia de carnes, queijos e outros alimentos fartos em gordura saturada.

Os benefícios do azeite também não são imediatos: podem vir a médio e longo prazos e variam de acordo com o metabolismo. Mesmo o azeite sendo um alimento que não faz mal, não pense que pode ingeri-lo à vontade, pois o mesmo também contém grandes teores de calorias. Como qualquer alimento, se for consumido em grande quantidade, ou seja, consumido de maneira exagerada, passará a ser um problema para sua saúde, por isso, é importante saber que o máximo de azeite ingerido por dia deve ser duas colheres de sopa, que equivalem a 128 calorias por dia.

Comitê técnico realiza reunião para discutir Avaliação do SUS

Formado por representantes do Ministério da Saúde, Conass, Conasems, FioCruz e especialistas, o comitê vai consolidar a proposta que está em consulta pública

Fonte: Site Zero Hora - 23 de maio de 2011.

O Comitê Técnico Assessor para o acompanhamento do Programa de Avaliação para Qualificação do Sistema Único de Saúde (SUS) realizou a sua primeira reunião na última quinta-feira, dia 19, no Ministério da Saúde. O projeto do programa continua em consulta pública no portal da saúde, cujo prazo se encerra dia 8 de junho (http://www.saude.gov.br/consultapublica).

Durante o debate, o diretor do Departamento de Monitoramento e Avaliação do SUS (DEMAS), Paulo de Tarso, ressaltou que não houve discordância da metodologia do projeto, mas apenas observações que serão encaminhadas. Nos próximos dias, os representantes do governo no comitê vão trabalhar nos ajustes do modelo avaliativo, em diálogo com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e Conselho Nacional das Secretarias Municipais de Saúde (Conasems). O resultado será apresentado em uma nova reunião ainda sem data definida.

De acordo com o coordenador-geral de Monitoramento e Avaliação do DEMAS, Afonso Teixeira, tanto a consulta pública quanto o comitê são canais de participação da sociedade para a elaboração do projeto definitivo.

— Ouvindo críticas e sugestões, poderemos aperfeiçoar o Programa — observou o coordenador.

Até o último dia 9, a consulta pública contou com 20 colaboradores que enviaram 49 contribuições.

O comitê é formado por representantes das secretarias do Ministério da Saúde, Fundação Fiocruz, Conass, Conasems, além de especialistas.

O objetivo da proposta é reunir indicadores capazes de medir e retratar a situação atual das ações de Saúde. O enfoque é, sobretudo, em duas dimensões: acesso e qualidade. Este será o primeiro indicador nacional (respeitando as especificidades regionais) capaz de medir a situação atual das redes de atenção à saúde do país.

Transparência

A nova ferramenta dará transparência à qualidade dos serviços e ações prestados pelo SUS e permitirá o aprimoramento do sistema, uma vez que, ao se identificar as deficiências, será possível propor ações de correção e direcionar os investimentos de forma mais eficiente.

O programa tem por meta avaliar o desempenho dos sistemas de saúde que são componentes do SUS em sua abrangência municipal e regional, a partir daí, buscar o aperfeiçoamento do sistema, subsidiando os gestores municipais, estaduais e federais na tomada de decisões.

O método de avaliação que está sendo proposto tem como inspiração o Projeto Desenvolvimento de Metodologia de Avaliação do Desempenho do Sistema de Saúde Brasileiro (Pro-ADESS) do ICICT-Fiocruz que reviu experiências internacionais (OMS, Inglaterra, Canadá e outros) A proposta também considerou experiências nacionais, como, o Pacto pela Saúde e outras iniciativas de avaliação do Ministério da Saúde.

Fonte Original: Ministério da Saúde

quinta-feira, 19 de maio de 2011

No Dia Mundial de Conscientização sobre Hepatites, campanha alerta para detecção precoce

De acordo com a OMS, mais de cinco milhões de brasileiros desconhecem que estão infectados com o vírus da hepatite

Fonte: Site Zero Hora - 19 de maio de 2011.

Quando o assunto é hepatite, o tempo e a informação são determinantes. Lideradas pelo Grupo Otimismo de Apoio ao Portador de Hepatite, 42 Ongs e associações de pacientes de todo o país realizam nesta quinta-feira, 19, o Dia Mundial de Prevenção e Luta contra Hepatites, uma campanha nacional de conscientização sobre a doença que afeta mais de cinco milhões de brasileiros.

