segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Lítio pode ser o segredo da luta contra o Alzheimer

A velocidade e a agressividade com que a doença compromete a capacidade cognitiva impressionam

Fonte: Site Zero Hora - 26 de dezembro de 2010.

Aos 65 anos, a aposentada Marilaine da Luz elaborou uma maratona mental diária que envolve navegar pela internet, ler jornais, desafiar palavras cruzadas e espantar a solidão conversando com familiares e amigos. A estratégia de exercitar o cérebro se iniciou há cinco anos, quando dona Ilsa, mãe de Marilaine, hoje com 79 anos, foi diagnosticada com Alzheimer.

Como a maioria das pessoas que têm familiares com a enfermidade, Marilaine teme desenvolver a doença degenerativa, progressiva e incurável.

— Sinto medo e fico estressada só de pensar nessa doença. Já pensou esquecer de tudo? Se tivesse um remédio eficiente para prevenir, eu me atiraria de cabeça nele.

A droga sonhada por Marilaine ainda não existe. Mas talvez esteja próximo de ser encontrada. Uma pesquisa inédita, coordenada pelos professores Wagner Farid Gattaz e Orestes Forlenza, do Instituto de Psiquiatria (IPq) do Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) indica que doses de lítio (empregado no tratamento de pacientes com transtorno bipolar) podem prevenir o surgimento da doença.

Com Gattaz e Forlenza à frente, pesquisadores do IPq aplicaram lítio em cerca de 200 voluntários com idade igual ou superior a 65 anos, sem diagnóstico de nenhum tipo de demência, mas que apresentavam transtornos cognitivos leves. Trata-se de um público-alvo de alto risco porque, embora saudáveis, em um ano é provável que entre 10% e 15% dos idosos com esse perfil demonstrem sintomas de Alzheimer. Os resultados obtidos são considerados auspiciosos.

— Dos que usaram lítio, 18% desenvolveram Alzheimer após um ano. Dos que tomaram placebo, o dobro foi diagnosticado com Alzheimer — diz Gattaz, presidente do Conselho Diretor do Instituto de Psiquiatria.

De acordo com o pesquisador, há dois fatores que contribuem para a morte acelerada de neurônios na doença de Alzheimer: a deposição de placas de um peptídeo chamado beta-amiloide, que acarreta a morte neuronal, e a hiperfosforilação da proteína tau, que leva a uma perda de sustentação do esqueleto celular. A enzima GSK contribui para esses dois mecanismos. Assim, supõe Gattaz, a inibição da GSK por meio do lítio pode prevenir as lesões neuropatológicas da doença O trabalho deverá ser publicado nas próximas edições da revista científica British Journal of Psychiatry.

Embora seja um passo importante em direção à prevenção, as perspectivas para o tratamento dos sintomas ou mesmo da cura da doença ainda estão distantes — para desilusão de Marilaine e dos familiares dos cerca de 1,2 milhões portadores de Alzheimer apenas no Brasil. A velocidade e a agressividade com que a doença compromete a capacidade cognitiva impressionam.

— Em três anos, pacientes submetidos a tratamento apresentarão os mesmo sintomas daqueles que não são medicados — afirma a Gattaz.

Alheia aos avanços da medicina, Marilaine dedica-se a ministrar doses diárias de carinho à mãe — o mais eficaz "remédio" descoberto, até hoje, para amenizar

o sofrimento dos que vão e a dor dos que ficam.

— Minha mãe fez tudo por nós. Agora, estou retribuindo e fazendo tudo por ela — diz Marilaine, que desfruta de cada detalhe dos momentos de lucidez de dona Ilsa, hoje residindo em uma clínica especializada.

O que é Azheimer

Doença de Alzheimer é um distúrbio cerebral progressivo, que leva à destruição das células do cérebro, à perda de memória e a outras funções cerebrais. A doença geralmente se desenvolve lenta e gradualmente, piora à medida que mais células cerebrais morrem. Em última instância, a doença de Alzheimer é fatal e, atualmente, não existe cura.

Os sintomas

O sintoma inicial mais comum é a dificuldade de lembrar as informações aprendidas recentemente. Com o avanço da doença, surgem sintomas cada vez mais graves como desorientação, alterações de comportamento, confusão sobre eventos, hora e local, suspeitas infundadas sobre a família, amigos e cuidadores profissionais. A perda de memória se acentua e surgem dificuldades para falar, engolir e andar.

As causas

Enquanto os cientistas sabem que a doença de Alzheimer envolve a progressiva falência dos neurônios, a razão pela qual as células a doença se instala ainda não não está clara. Como em outras patologias crônicas, especialistas acreditam que o Alzheimer se desenvolve como um resultado complexo de múltiplos fatores, em vez de uma causa primordial. A idade e a genética têm sido identificados como fatores de risco, mas não os únicos. A descoberta de fatores de risco adicionais deverá ajudar a explicar o porquê de o Alzheimer se desenvolver em algumas pessoas e não outras.

Descobertas recentes

— Pesquisadores identificaram um gene que provavelmente aumenta o risco de Alzheimer de início tardio. O MTHFD1L está no cromossomo 6, e sua alteração foi identificada em 2.269 pessoas com Alzheimer. Indivíduos com mutação nesse gene teriam o dobro de riscos de desenvolver a doença.

— Uma pesquisa publicada no Archives of Neurology, desenvolvida no Medical Center da Universidade de Columbia, em Nova York (EUA), faz uma relação com a dieta. Cientistas descobriram que os participantes adultos que incluíam mais frutos oleaginosos, peixe, aves, frutas e verduras em sua alimentação, diminuindo a quantidade de laticínios gordurosos, carne vermelha e manteiga, apresentavam risco menor de sofrer de demência. O segredo pode estar em nutrientes como ômega 3, vitamina E e ácido fólico.

— Cientistas japoneses publicaram um estudo no periódico online especializado The Faseb Journal, anunciando a descoberta de uma nova ferramenta que poderá revolucionar o diagnóstico da doença. O exame mede o nível da proteína beta- amiloide no fluido espinhal do paciente. Quanto maior a presença da substância, maior a probabilidade de o indivíduo ser portador de Alzheimer.

10 sinais do Alzheimer

1) A perda de memória que perturba a vida diária

2) Desafios no planejamento ou resolver problemas

3) Dificuldade em completar tarefas familiares, no trabalho ou em lazer

4) Confusão com o tempo ou lugar

5) Problemas para compreensão visual

6) Problemas para falar ou escrever

7) Trocar o lugar das coisas

8) Dificuldades para tomar decisão

9) Ausência de atividades sociais

10) Alterações de humor e de personalidade

FONTE: Site alz.org da Associação Nacional de Alzheimer (EUA) 

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Médico é preso por cobrar cirurgia de paciente do SUS

Urologista de 65 anos teria pedido R$ 5,5 mil

Fonte: Site Zero Hora - 8 de dezembro de 2010.

Um urologista de 65 anos foi preso em flagrante por suspeita de cobrar R$ 5,5 mil a um paciente por uma cirurgia abdominal. A conta já havia sido enviada para o pagamento pelo Sistema Único de Saúde, por meio da Santa Casa de Caridade de Bagé.

O filho do paciente foi até a Polícia Federal, que orientou que ele gravasse o pagamento, o que ocorreu na tarde de terça-feira. O médico reduziu o valor pedido e aceitou realizar a cirurgia por R$ 2 mil.

Ele foi preso em flagrante e recolhido para a delegacia da Polícia Federal de Bagé, onde ficou até o final da noite. Por determinação da Justiça Federal, foi encaminhado para a prisão domiciliar, pois apresentou um atestado do seu médico particular de que é portador de doença cardíaca.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Justiça Federal autoriza ortotanásia no Brasil

Com aval das famílias, médicos podem não prolongar a vida de doentes terminais, sem chances de cura

Fonte: Site Zero Hora - 6 de dezembro de 2010.

A Justiça Federal decidiu na semana passada dar respaldo aos médicos que optarem por não tentar prolongar a vida de doentes terminais, sem chances de cura, e cujas famílias concordem com a opção. Esse tipo de procedimento é conhecido como ortotanásia.

A proteção passou a existir porque a Justiça Federal no Distrito Federal reviu liminar dela própria, de 2007, que tornava nula resolução do Conselho Federal de Medicina, que permitia os médicos a praticar a ortotanásia.

A nova posição foi tomada depois que o Ministério Público Federal, autor do pedido da nulidade, também ter alterado sua opinião. A decisão foi revelada pelo jornal "O Estado de S. Paulo'', na edição de anteontem.

— Após muito refletir a propósito do tema, chego à convicção de que a resolução, que regulamenta a possibilidade de o médico limitar ou suspender procedimentos e tratamentos que prolonguem a vida do doente na fase terminal, realmente não ofende o ordenamento jurídico — disse na decisão o juiz Roberto Luis Luchi Demo.

Diferentemente da ortotanásia, a eutanásia é ilegal no Brasil - opção em que a morte de paciente terminal é induzida pelo médico.

Em sua primeira avaliação, o Ministério Público entendeu que a norma do conselho extrapolava as competências do órgão, tanto no âmbito legal quanto cultural.

A nova procuradora do caso, Luciana Loureiro Oliveira, discordou do posicionamento, citando, principalmente, a diferença entre a eutanásia e a ortotanásia.

Segurança

Presidente do conselho federal, Roberto Luiz d'Avila afirma que, ainda que a lei já não proibisse a ortotanásia, a medida judicial dá mais segurança ao médico.

— Muitos ficavam inseguros, pois não havia proteção legal para a prática. Eles até faziam procedimentos desproporcionais. O posicionamento do conselho e a própria liminar despertaram discussão positiva — disse.

No final do ano passado, o conselho aprovou novo código de ética, em que já aparecia respaldo para a ortotanásia.

— Agora, há mais segurança se médico e família entenderem não ser mais adequado pedir exames, colocar o paciente no respirador — disse o presidente do órgão.

Apesar da restrição que havia sido imposta pela Justiça, d'Avila diz desconhecer qualquer caso de médico que tenha sido punido por ter praticado a ortotanásia.

O conselho afirma que a prática só é aplicada em casos específicos: pacientes na fase terminal de doença crônica e progressiva, com o consentimento do próprio doente ou da família.

Entenda a diferença entre eutanásia, distanásia e ortotanásia:

Eutanásia

Provocação da morte de paciente terminal ou com doença incurável, por meio de ato de terceiro

Distanásia

Ocorre quando o médico, frente a uma doença incurável, prossegue o tratamento, valendo-se de meios extraordinários para conseguir prolongar a vida

Ortotanásia

Caracteriza-se pela conduta omissiva do médico, frente a paciente com doença incurável, com prognóstico de morte iminente e inevitável

Fonte: Argumentação do Ministério Público Federal na ação que abordou a ortotanásia

ZERO HORA

Greve de médicos prejudica atendimento no hospital de São Leopoldo

Apenas casos de urgência e emergência serão atendidos

Fonte: Site Zero Hora - 6 de dezembro de 2010.

O pronto-socorro do Hospital Centenário, em São Leopoldo, está atendendo apenas casos de urgência e emergência nesta segunda-feira. Os médicos paralisaram as atividades por 24 horas para pressionar a administração do hospital e a prefeitura pelo aumento do salário.

A direção do Centenário afirma que 30% dos atendimentos serão mantidos. Casos de alto risco, como feridos em acidentes de trânsito e baleados terão a preferência.

O vice-presidente administrativo, Alexandre Andara, pede aos pacientes com casos sem gravidade para procurarem centros de Saúde. A população deve pbuscar as unidades básicas dos bairros Feitoria, Scharlau, Campina, Vicentina e Centro.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Superlotação provoca fechamento de emergência na Santa Casa de Porto Alegre

Unidade que atende por convênios no Hospital Dom Vicente Scherer está com 21 pacientes para 10 leitos

Fonte: Site Zero Hora - 24 de novembro de 2010.

A emergência do hospital Dom Vicente Scherer está fechada para novos pacientes a mais de 24 horas. Desde o final da tarde de terça-feira, a unidade, que atende por convênios, está superlotada.

O local possui 10 leitos. Por volta das 21h, no entanto, eram 21 pacientes em atendimento. A administração pede para que as pessoas busquem outras emergências.
 
Além do hospital Dom Vicente Scherer, outros quatro hospitais estão com as emergências superlotadas: Clínias, Conceição, São Lucas da PUCRS e Santa Clara (que atende pelo SUS na Santa Casa). A unidade do Moinhos de Vento, que atende por convênios, está no limite da capacidade.
 
Enquanto isso, outros quatro hospitais, sendo dois para atendimento infantil e dois para adultos, estão com vagas disponíveis nas emergências.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Lançado portal exclusivo para portadores de doenças reumáticas

Organizadores querem levar aos usuários informações que auxiliem o dia a dia dos pacientes

Fonte: Site Zero Hora - 11 de outubro de 2010.

Está no ar desde agosto o portal reumatoguia (www.reumatoguia.com.br). O site leva informações sobre os vários tipos de doenças reumáticas, seus tratamentos, dificuldades encontradas pelos pacientes e familiares para enfrentar a doença, além de estimular a busca pela qualidade de vida e pela desmistificação de das doenças.

O conteúdo do portal está sendo construído a partir do compartilhamento de informações entre usuários, pacientes, ONGs e profissionais da área da saúde.

Segundo os organizadores, o objetivo principal é tratar de temas relacionados a doenças reumáticas sem preconceitos, considerando os diversos lados envolvidos no tratamento da doença, possíveis dificuldades no diagnóstico, sempre atentando para a divulgação dos sintomas, no sentindo de orientar e educar a população sobre as diversas moléstias crônicas que afetam o sistema músculo-esquelético.

Uma das seções inovadoras do portal é a seção "Direitos dos Pacientes", que ensina àquele que sofre de alguma doença reumática quais são os seus direitos e como garanti-los. Nesse espaço, é possível encontrar quais são as doenças consideradas graves pela legislação brasileira atualmente e como pleitear benefícios. Garantias que vão desde a gratuidade no acesso ao transporte público até como obter isenção do Imposto de Renda, estão todas divulgadas no portal.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Estacionamento de ambulâncias em praça do bairro Santana provoca conflito na Capital

Estabelecimentos alegam prejuízos, mas motoristas dizem não ter opções

Fonte: Site Zero Hora - 3 de setembro de 2010.

Impedidos de estacionar junto à Santa Casa e à Redenção, motoristas de micro-ônibus e vans que levam pacientes do Interior para hospitais da Capital passaram a incomodar comerciantes do bairro Santana. Os donos de estabelecimentos situados ao redor da Praça Major Joaquim de Queiroz reclamam que seus clientes não têm vagas para deixar os veículos, o que gera prejuízos financeiros.

Oquadrilátero que está no centro do conflito é composto pelas ruas Santana, Jerônimo de Ornelas, Vieira de Castro e General Jacinto Osório. De segunda a sexta-feira, até 50 veículos de diversas prefeituras ocupam o espaço, a cerca de 500 metros do Hospital de Clínicas. A permanência dos veículos começa por volta das 7h e só termina no fim da tarde.

– Isso inviabiliza boa parte do comércio. Parte dos moradores também tem de estacionar a três quadras de casa porque não existem vagas – queixa-se o farmacêutico Eduardo Abreu, diretor de uma farmácia próxima.

No primeiro semestre deste ano, Abreu chegou a protocolar pedido de providências junto à Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC). Em junho, a resposta foi de que não havia irregularidade na área.