Cerca de 500 milhões de pessoas em todo o mundo estão atualmente infectadas com os vírus das hepatites B ou C. Isto é 10 vezes mais do que o número de pessoas infectadas com o vírus HIV/AIDS.

A campanha “Ajude a salvar uma vida. Pode ser a sua. Faça o teste das hepatites” visa alertar para a importância da detecção precoce das hepatites B e C, além de conscientizar para a realização do exame de sangue, principal forma para detectar se a pessoa tem ou não uma hepatite viral.

— Por não apresentar sintomas, principalmente nos casos do tipo C, a maior parte das pessoas não sabe que está doente. Por isso, esse tipo de campanha é fundamental para incentivar a população a fazer o teste de detecção, que é gratuito na rede pública. Quando a doença é diagnosticada e tratada precocemente, tem cura — ressalta Carlos Varaldo, presidente do Grupo Otimismo e ex-portador de hepatite C.

A doença

Considerada um problema de saúde pública, a hepatite é uma doença infecciosa viral, contagiosa e inflamatória do fígado que compromete as funções do órgão. Com maior incidência, as hepatites B e C são transmitidas por um vírus, HBV e HCV respectivamente, sendo o contágio feito através de sangue contaminado, ato sexual ou ao nascimento (contato do sangue contaminado da mãe com o feto).

Com o avanço da Medicina, novos medicamentos são incorporados ao tratamento, aumentando significativamente as chances de cura das hepatites virais.

Cerca de 500 milhões de pessoas em todo o mundo estão atualmente infectadas com os vírus da hepatites B ou C. Isto é 10 vezes mais do que o número de pessoas infectadas com o vírus HIV/AIDS.

Para mais informações sobre hepatites acesse: http://www.hepato.com/

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Empresas gaúchas suspeitas de fraude na saúde teriam negociado com 400 prefeituras

PF prendeu pelo menos dois secretários municipais de saúde nesta manhã

Fonte: Site Zero Hora - 16 de maio de 2011.

A Polícia Federal (PF) desarticulou nesta segunda-feira uma quadrilha suspeita de operar um esquema nacional de fraudes na compra de medicamentos e equipamentos hospitalares. De acordo com a (PF), pelo menos 400 prefeituras de todo o país teriam negociado com empresas suspeitas de comandar o esquema, localizadas no norte do Rio Grande do Sul. Pelo menos dois secretários de Saúde foram presos — em Pinhal da Serra e Mariano Mouro.

— Nem todas as cidades relacionadas sabiam da fraude, muitas delas podem ter negociado com as empresas sem ter conhecimento do esquema — afirma o delegado regional da Polícia Federal José Antonio Dornelles.

Foram confirmadas as prisões de 24 pessoas no Rio Grande do Sul. No total, a Operação Saúde cumpre 64 mandados de prisão em sete unidades da federação: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pará e Rondônia.

Em território gaúcho, são 27 mandados de prisão, sendo 21 deles na cidade de Barão do Cotegipe, onde, segundo a PF, ocorria a maior parte da fraude — na cidade, que tem 6 mil habitantes, haveria 15 empresas distribuidoras de medicamentos.

As organizações criminosas investigadas atuavam no desvio de verbas públicas federais destinadas pelo governo federal à compra de medicamentos pelas prefeituras. As empresas envolvidas participavam de uma mesma licitação em determinado município e operavam as propostas de modo que sempre o mesmo grupo acabava vencedor.

Os responsáveis pelo setor de compras ou secretarias municipais de sáude compravam os medicamentos necessários à população, com preços superfaturados, e muitas vezes os remédios sequer chegavam a ser entregues.

— Eles se organizavam em pelo menos três grandes grupos de empresas, que participavam das licitações. Um deles faturou 40 milhões somente em 2009 e outros 70 milhões em 2010 — afirma Dornelles.

Conforme o chefe da delegacia de Passo Fundo, Paulo Bulgos de Andrade, em alguns dos municípios, os medicamentos entregues pelas empresas envolvidas na fraude estavam vencidos ou próximos da data de vencimento e eram de má qualidade.

Servidores públicos envolvidos

Entre os envolvidos, estariam 34 funcionários públicos — entre eles secretários de Saúde — e 30 pessoas ligadas a empresas fornecedoras de medicamentos.