Gerente de um supermercado localizado junto à praça, Dilson Martinez Laguna diz que o problema é grave:

– A maior parte do dia, não há vagas para nossos clientes. Alguns desistem de fazer compras aqui.

Funcionários das prefeituras, os motoristas relatam conhecer a dificuldade gerada, mas justificam que não têm onde estacionar na área central.

– Não é todo lugar que conseguimos parar por causa do tamanho dos veículos. A cidade toda tem restrição, está cada vez mais difícil – comenta o motorista Daniel Martini, da Secretaria de Saúde de Bom Princípio.

De Parobé, o motorista Sandro Prestes conta que a escolha da praça é pela segurança.

A Secretaria de Saúde da Capital diz que não pode se envolver no trânsito. Já o diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, prometeu vistoria para verificar se há irregularidades ou formas de acabar com o conflito.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Ministério da Saúde amplia atendimento contra o câncer no SUS

Foram incluídos 9 tratamentos, entre os quais câncer de fígado e de mama.
Valor pago por 66 procedimentos foi aumentado em até dez vezes.

Fonte: Site globo.com - 25 de agosto de 2010.

O Ministério da Saúde anunciou nesta quarta-feira (25) a inclusão no Sistema Único de Saúde (SUS) de nove novos tratamentos para câncer de fígado e de mama, leucemia aguda e linfoma. O pacote de medidas também prevê ampliação, em até 10 vezes, do valor pago por 66 procedimentos já realizados por hospitais conveniados.

Foram liberados R$ 412,7 milhões para serem investidos na reestruturação da assistência em oncologia no Sistema Único de Saúde (SUS). “Esta é a maior mudança na atenção oncológica desde 1999, quando foi instituída a nova política para o setor. As alterações vão impactar de forma muito positiva na qualidade do atendimento dos 300 mil brasileiros que todos os anos acessam o Sistema Único de Saúde para o tratamento do câncer”, disse o ministro da Saúde, José Gomes Temporão.

Nesta quarta, Temporão assinou duas portarias que reestruturam o setor e permitem a liberação de recursos a estados, Distrito Federal e municípios. “Esses investimentos a mais projetam o gasto global do Ministério da Saúde para o tratamento dessa doença para R$ 2 bilhões”, afirmou.

A aprovação dos novos valores vai permitir que esquemas quimioterápicos recentes, que adotam novos medicamentos, possam ser adquiridos e fornecidos pelos hospitais habilitados no SUS para tratar o câncer. “Estas mudanças permitem remunerar melhor os procedimentos, como também que novas técnicas e novas tecnologias sejam colocadas à disposição dos pacientes”, disse o ministro. “Permitem, por exemplo, a utilização no SUS de novas drogas, como o Rituximabe (nome comercial Mabthera), medicamento indicado para linfoma”, completou Temporão.

Além dos novos tratamentos, os recursos adicionais serão usados também no reajuste do valor pago pelo SUS aos hospitais que realizam serviços de radioterapia.

Temporão negou que as medidas anunciadas tenham caráter eleitoreiro e afirmou que vinham sendo estudadas pelo governo há oito meses.

Tratamento mais inteligente
O Rituximabe é um medicamento de anticorpos monoclonais, que combatem as células cancerosas preservando as sadias. Como não estava disponível no SUS, até hoje, os usuários da rede pública com linfoma vinham sendo submetidos à quimioterapia convencional, que não assegura os mesmos resultados.

O pacote anunciado por Temporão também lança novas diretrizes diagnósticas e terapêuticas: para o tratamento de câncer no intestino, pulmão e fígado, e para linfoma difuso de grandes células e tumor cerebral. As cinco diretrizes ficarão em consulta pública por 40 dias, para que a comunidade científica apresente propostas e sugestões.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Simers denuncia superlotação no HPS

Seis pacientes que deveriam estar na UTI permanecem em leitos comuns

Fonte: Site Zero Hora - 12 de agosto de 2010.

Um flagrante de superlotação no Hospital de Pronto-Socorro (HPS) de Porto Alegre foi denunciado ontem à noite pelo Sindicato Médico do RS (Simers). A crítica foi feita pela administração do sindicato.

Por insuficiência de leitos de UTIs e nas salas de recuperação, a vice-presidente do Simers, Maria Rita de Assis Brasil, identificou seis pacientes que deveriam estar nas unidades com cuidados intensivos – um com AVC internado há 72 horas, outro com HIV, outro com AVC hemorrágico, outro que sofreu uma queda e um sexto de pós-operatório, e que estão sendo mantidos na sala de politraumatizados.

O problema se agravou recentemente com o fechamento de UTI devido à contaminação pela bactéria acinetobacter. O sindicato pretende procurar a direção do HPS hoje para tratar do problema e cobrar mudança no procedimento.

Contraponto - O que diz o diretor-geral do HPS, Júlio Ferreira:

“A vocação do HPS é atendimento de trauma, urgência e emergência. Com todos os outros hospitais sendo fechados, obviamente recebemos pacientes que não dizem respeito a essa vocação. E o HPS não fecha as portas. É o mínimo que podemos fazer pela população”.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Pesquisa aponta chimarrão como arma para combater o colesterol

Bebida típica do gaúcho é mais eficaz contra a gordura do que o chá verde

Fonte: Site Zero Hora - 6 de agosto de 2010.

Um novo estudo aponta que a bebida típica dos gaúchos tem mais motivos para ser apreciada além de manter as tradições. Sorvido com frequência, o chimarrão reduz os níveis do colesterol ruim (LDL), segundo pesquisa do programa de pós-graduação do Instituto de Cardiologia do Rio Grande do Sul.

A primeira fase da pesquisa indica que a bebida é mais eficaz na redução do colesterol do que o chá verde. O estudo constatou que quem tomou um litro de mate diariamente por oito semanas teve o colesterol LDL reduzido em 4,2%, em média, enquanto que quem bebeu chá verde ou chá de maçã não apresentou redução no índice. Quem consumiu chimarrão também perdeu, em média, meio quilo no período.

Para cardiologista, mate não deve ser visto como remédio

Os resultados serão apresentados hoje no Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado (Socergs), em Gramado, pela nutricionista Bruna Pontin, mestranda do programa. A pesquisa é parte de um estudo maior sobre o chimarrão, que envolve outros três nutricionistas e uma cardiologista.

Segundo a cardiologista Vera Portal, professora do programa, a pesquisa revela que, com a redução do colesterol, também se reduzem os riscos de doenças cardiovasculares. Mas ela pondera que o chimarrão não deve ser visto como um remédio.

– Uma pessoa que toma chimarrão por hábito pode estar incrementando um valor a mais de redução de risco de doenças, assim como faz quando tem uma alimentação adequada ou pratica exercícios – esclarece.

Conforme a médica, a redução média de colesterol com exercícios e alimentação adequada é de 9%, índice que pode chegar a 30% com medicação. Para o cardiologista fundador do Instituto do Coração da Serra Gaúcha, Ricardo Almeida, a pesquisa apresenta uma baixa amostragem:

– O número de pessoas avaliadas ainda é pequeno para se ter um embasamento mais sério, e os níveis de redução são baixos, iguais ou superáveis com exercícios físicos e alimentação adequada, mas sabe-se que o chimarrão tem substâncias com efeito brando sobre o colesterol.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Pesquisa revela que 65% das crianças carregam coliformes fecais nas mãos

A prevenção é fundamental no combate a germes e bactérias

Fonte: Site Zero Hora - 29 de julho de 2010.

Estudos realizados por Lifebuoy mostram que 84% das mães afirmam lavar as mãos com sabonete após ir ao banheiro; no entanto, 65% das crianças brasileiras têm nas mãos coliformes fecais, que causam diarreias, cólicas intestinais e vômitos.

De acordo com dados da UNICEF, de outubro de 2009, todos os anos as doenças diarreicas e infecções respiratórias agudas causam a morte de mais de 3,5 milhões de crianças menores de 5 anos no mundo. Boa parte dessas mortes poderia ser evitada com dois ingredientes simples: água e sabão.

Contudo, a lavagem de mãos não é feita de maneira adequada e nem mesmo é um hábito de todos. No Brasil, duas pesquisas realizadas pela marca de sabonetes Lifebuoy mostram que apesar da maioria das mães (84%) dizerem lavar as mãos com sabonete após ir ao banheiro, 65% das crianças apresentam coliformes fecais em suas mãos.

Entre as bactérias encontradas estão Enterococcus e Escherichia Coli, relacionadas a doenças gastrointestinais. Esse percentual é maior em crianças de classes sociais mais baixas – coliformes fecais foram encontrados nas mãos de 77% das crianças da classe D; 71%, da classe C e 53%, da classe AB.

– Há uma diferença entre o comportamento alegado e o hábito de fato. A maioria das pessoas diz que lavam as mãos, no entanto, quando checado, é possível observar que não é verdade – diz Myriam Sidibe, gerente global da missão social de Lifebuoy.

– Transportamos em nossas mãos milhões de micróbios, em sua grande maioria, inofensivos. Entretanto, outros podem causar doenças como o resfriado comum, gripe, diarreia, hepatite e alguns tipos de meningite. A falta de hábito de lavar as mãos ou a lavagem não adequada pode possibilitar a disseminação de germes, transmitindo-os a outras pessoas pelo toque direto ou de objetos, a contaminação própria pelo toque nos olhos, no nariz, na boca ou um ferimento – esclarece Robert Aunger, especialista em Saúde Pública da Faculdade de Higiene & Medicina Tropical de Londres.

A prevenção é fundamental no combate a germes e bactérias.

As duas pesquisas realizadas este ano tiveram como objetivo mapear o comportamento de mães de crianças entre 4 e 12 anos em relação a seus hábitos e de seus filhos e verificar a presença de bactérias causadoras de doenças nas mãos de crianças. Os dois estudos foram conduzidos pela Ibope Inteligência.

Mães: elas dizem lavar, acham que nem todos lavam e seus filhos nem sempre lavam

Há uma lacuna entre o que a maioria das mães brasileiras acredita, faz, garante que seu filho faça e pensa que o outro faz: 84% das entrevistadas concordam que todos deveriam lavar as mãos com sabonete antes de comer, embora 76% digam o fazer de fato e apenas 36% achem que os brasileiros têm este hábito. Apesar de a grande maioria, 84% delas, afirmar lavar suas próprias mãos com sabonete após ir ao banheiro, apenas 25% responderam que asseguram que seus filhos lavem as mãos com sabonete após ir ao banheiro.

As mulheres das regiões Norte e Nordeste – partes do país responsáveis por 50% do total de casos de mortalidade infantil, inclusive decorrente de falta de saneamento básico e higiene – foram as mais contundentes em afirmar não se importar em checar se seus filhos lavam as mãos com sabonete após usar o banheiro.

A pesquisa “Hábitos de Lavagem de Mãos no Brasil" ouviu 277 mulheres de todas as classes sociais (A B, C e DE) e regiões do país, todas as mães de crianças entre 4 e 12 anos.

terça-feira, 27 de julho de 2010

Pesquisadores brasileiros terão dados completos sobre infarto no Brasil

Por dois anos, 25 hospitais se comprometeram a registrar informações sobre infartos atendidos

Fonte: Site Zero Hora - 27 de julho de 2010.

Pela primeira vez no Brasil, pesquisadores terão acesso a dados completos sobre infarto no país. Vinte e cinco hospitais brasileiros se comprometeram a registrar, por dois anos, informações sobre todos os infartos atendidos no período. Isso inclui o tempo entre o sintoma inicial e o primeiro atendimento, o tipo de medicação e procedimento adotado e também todo o trabalho de prevenção das doenças cardiovasculares.

O objetivo é montar um banco de dados informatizado onde seja possível traçar a realidade brasileira de atendimento no setor. A Sociedade Brasileira de Cardiologia credita as 315 mil mortes anuais por problemas cardiovasculares à carência nos serviços.

— As lacunas no atendimento são tão grandes, que acredita-se que 60% dos infartos que ocorrem na periferia de Belo Horizonte, por exemplo, não são atendidos nas duas horas após os primeiros sintomas, justamente a janela durante a qual o pronto atendimento multiplica a possibilidade de sobrevivência do paciente — afirma Jorge Ilha Guimarães, presidente da SBC.

A assinatura do convênio de parceria para a pesquisa será na quarta-feira e envolverá a SBC e o Instituto de Estudos e Pesquisas da instituição. O coordenador do projeto é o cardiologista Luiz Alberto Mattos.

Para Jorge Ilha, a falta de pesquisas na área dificultava tanto a prevenção das doenças cardíacas, como a definição de políticas públicas de saúde, como também o tratamento.

— Enquanto países como Inglaterra e Portugal comparam seus Registros de eventos cardiológicos nos Congressos, para identificarem diferenças e otimizarem o atendimento, para reduzir ao mínimo a mortalidade por razões cardíacas — diz ele, no Brasil as doenças cardiovasculares são campeãs de óbitos, matando mais inclusive do que todos os tipos de câncer somados.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Lar da Amizade recebe doação de alimentos da Abrasus

Fonte: ABRASUS.

O Lar da Amizade Abrigo para Cegos e Idosos Carentes foi beneficiado com 30 kg de alimentos, entregues pela Associação Brasileira de Usuários de Serviços e Planos de Saúde (Abrasus), no início de julho. A doação é resultado do 1º Ciclo de Palestras da Abrasus 2009/2010, promovido pela entidade no dia 27 de maio, quando a Abrasus abriu suas portas para receber a Dra. Beatriz Bohrer do Amaral ,  para falar sobre o tema Proteja-se Contra o Câncer.

Foto: Júlio Barbosa

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Entenda a importância de ler os rótulos dos alimentos

Porcentagem de sódio presente nos produtos pode prejudicar a saúde

Fonte: Site Zero Hora - 14 de julho de 2010.

Livrar-se do consumo exagerado de sal é uma missão árdua. A dificuldade ocorre porque o tempero não é encontrado apenas na forma clássica de pó branco, como estamos acostumados. Na verdade, o excesso de sal costuma ficar oculto em muitos outros alimentos.

– Ele está escondido até em produtos nos quais não nos damos conta, como em pães, produtos congelados e bolachas – ressalta a nutricionista Júlia Dubin.

Uma boa dica é olhar com atenção o rótulo dos produtos. Nele, é especificada a porcentagem de sódio presente no alimento em comparação com o consumo diário ideal por pessoa. Por exemplo, o rótulo de um pão pode mostrar que cada fatia tem 7% da quantia de sódio recomendada. Se você ingerir quatro fatias por dia, irá consumir quase 30% do total de sódio diário somente em pães.

Mesmo descobrindo que boa parte do sódio está camuflada nos alimentos, não se pode deixar de redobrar atenção às pitadas adicionadas à comida caseira.

– Uma boa alternativa é não salgar a comida durante o preparo, apenas temperá-la quando já está pronta, na mesa. A pessoa sente mais o gosto salgado usando menos sal – diz o cardiologista Pedro Pimentel Filho.

Outra saída é mudar de tempero. Em vez do sal, utilize pimentas naturais, orégano, salsinha e curry.

:: O verdadeiro vilão da pressão arterial é um componente que está dentro do sal: o sódio.
:: Quando ingerido em excesso, pelo consumo de sal, o sódio lesiona os rins e impede que eles eliminem o excesso de água do organismo.
:: Com mais água circulando, a quantidade de sangue no organismo fica maior do que o volume ideal.
:: Quando o volume de sangue aumenta muito, o coração precisa fazer mais força para bombeá-lo, ou seja, provoca o aumento da pressão arterial.