Em Erechim a operação começou cedo. Na casa de um funcionário da prefeitura responsável pelo setor de compras, foram apreendidos documentos. O funcionário havia viajado na madrugada para Porto Alegre, segundo a esposa, a serviço. Ele deve ser abordado no caminho.

Outras duas empresas distribuidoras de medicamentos tiveram mandado de busca e apreensão e prisões efetuadas na cidade. Documentos destas empresas também foram levados de um escritório de contabilidade no centro de Erechim.

Em Mariano Moro, o secretário municipal de saúde foi preso. Em Barão de Cotegipe, onde existem 15 empresas de distribuição de medicamentos, sete empresas sofreram mandados de busca e apreensão e várias pessoas foram presas.

Em Sarandi, outro funcionário do setor de compras da prefeitura foi preso. Em Pinhal da Serra, a secretária municipal de saúde também foi presa.

terça-feira, 10 de maio de 2011

Entenda a relação entre câncer e obesidade

Alterações causadas pela obesidade podem levar ao desenvolvimento de tumores

Fonte: Site Zero Hora - 9 de maio de 2011.

A velha recomendação de que manter-se no peso ideal é uma questão de saúde, mais do que apenas de estética, tem um argumento a seu favor: o excesso de peso poderia aumentar o risco de surgimento de um câncer.

Segundo o médico Amândio Soares, o acúmulo de gordura pode alterar o funcionamento dos hormônios sexuais (o estrógeno e a progesterona, para as mulheres, e os androgênios, para os homens), dos níveis de insulina, responsável por controlar a quantidade de açúcar no sangue, além de aumentar a chance de inflamações em obesos. Em razão dessas alterações causadas pela obesidade, há maior propensão de desenvolvimento de tumores de mama, do intestino grosso e do endométrio, camada fina do útero responsável pela menstruação.

O médico lembra ainda a existência de estudos que relacionam a obesidade também aos cânceres de vesícula biliar, de ovário e de um subtipo específico de câncer de esôfago, chamado adenocarcinoma.

— Entretanto, novas evidências serão ainda necessárias para uma conclusão definitiva — ressalta.

Nas mulheres obesas, após a menopausa, as chances de ocorrência de um câncer de mama, segundo tipo mais frequente no mundo, podem ser 1,5 vezes maiores em comparação àquelas com o peso indicado. Já para os homens, o excesso de peso é um fator que favorece o desenvolvimento do câncer de intestino grosso.

Prevenção

Ainda não há pesquisas mais aprofundadas para dizer exatamente se o consumo de dado alimento estaria ou não ligado ao aparecimento de um tumor. Mas estudos observacionais indicam que alguns alimentos devem ser evitados ou consumidos em pouca quantidade como, por exemplo, carnes vermelhas, frituras e alimentos defumados. Também seguem a mesma restrição aqueles que contêm conservantes, usados em enlatados, refrigerantes e embutidos, como salsichas, salame e presuntos. Grandes quantidades desses alimentos podem levar, gradualmente, ao surgimento de câncer de estômago.

Defumados e churrascos, por serem impregnados por alcatrão vindo da fumaça do carvão, o mesmo encontrado na fumaça do cigarro, devem também ser consumidos em menor quantidade.

Por isso, o médico sugere a adoção de alguns hábitos que podem contribuir para a prevenção de cânceres em geral. Frutas, verduras, legumes e cereais integrais contêm nutrientes, tais como vitaminas, fibras e outros compostos, que auxiliam as defesas naturais do corpo a destruírem os agentes cancerígenos antes que eles causem sérios danos às células. O consumo regular de água também é muito importante para manter a boa saúde.

As fibras, apesar de não serem digeridas pelo organismo, ajudam a regularizar o funcionamento do intestino, reduzindo o tempo de contato de substâncias cancerígenas com a parede do intestino grosso.

SUS passa a oferecer novos tratamentos odontológicos

Ministério da Saúde incluiu implantes e aparelhos ortodônticos no Programa Brasil Sorridente

Fonte: Site Zero Hora - 9 de maio de 2011.