PIONEIRO

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Ministério libera R$ 47 milhões para reconstrução de unidades de saúde no Nordeste

Temporão disse que equipe mantém contatos diários com os secretários de Saúde de Pernambuco e Alagoas

Fonte: Site Zero Hora - 13 de julho de 2010.

A situação da saúde pública nos Estados de Pernambuco e Alagoas, atingidos por fortes chuvas, está sob monitoramento diário por parte do Ministério da Saúde. O ministro José Gomes Temporão destacou hoje que sua equipe mantém contatos diários com os secretários de Saúde dos dois Estados para garantir "todo o apoio que o governo federal puder dar".

Temporão esteve reunido hoje com o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Ele disse que o ministério liberou R$ 47 milhões para ajudar a reconstruir as unidades de saúde atingidas em municípios pernambucanos e alagoanos:

— O que aconteceu é que, nas áreas atingidas, unidades de saúde desapareceram (foram destruídas). Os recursos vão ajudar os governos estaduais na reconstrução e no reequipamento dessas unidades.

Temporão acrescentou que, primeiramente, sua equipe buscou atender a demandas básicas como alojamento dos atingidos pelas chuvas, alimentação e água de qualidade.

Segundo ele, o ministério está preparado para o rápido envio de medicamentos, material de curativo e hipoclorito de sódio, substância utilizada para descontaminação rápida de água.

A pedido do governo de Alagoas, o ministério enviou ao Estado 105 médicos e enfermeiros, além de pessoal do Sistema de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Também foram repassadas novas ambulâncias ao Estado.

AGÊNCIA BRASIL

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Após assembleia, médicos peritos decidem entrar em greve no RS

Paralisação começa nesta quinta-feira

Fonte: Site Zero Hora - 23 de junho de 2010.

Os médicos peritos gaúchos decidiram na noite desta quarta-feira, em reunião na sede do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers), em Porto Alegre, aderir à greve nacional da categoria, iniciada na terça-feira.

A greve nacional é resultado de uma sequência de desacordos entre a diretoria do Instituto Nacional de Previdência Social (INSS) e os médicos. Há alguns anos os profissionais têm alertado para a falta de segurança e más condições de trabalho nos postos, de acordo com o diretor da Associação Nacional dos Médicos Peritos, Marcus Vinicius Netto. Alguns trabalhadores já foram ameaçados por segurados e há inclusive casos de assassinatos, destacou Netto.

— Além disso, a categoria reivindica uma remuneração digna e a prerrogativa de seis horas de trabalho ininterruptas, e não oito, que foi vetada pelo presidente Lula — disse o dirigente.

Os números da associação apontavam ontem para uma paralisação de 70% dos trabalhadores no país. Em Porto Alegre houve paralisação parcial ontem, informou o presidente da Associação Gaúcha de Médicos Peritos, Francisco Carlos Luciani. Entre 35% e 40% dos profissionais cruzaram os braços na Capital. Hoje, somente 30% do efetivo deve permanecer nos postos, ressaltou Luciani.

— Uma das nossas reivindicações é por mais tempo de perícia e menos perícias por dia. São 18 perícias por dia e 20 minutos para cada uma. Nosso laudo acaba ficando muito fragilizado porque não há tempo para fazê-lo — afirmou Luciani.

A greve no RS é por tempo indeterminado. Na segunda-feira, uma nova reunião definirá os rumos do movimento no Estado.

terça-feira, 15 de junho de 2010

Hospital Conceição abre novos leitos na UTI

Unidade terá capacidade aumentada de 40 para 59 pacientes

Fonte: Site Zero Hora - 15 de junho de 2010.

A partir de julho, o Hospital Conceição passará a ter a maior Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Adulta do Sistema Único de Saúde (SUS) no Estado. Atualmente com 40 leitos, o espaço será ampliado a fim de receber 59 pacientes.

Com quatro postos de enfermagem, o setor ganhará mais funcionários, corredores amplos, quartos individualizados e uma área quatro vezes maior do que a antiga. A área total passou de 627 metros quadrados para 2.755 metros quadrados. A ampliação pretende estender a assistência para mais 900 pacientes críticos ao ano.

A UTI está preparada para receber desde pacientes com infarto simples, AVC, pneumonias e infecções graves até casos mais complexos, como pacientes do pós-operatório da cirurgia cardíaca.

A unidade terá climatização central e todos os pacientes serão internados em boxes individualizados, fechados. A implantação de novos equipamentos e a disposição dos postos de enfermagem possibilitarão o controle dos pacientes à distância, por meio de uma central de monitorização.

Segundo o diretor-superintendente do Grupo Hospitalar Conceição (GHC), Neio Lucio Pereira, a nova unidade representará 28,36% dos leitos de terapia intensiva do Rio Grande do Sul. O Estado conta com 208 leitos de UTI tipo III, a de maior complexidade, disponíveis para o SUS.

A nova UTI custou R$ 14,6 milhões – dos quais R$ 8,9 milhões foram investidos em obras e R$ 5,7 milhões em equipamentos. A verba é proveniente do Programa QualiSUS do Ministério da Saúde e do plano de investimentos do GHC.

– Desde 2003, foram investidos mais de R$ 150 milhões em melhorias no hospital. A ampliação nos deixa entre as 10 maiores UTIs do Brasil – explicou.

Nas próximas semanas, o Grupo Hospitar Conceição fará os ajustes finais para colocar a nova unidade em funcionamento. Ontem, durante a apresentação das instalações a autoridades e imprensa, equipes do hospital fizeram simulação de atendimento na UTI.

Saiba mais
 
Além de abrir novo leitos na UTI, o Hospital Conceição ampliará de 311 para 367 o número de funcionários:
 
- 63 médicos
- 59 enfermeiros
- 198 técnicos de enfermagem
- 24 fisioterapeutas
- Três nutricionistas
- 20 de área administrativa
 
A DIVISÃO DAS ÁREAS
 
- Área 1 – UTI clínica de agudos, com 14 leitos
- Área 2 – UTI cirúrgica para pós-operatórios, com 16 leitos
- Área 3 – UTI clínica, com 15 leitos
- Área 4 – UTI clínica, com 14 leitos

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Confirmados dois casos de dengue autóctone em Porto Alegre

Moradores do bairro Jardim Carvalho já estão curados

Fonte: Site Zero Hora - 2 de junho de 2010.

A Secretaria Municipal da Saúde confirmou nesta manhã dois casos de dengue autóctone em Porto Alegre. A doença foi contraída por dois moradores do bairro Jardim Carvalho. Os pacientes já estão curados.

A dengue autóctone é aquela contraída dentro do próprio município. É a primeira vez que Porto Alegre tem transmissão interna da doença. Todos os outros casos registrados na Capital foram de moradores que contraíram dengue em viagens fora da cidade.

Plantão ZH: Envie PLANTAOZH para 46956 e receba diariamente no seu celular um resumo das principais notícias de Economia, Política, Esportes e Atualidades publicadas na zerohora.com. O custo por mensagem recebida é R$ 0,31 para todas operadoras.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Spaan recebe doação de leite da Abrasus

Fonte: ABRASUS.

A Sociedade Porto-Alegrense de Auxílio aos Necessitados (Spaan) foi beneficiada com 57 litros de leite, entregues pela Associação Brasileira de Usuários de Serviços e Planos de Saúde (Abrasus), no final de abril. A doação é resultado do 1º Ciclo de Palestras, promovido pela entidade no dia 25 de março, quando a Abrasus abriu suas portas para receber o psiquiatra e diretor do Sindicato Médico do RS (SIMERS), Bruno Costa, para falar sobre a Saúde Mental pelo SUS.