Os brasileiros tem agora duas novas opções de tratamento odontológico oferecidos pelo Programa Brasil Sorridente: ortodontia e implante dentário. O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, anunciou na última semana a inclusão dos procedimentos na tabela do Sistema Único de Saúde (SUS), durante a 3ª Reunião Ordinária da Comissão Intergestores Tripartite. A oferta dependerá da organização das secretarias estaduais e municipais de Saúde, que ficam responsáveis pelos serviços e expansão da iniciativa na região.

Segundo dados da Pesquisa Nacional de Saúde Bucal (SB Brasil 2010), 35% da população brasileira possui alguma disfunção que necessita de tratamento ortodôntico.

— Esses novos tratamentos serão ofertados, na medida em que os serviços forem sendo implantados nos Centros de Especialidades Odontológicas (CEOs). As Equipes de Saúde Bucal (ESB) farão a busca e a identificação dos casos prioritários, que serão encaminhados aos CEOs para realizarem os tratamentos indicados — explica o coordenador de Saúde Bucal do Ministério da Saúde, Gilberto Pucca.

Somente em 2010, o Programa Brasil Sorridente investiu R$ 710 milhões em ações de saúde bucal. Com a inclusão dos novos procedimentos, a previsão de investimento total para 2011 é de um acréscimo de R$ 134 milhões. Atualmente, são mais de 20,4 mil ESB presentes em 4.829 municípios brasileiros.

Depois de avaliados, os pacientes que tiverem necessidade de implante ou aparelho ortodôntico são encaminhados para algum dos 853 centros em funcionamento em todos os 26 estados e no Distrito Federal.

Por meio dessa ação, o governo federal ampliará a assistência em saúde bucal para mais 1,15 milhão de brasileiros em 2011 (um milhão de atendimentos de ortodontia e 150 mil atendimentos de implantes). Em 2010, foram realizados 25 milhões de atendimentos nos CEOs. Esses centros já realizam procedimentos como canal, tratamento de gengiva, cirurgias orais menores, exames para detectar câncer bucal e intervenções estéticas.

Assistência

A ortodontia faz a correção, por meio de aparelhos bucais, do posicionamento dos dentes e da mordida, evitando problemas com dores e desconforto. Já o implante dentário visa à substituição de dentes perdidos. O implante pode substituir um único dente, ou mesmo toda a arcada dentária, através das "overdentures" (dentaduras fixadas na boca por meio de implantes).

Os recursos para a inclusão dos novos tratamentos no Programa Brasil Sorridente serão repassados diretamente pelo Fundo Nacional de Saúde (FNS) para as secretarias estaduais e municipais de saúde, responsáveis pela gestão dos CEO's. Os pagamentos serão liberados de acordo com a produção apresentada pelo município.

Qualidade no atendimento

Lançado em 2004 pelo Ministério da Saúde, o Programa Brasil Sorridente está inserido na Estratégia Saúde da Família (ESF) e tem como objetivo garantir as ações de promoção, prevenção e recuperação da saúde bucal dos brasileiros.

O aumento da oferta de serviços públicos de saúde bucal e de ações preventivas poupou a extração de 400 mil dentes por ano no país. A segunda Pesquisa Nacional de Saúde Bucal (SB Brasil 2010) constatou, para a população adulta, redução de 30% no número de dentes cariados, queda de 45% no número de dentes perdidos por cárie, além do aumento de 70% no número de dentes tratados, entre 2003 e 2010. O estudo também revelou crescimento de 57% nos atendimentos odontológicos no SUS.

Os bons indicadores da SB Brasil 2010 ajudaram o Brasil a ser classificado (segundo os parâmetros da Organização Mundial de Saúde) como país com baixa prevalência de cárie. A proporção de crianças livres de cárie aos 12 anos cresceu de 31% para 44%. Isso significa que 1,4 milhão de crianças não têm nenhum dente cariado atualmente — 30% a mais que em 2003.

Fonte Original: Agência Brasil

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Risco de contrair tuberculose pode ser 70 vezes maior entre a população de rua

Um grande impeditivo ao acolhimento do morador de rua pelo SUS é o preconceito

Fonte: Site Zero Hora - 5 de maio de 2011.

A alta incidência de tuberculose entre pessoas que vivem nas ruas dos grandes centros urbanos é o foco da Oficina Regional Sul de Tuberculose e População em Situação de Rua, que está sendo realizada entre esta quinta, 6, e sexta-feira, 7, na capital gaúcha.