Foto: Júlio Barbosa

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Instituto de Cardiologia muda sistema de marcação de consultas para diminuir filas

Ontem, idosos chegaram a esperar mais de 11 horas para agendamento

Fonte: Site Zero Hora - 28 de abril de 2010.

O Instituto de Cardiologia acabou com as filas durante a madrugada para agendamento de consultas e exames pelo SUS. Após reclamações de pacientes ontem, quando centenas de pessoas ficaram várias horas esperando, a direção do hospital de Porto Alegre encontrou uma alernativa para amenizar o problema.

As senhas para marcação de consultas começaram a ser distribuidas à noite passada. Com isso, as pessoas não precisaram ficar esperando na fila. Com senha na mão, as puderam ir para casa e voltar no horário agendado para fazer a marcação de exames e consultas.

Quem veio do interior do Estado conseguiu acomodação no prédio do instituto.

Falta de informação provoca mais mortes por câncer de colo de útero

Levantamento do governo federal estima que 18 mil mulheres serão afetadas este ano

Fonte: Site Zero Hora - 27 de abril de 2010.

A desinformação é o maior obstáculo na luta contra o papilomavírus humano, o HPV. Além do câncer cervical, o HPV está associado a outros tumores malignos, como o anal, o de vagina, o de vulva e o de pênis e é responsável pelo surgimento de verrugas genitais, DST que registra 30 milhões de novos casos ao ano, em todo o mundo.

Estima-se que cerca de 5 mil brasileiras morram por ano devido ao desconhecimento dos sintomas e das formas de prevenção contra o HPV, afirmam especialistas. De acordo com um levantamento recente do governo federal, o número chegou a 4.812 mulheres mortas em 2008, vítimas do câncer de colo do útero – que, em 2010, deve afetar mais de 18 mil pessoas.

Há dois meses, dados da Organização Europeia de Pesquisa sobre Infecção Genital e Neoplasia, indicaram que existem, atualmente, 630 milhões de pessoas infectadas pelo HPV no mundo.

::: Como se prevenir

O preservativo e a vacina profilática são formas de proteção contra o HPV. Chamada de quadrivalente, por proteger contra os quatro tipos mais perigosos do vírus (6, 11, 16 e 18), a vacina tem eficácia de 99% no caso das verrugas genitais, e entre 96% a 99% para as lesões pré-cancerígenas no colo do útero.

No Brasil, o Sistema Único de Saúde não oferece a vacina contra HPV. O Ministério da Saúde criou um grupo de trabalho para analisar a inclusão da imunização na rede pública, mas, por enquanto, a recomendação é que sejam realizadas mais pesquisas.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Cientistas afirmam terem encontrado cura para o câncer de pele

Vacina testada por britânicos funciona em certos casos de melanoma

Fonte: Site Zero Hora - 11 de abril de 2010.

Uma vacina que está sendo testada no Reino Unido ajudou pacientes a se recuperarem completamente do câncer de pele, ainda que em estágios avançados. O tratamento ataca as células do turmo, deixando as células saudáveis sem danos, dizem os cientistas.

O médico Howard Kaufman, do Chicago's Rush University Medical Centre, disse que os estudos mostram uma "possível cura para alguns casos avançados de melanoma em pacientes" e com uma droga que traz reais benefícios.

– Isto irá salvar milhares de vidas por ano – afirmou.

Um estudo com 50 pacientes que tinham não mais que nove meses de vida, segundo os médicos, revelou que 16% dos casos se recuperaram completamente após a vacina. Eles já estão livres da doença há quatro anos.

A vacina deverá ser comercializada dentro dos próximos cinco anos.

Melanoma é o mais comum tipo de câncer entre jovens adultos de 15 a 34 anos no Reino Unido.

Com informações do Telegraph.

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Moradores de São Leopoldo protestam contra fechamento de posto de saúde

Liminar do Tribunal de Justiça determinou a exoneração de 428 funcionários municipais sem concurso público

Fonte: Site Zero Hora - 5 de abril de 2010.

A saída de funcionários sem concurso público vai prejudicar o atendimento da prefeitura de São Leopoldo, no Vale do Sinos, a partir de hoje. Uma liminar Tribunal de Justiça (TJ) determinou a exoneração de 428 CCs, além de 144 funções gratificadas.

Como não houve acordo, o prefeito Ary Vanazzi (PT) deve demitir esses funcionários. Com isso, ficarão desativadas as secretarias ligadas ao serviço social. As consultas médicas agendadas também estarão suspensas, além de todo o atendimento como concessão de alvarás e licenças ambientais.

Apenas escolas, o Hospital Centenário e os postos de saúde de emergência estarão funcionando. A prefeitura pretende reorganizar o quadro de servidores ainda nesta semana. Neste momento, cerca de 70 moradores protestam contra fechamento do posto de saúde do bairro Scharlau.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Sibutramina passa da tarja vermelha para a preta

Medicamentos com a substância serão mais controlados no Brasil

Fonte: Site Zero Hora - 1 de abril de 2010.

Vai ficar mais difícil comprar os medicamentos que contêm sibutramina. Uma resolução da Anvisa na terça-feira muda a tarja dos medicamentos de vermelha para preta. Eles eram vendidos com receita branca (de controle simples – C1) e, agora, passam a ser comercializados com a receita azul (de controle especial – B2).

Reductil, Plenty, Saciette, Biomag, Vazy, Slenfig, Sibutran e Sigran são alguns remédios que contêm a substância. Segundo o endocrinologista Márcio Mancini, presidente do Departamento de Obesidade da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Síndrome Metabólica, o consumo aumentou de 10 a 20 vezes depois que foi quebrada a patente do produto em 2007, ou seja, outras empresas foram liberadas a fabricar medicamentos com essa substância.

A decisão foi tomada pouco mais de dois meses depois de a Europa suspender a venda da substância, com base em um estudo que ligou o remédio ao maior risco cardíaco em pessoas propensas. As empresas detentoras de registro do medicamento terão 180 dias para mudar as bulas e as embalagens.

– A sibutramina foi colocada em uma nova categoria para evitar que prescrevam de maneira inadequada, pelo que foi publicado na Europa, em janeiro, que deixou de autorizar a prescrição e a comercialização por causa de um estudo que mostrou que os pacientes com alto risco cardiovascular pioravam tonando sibutramina – explicou o presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (Sbem) em SC, Alexandre Hohl.

No caso de medicamentos incluídos na lista B2, só pode ser prescrita uma caixa por receita. Para Hohl, isso pode dificulta o tratamento da obesidade, que é uma doença crônica, obrigando o paciente a retornar todos os meses para pegar nova receita.

SC lidera o ranking de maior uso

Santa Catarina é o maior consumidor de sibutramina, substância usada em medicamentos para emagrecer e que passou a ter um controle mais rígido desde terça-feira. Especialistas dizem que há duas hipóteses para justificar os dados divulgados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa ): ou os catarinenses são muito preocupados com a imagem ou há um abuso na prescrição do remédio.

As informações, relativas a 2009, são do primeiro relatório do Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados (SNGPC). Além da sibutramina, Santa Catarina está entre os que mais consomem anfepramona, femproporex e mazindol – anfetaminas usadas para emagrecer (veja infográficos ao lado).

Os númerosss são altos também porque há no Estado muitas farmácias e drogarias cadastradas no SNGPC. O estudo sugere um abuso na hora de prescrever a medicação. Entre os 10 médicos que mais receitam sibutramina, por exemplo, está um especialista em tráfego.

– O médico do tráfego avalia as condições dos pacientes que vão tentar uma carteira de motorista. Embora não seja proibido, não é coerente que um médico prescreva um medicamento que não está diretamente relacionado ao seu campo de atuação – explicou a farmacêutica Márcia Gonçalves, coordenadora do SNGPC.

Estética estimula o alto consumo

De acordo com o presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (Sbem) em Santa Catarina, Alexandre Hohl, o Estado não tem grandes problemas com a prescrição médica:

– Temos uma medicina consciente. Há um caso ou outro de maus prescritores. A maioria prescreve muito bem, até de outras especialidades.

Outra hipótese para o alto consumo do medicamento pode estar associada ao cuidado do catarinense com a imagem. Na Clínica Biocentro, em Florianópolis, cerca de 400 clientes procuram, todo mês, o endocrinologista Rodrigo Caldeira de Andrada Costa. O especialista calcula que de 30% a 35% estão interessados em emagrecer.

– Não sei por que Santa Catarina tem alto uso de medicamentos para emagrecer. Talvez porque a população esteja mais preocupada com a estética ou por ter um poder aquisitivo maior para fazer este tipo de tratamento – opinou.

A diretora Estadual de Vigilância Sanitária Raquel Bittencourt solicitou informações sobre os médicos, farmácias, drogarias e municípios que prescrevem o medicamento para planejar uma fiscalização. Os dados serão recebidos na semana que vem. Ela concorda com o endocrinologista Costa.

– Há muita prescrição do medicamento porque as pessoas estão muito preocupadas com a imagem.

A diretora lembra de um estudo para mostrar essa visão. Há quatro anos, uma pesquisa realizada em Florianópolis mostrou que quem menos receitava remédios para emagrecer eram os endocrinologistas, justamente o especialista no assunto.

Osteoporose precisa ser prevenida por mulheres a partir dos 40

Alimentação equilibrada e exercícios físicos previnem a doença

Fonte: Site Zero Hora - 1 de abril de 2010.

Nos próximos 15 anos, a população de idosos deverá dobrar de tamanho, saltando para 32 milhões de brasileiros. Com os avanços no diagnóstico e tratamento do câncer e das doenças do coração, a osteoporose se destaca como um mal silencioso que deve ser prevenido já a partir dos 40 anos, principalmente pelas mulheres.

De acordo com a doutora Maria Cecília Anauate, médica reumatologista do Hospital Santa Paula, de São Paulo, algumas das importantes recomendações para se preservar a saúde a partir da meia-idade são bastante úteis também na prevenção da osteoporose, como a prática regular de exercícios físicos e a adoção de uma alimentação balanceada.

– A atividade física regular eleva a densidade mineral óssea e diminui o risco de fraturas. Durante os exercícios, enquanto os músculos estão sendo contraídos, ocorrem também estímulos à formação óssea – diz a médica.

No idoso, os exercícios físicos não só reduzem a perda de massa óssea, como também auxiliam na prevenção de quedas, já que melhoram o equilíbrio, o padrão da marcha e a consciência espacial.

– Os exercícios de impacto e de fortalecimento muscular apresentam resultados mais positivos e devem ser realizados durante 30 minutos, pelo menos três vezes por semana.

A adoção de uma dieta balanceada também contribui para a manutenção e a renovação do tecido ósseo.

– Uma dieta ótima para prevenção e tratamento da osteoporose deve incluir ingestão adequada de calorias, cálcio e vitamina D. Todas as mulheres na pós-menopausa, por exemplo, devem consumir em torno de 1000 mg a 1500 mg de cálcio ao dia. De maneira simplificada, um  iogurte desnatado, um copo de leite, uma fatia e meia de queijo contêm cerca de 300 mg de cálcio cada. A suplementação de vitamina D também é recomendada, sendo muito importante a exposição regular ao sol para a síntese da vitamina D no organismo – diz a especialista.

A densitometria óssea continua sendo o método padrão-ouro para avaliar riscos de fratura. Cerca de 70% dos fatores de risco para osteoporose são fortemente influenciados pela genética. Mas os outros 30% estão relacionados a fatores ambientais e estilo de vida, podendo ser modificados.

– Como a doença é mais frequente em mulheres do que em homens, a população feminina pós-menopausa deve ser investigada sobre a existência de outros fatores de risco e situações que podem ser responsáveis por uma osteoporose secundária, como o uso de medicamentos corticóides, anticoagulantes, anticonvulsivantes, além de tabagismo, alcoolismo, risco elevado de quedas e sedentarismo – alerta a reumatologista.

Pesquisa diz que chimarrão pode reduzir taxa de colesterol e de triglicerídios

Biomédica de Novo Hamburgo defende os benefícios do mate

Fonte: Site Zero Hora - 1 de abril de 2010.

Apreciadores do chimarrão ganharam um novo argumento para defendê-lo na polêmica científica sobre os efeitos da bebida. Pesquisadores do Centro Universitário Feevale, de Novo Hamburgo, atestam que o mate, além de estimulante, faz bem ao coração.

O trabalho desenvolvido pela biomédica Rejane Giacomelli Tavares aponta que o uso de cem gramas de erva-mate por dia pode causar a diminuição de 29% nos níveis do colesterol e de 62% nos triglicerídios. Segundo a pesquisadora, quanto mais altos esses níveis, maior o risco de doenças cardíacas. A análise foi feita em ratos. Cobaias tratadas com um extrato semelhante ao chimarrão do gaúcho tiveram os indicadores reduzidos.

– Nós sabíamos que, quimicamente, a erva-mate é muito parecida com o chá verde que tem esses efeitos de diminuição. Queríamos saber se a erva-mate também tinha. Por terem uma semelhança química, elas poderiam mesmo ter essa relação – relata a pesquisadora.

Rejane considera a cultura gaúcha como um sinal de que a erva-mate funciona mesmo.

– O gaúcho, mesmo com o hábito da carne gorda do churrasco, não tem o índice tão alto de triglicerídios. Pode ter aí a influência do chimarrão – diz.

A pesquisadora alerta que para quem tem uma dieta normal o efeito pode não ser tão marcante. Ele foi feito direcionado a uma dieta específica. A eficácia também pode não ser a mesma para pacientes com altos índices de colesterol por disfunção genética e com uso controlado de medicação.

Com cuidado redobrado com a saúde após um susto em 2005, o comerciário Hélio Dirceu Fernandes, 62 anos, saúda os efeitos positivos da erva-mate que o acompanha a vida inteira.

– Tenho o chimarrão como um companheiro. Se apontam que ele é saudável, melhor ainda. Ele é meu vício. Se ele não me ajuda, pelo menos nunca me prejudicou – diverte-se.

Como foi o estudo

:: A análise foi feita em ratos de laboratório.

:: Durante um período de 30 dias, uma parte das cobaias consumiu uma dieta rica em gordura, açúcar e carboidrato, na base do chocolate, amendoim, bolacha e leite integral, misturada na ração padrão deles, enquanto um segundo grupo seguia sua alimentação normal.

:: Passados os 30 dias, os animais começaram a receber um extrato, via oral, semelhante ao chimarrão dos gaúchos, com erva-mate e água a uma temperatura de 70°C a 75°C.

:: Os animais foram tratados com extrato por 18 dias e em seguida tiveram as taxas de colesterol e triglicerídios medidas.

:: Quando chegou o resultado, os pesquisadores fizeram a constatação: os indicadores haviam diminuído.

terça-feira, 30 de março de 2010

Abrasus realiza 1º Ciclo de Palestras e homenageia ex-presidente

Fonte: ABRASUS - 29 de março de 2010.

O psiquiatra e diretor do Sindicato Médico do RS (SIMERS), Bruno Costa, abriu o 1º Ciclo de Palestras da Associação Brasileira de Usuários de Serviços e Planos de Saúde (Abrasus), realizado no último dia 25 março. Para uma sala lotada na sede da entidade, ele falou sobre “Assistência à Saúde Mental pelo SUS”, com falta de leitos e de incentivos. Cada participante entregou um litro de leite, que será doado a Sociedade Porto-Alegrense de Auxílio aos Necessitados (Spaan).