Estudos realizados no Distrito Federal, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre apontaram taxas de incidência de tuberculose de 1.576 casos por 100 mil habitantes a 2.750/100 mil entre pessoas que vivem nas ruas. Na população geral, a taxa é de 38 por 100 mil habitantes. Isso significa que a incidência de casos de tuberculose na população de rua pode ser até 70 vezes maior em relação à média nacional.

Outro estudo realizado recentemente detectou taxa incidência de 1.839 casos por 100 mil entre moradores da cidade do Rio de Janeiro. Tomando por base a taxa da população geral (38/100 mil), o dado representa incidência 48 vezes maior do que a média no país.

Um dos problemas relacionados ao atendimento do morador de rua nos serviços de saúde é o preconceito, grande impeditivo ao seu acolhimento no SUS. Por isso a necessidade de articular nos municípios os serviços de saúde e assistência social para lidar com essa demanda. Quando superado esse obstáculo, o desafio é assegurar o cumprimento do tratamento de forma adequada por pessoas que vivem em condições de pobreza extrema.

Diante desse cenário, o objetivo da oficina é mobilizar gestores e sociedade civil para a criação de um fluxo de trabalho que reduza os obstáculos existentes no atendimento prestado a esta população no Sistema Único de Saúde (SUS).

Redução

O Brasil reduziu de 73.673 para 70.601 o número de casos novos de tuberculose entre 2008 e 2010 — o que representa 3 mil casos novos a menos no período. Com a redução, a taxa de incidência (número de pacientes por 100 mil habitantes) baixou de 38,82 para 37,99. São números positivos, mas que ainda fazem da tuberculose um dos principais problemas de saúde pública do Brasil, exigindo esforços para acelerar a diminuição do número de novos casos.

terça-feira, 3 de maio de 2011

"Asma não é situação permanente de sofrimento", garante pneumologista

Dia da asma é comemorado nesta terça e ações serão feitas para reduzir a doença

Fonte: Site Zero Hora - 3 de maio de 2011.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde, são cerca de 300 milhões de pessoas com asma em todo o mundo. A doença é a principal causa de 250 mil mortes prematuras passíveis de prevenção ao ano. No Brasil, a Iniciativa Global contra a Asma, GINA, encabeça movimento para reduzir as internações em 50% até 2015.

Celebrado desde 1998, o Dia Mundial da Asma é comemorado na primeira terça-feira do mês de maio. No Brasil, diversas ações farão um alerta sobre a doença, que é responsável por 250 mil mortes prematuras ao ano em todo o mundo, três mil delas só em nosso país. Coordenadas pela Iniciativa Global contra a Asma, GINA, essas ações visam informar e orientar a população, na tentativa de reduzir os óbitos e hospitalizações por conta da doença.

— É importante destacar que boa parte das hospitalizações e também das mortes poderiam ser evitadas. O que falta, ainda, é informação. A população, e especialmente os portadores da doença e seus familiares devem estar cientes de que estes índices só serão reduzidos se evitarmos as exacerbações, que são as crises de asma — orienta Álvaro Cruz, membro do Conselho Diretor Internacional da GINA.

Médicos e profissionais de saúde que lidam com pacientes asmáticos em todo o país buscarão difundir informações sobre a doença e o controle dos seus sintomas, criando na população uma cultura de cuidado contínuo, evitando a interrupção do tratamento sem orientação especializada, que acaba levando às crises que podem ocasionalmente ser fatais, requerendo internações ou atendimentos de emergência.

— Nossa meta é reduzir as hospitalizações até 2015 em 50%, e não é impossível. Precisamos mobilizar os pacientes, os profissionais de saúde, imprensa, lideranças políticas e sociedade — pondera Rafael Stelmach, presidente da ONG no Brasil.

Sobre a asma

Sendo a doença crônica, na maioria das vezes de origem alérgica e relacionada à predisposição familiar, não existe cura. Mas tratamento e acompanhamento médicos podem controlar os sintomas, oferecer ótima qualidade de vida e permitir ao paciente realizar normalmente suas atividades do dia a dia, incluindo exercícios físicas.

— Mas é importante destacar que em casos mais graves, mesmo sob controle, os pacientes precisam continuar usando regularmente as suas medicações, tal como se faz na hipertensão ou diabetes — explica Rafael.

Outro ponto relevante de datas de alerta tais como esta, destaca conforme destaca a pneumologista e professora da Faculdade de Medicina da PUC-RS, Jussara Fiterman, é tranquilizar o paciente asmático sobre sua condição.

— Ele precisa saber que a asma não é uma situação permanente de sofrimento, que pode ser controlada, tratada, e que a sua educação para aprender a lidar com a asma pode ser determinante para o sucesso do tratamento — declara.

Para o Emanuel Sarinho, professor da Universidade Federal de Pernambuco, a doença não é enfrentada adequadamente no Brasil.

— Por isso o valor da data, para que haja este alerta de que é um problema de saúde pública — conclui.

Postagens Populares

Vídeos da Abrasus

Loading...

3º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2012

Abaixo, fotos do 3º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2012.



PALESTRA "TUBERCULOSE, CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS"

PALESTRA "TUBERCULOSE, CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS"

PALESTRA "FRATERNIDADE E SAÚDE PÚBLICA"

PALESTRA "FRATERNIDADE E SAÚDE PÚBLICA"

2º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2011

Abaixo, fotos do 2º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2011.

PALESTRA "CÂNCER DE MAMA: PREVENÇÃO, TRATAMENTOS E DEPOIMENTOS"

PALESTRA "CÂNCER DE MAMA: PREVENÇÃO, TRATAMENTOS E DEPOIMENTOS"

PALESTRA "FRAGILIDADE NA TERCEIRA IDADE"

PALESTRA "FRAGILIDADE NA TERCEIRA IDADE"

PALESTRA “DIABETE E SEXUALIDADE”

PALESTRA “DIABETE E SEXUALIDADE”
Evento realizado em 27 de outubro de 2011.

PALESTRA "CENTROS DE REFERÊNCIAS PARA DOENÇAS REUMATOLÓGICAS NO SISTEMA PÚBLICO"

PALESTRA "CENTROS DE REFERÊNCIAS PARA DOENÇAS REUMATOLÓGICAS NO SISTEMA PÚBLICO"
Evento realizado em 28 de setembro de 2011.

PALESTRA “HEPATITES”

PALESTRA “HEPATITES”
Evento realizado em 17 de junho de 2011.

Palestra "A Importância do Exercício Físico Para a Qualidade de Vida"

Palestra "A Importância do Exercício Físico Para a Qualidade de Vida"
Evento realizado em 7 de abril de 2011.

1º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2009-2010

Abaixo, fotos do 1º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2009-2010.

Palestra ABRASUS - O que "É" e O que "FAZ"

Palestra ABRASUS - O que "É" e O que "FAZ"
Último evento do 1º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2009-2010, realizado em 25 de novembro de 2010.

Palestra "Atribuições da Defensoria Pública da União"

Palestra "Atribuições da Defensoria Pública da União"
Evento realizado em 30 de setembro de 2010.

Palestra "Fumo: As Razões da Abstinência"

Palestra "Fumo: As Razões da Abstinência"
Evento realizado em 5 de agosto de 2010.

Palestra "Proteja-se Contra o Câncer"

Palestra "Proteja-se Contra o Câncer"
Evento realizado em 27 de maio de 2010.

Palestra "Assistência à Saúde Mental Pelo SUS"

Palestra "Assistência à Saúde Mental Pelo SUS"
Evento realizado em 25 de março de 2010.

Palestra "Cuidadores de Idosos"

Palestra "Cuidadores de Idosos"
Evento realizado em 19 de novembro de 2009.

Mais Eventos

Abaixo, fotos de outros eventos realizados pela Abrasus e eventos que contaram com a participação da Entidade.

ABRASUS em nova sede

ABRASUS em nova sede
Evento realizado em 25 de maio de 2009.

Iara Trovão - Presidente à época - apresentando a Associação.

Entrevista com o Vereador Reginaldo Pujol.

Entrevista com Ivo Fortes - Conselheiro Suplente da ABRASUS.

ABRASUS vai a Natal - RN em dez/2008

ABRASUS vai a Natal - RN em dez/2008
Reunião com Associações congêneres no Hospital Psquiátrico Prof. Severino Lopes.

Iara Trovão - Presidente à época - apresentando a Abrasus.

Público que prestigiou o evento.

Dra. Rosane Rempel apresentando o Jurídico da Abrasus.

Presidente do Sindisaúde de Natal comentando sobre o evento.