A tarde também foi de homenagens. A secretária-geral do Sindicato, Ana Maria Martins, entregou uma placa para a primeira presidente da Abrasus, Iara Trovão, destacando o trabalho pioneiro na luta para assegurar direitos previstos na Constituição à comunidade. A atual presidente da entidade, Carmem Lia Marino, reforçou a atuação da Abrasus, que hoje oferece apoio técnico e jurídico para pacientes buscarem medicamentos, cirurgias, consultas e exames que devem ser fornecidos pelo SUS.

quinta-feira, 25 de março de 2010

Estresse no ambiente de trabalho pode causar até diabetes

Estudo associa complicações de saúde decorrente de tensão laboral

Fonte: Site Zero Hora - 25 de março de 2010.

O estresse experimentado por pessoas em decorrência do seu trabalho pode aumentar o risco de doenças no coração e até diabetes. Segundo novo estudo publicado na revista científica British Medical Journal, é possível observar a relação entre o processo biológico e problema no ambiente laboral.

Mais de 10 mil trabalhadores com idades entre 35 e 55 anos foram acompanhados durante 14 anos para a coleta de dados. Nesse período, os pesquisadores avaliaram os fatores ligados à síndrome metabólica, tais como obesidade, pressão alta e níveis de colesterol. Também foram levados em conta eventuais hábitos comprovamente danosos à saúde, como fumo, sedentarismo e bebida alcólica.

O estudo relata que homens com estresse crônico decorrente do emprego eram duas vezes mais propensos a desenvolver a síndrome em comparação com pessoas que não sofriam esse mesmo estresse. Nas mulheres o número de ocorrências não foi tão alto

Em adição aos resultados sobre a saúde masculina, foi comprovado que os homens também tinham outros mais hábitos associados ao estresse, como dietas pobres em elementos necessários, além de tabagismo, álcool e outras drogas. Uma das explicações dadas no estudo é que a exposição contínua ao estresse no trabalho pode afetar o sistema nervoso.

Com informações do British Medical Journ

segunda-feira, 22 de março de 2010

Estados Unidos - Aprovação da reforma de saúde amplia plano estatal para 46 milhões de americanos

Debatido durante todo o dia e aprovado no final da noite de ontem por congressistas americanos, o polêmico projeto de reforma do sistema de acesso à saúde nos Estados Unidos reforça a presença do Estado em um setor que representa 16% do Produto Interno Bruto (PIB)

Fonte: Site Zero Hora - 22 de março de 2010.

Além de mudar o modo de acesso dos americanos à assistência médica, o projeto de reforma da saúde aprovado ontem pelo Congresso dos EUA marca uma alteração substancial do ponto de vista ideológico. O programa alinhavado pela administração de Barack Obama, que foi votado pouco antes da meia-noite, representa uma intervenção do governo em parte importante da vida e da economia americana – o que não é pouco para os padrões liberais dos EUA e deverá pautar as próximas eleições.

O gasto de todo o país em saúde, incluindo fontes governamentais e privadas, alcança US$ 2,3 trilhões – fatia de nada menos do que 16% do farto PIB americano. Apesar disso, um número estimado entre pouco mais de 30 milhões e 46 milhões de pessoas ainda não contava com qualquer forma de assistência médica garantida. Os sem-cobertura são formados por pessoas que não se enquadram nos principais programas governamentais – que se limitam a beneficiar idosos ou a camada mais pobre da população – e não têm dinheiro suficiente para custear um plano privado.

Mesmo assim, a proposta de Obama de criar um sistema praticamente universal, capaz de atender a até 97% da população ao longo dos próximos anos, é vista com desconfiança por opositores, parte da população e até de uma fração de seu próprio partido, o Democrata. Segundo um levantamento do Pew Research Center, 38% da população se disse favorável à reforma, enquanto 62% eram contra ou não souberam responder.

– É que o projeto de Barack Obama é uma intervenção do Estado, e os americanos não têm cultura de aceitar isso – avalia o professor de Relações Internacionais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Paulo Visentini.

Embora a polêmica possa parecer estranha para os brasileiros já acostumados à abrangência do Sistema Único de Saúde (SUS), que instaurou no país a universalização do atendimento gratuito, Visentini lembra que qualquer iniciativa subsidiada pelo governo soa como um alarme entre os americanos. Por isso, a reforma chegou a ser chamada de “socialista” por seus detratores, termo considerado pejorativo por amplos setores do país, por aumentar a presença estatal na economia.

A despeito da polêmica, a especialista em Relações Internacional da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) Miriam Saraiva diz que a iniciativa revela reversão histórica em relação ao “liberalismo arraigado” de presidentes como Ronald Reagan e a família Bush. Por isso, deverá pautar as eleições de novembro para o Congresso.

– Isso deverá ser explorado politicamente – avalia (leia entrevista ao lado).

No início da noite, os Democratas já haviam anunciado ter certeza da aprovação do programa. Em uma votação inicial sobre as regras do processo, venceram a oposição por 224 votos a 206 – o mínimo necessário era de 216 votos. Para ser definitivamente (oficialmente) aprovado, o projeto ainda será encaminhado para sanção da Casa Branca.

Entrevista: “Sinalização para o mundo”

Professora de Relações Internacionais da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), Miriam Saraiva acredita que a reforma da saúde proposta por Obama marca uma mudança no pensamento liberal hegemônico nos Estados Unidos – embora não signifique uma ruptura radical. Confira a entrevista concedida ontem à noite a ZH:

Zero Hora – Qual o impacto das mudanças na área da saúde na mentalidade dos americanos?

Miriam Saraiva – A mentalidade americana é muito liberal. Identifica qualquer intervenção na economia como afronta ao liberalismo.

ZH – Houve restrições até de outros democratas.

Miriam – Quando a proposta foi colocada em votação, teve restrição dos republicanos e de alguns democratas que a veem como um avanço demasiado. Embora, se formos comparar, é pouco intervencionista em relação ao SUS, por exemplo. Mesmo assim, causou problema. Mas o frisson vai passar.

ZH – A implantação do sistema pode acirrar a oposição a Obama?

Miriam – Acho que sim. Qualquer medida nova, que seja um desafio, está sujeita ao êxito ou ao fracasso. Se não for exitosa a princípio, abrirá espaço para muita crítica. Se o sistema não estiver consolidado, será um telhado de vidro para Obama na próxima eleição. Mas acho que terá uma recepção positiva entre a população devido ao grau de desamparo atual.

ZH – A mudança pode trazer reflexos para o resto do mundo?

Miriam – Acho que a mudança não vai deixar os Estados Unidos mais protetores do que muitos outros países já são, na América Latina ou na Europa, onde o bem-estar social é muito arraigado. Mas é uma espécie de sinalização para o mundo. Depois de um Reagan e dois Bush, que apontavam para o liberalismo como a melhor opção para tudo, agora se pensa mais em termos de bem-estar. Desmonta um pouco o discurso liberal, embora não desmonte o liberalismo na prática. Acredito que os Estados Unidos deixam de ser vistos como um exemplo exitoso do liberalismo nessa área.

Cerca de 40% das grávidas atendidas pelo SUS não fazem teste de HIV

Pelo menos 10,2 mil crianças brasileiras com até cinco anos estão com o vírus contraído da mãe

Fonte: Site Zero Hora - 22 de março de 2010.

Conforme o levantamento do Fundo Global de Luta contra Aids, 40% das grávidas atendidas pelo SUS não fazem teste para detectar o vírus HIV.

Atualmente, pelo menos 10,2 mil crianças brasileiras com até cinco anos estão com o vírus contraído da mãe. Nos últimos 15 anos, 3,7 mil crianças morreram por causa da doença no país.

terça-feira, 2 de março de 2010

Ministro da Saúde: "nós só vamos ficar tranquilos quando tivermos uma vacina"

Imunização contra dengue só deve começar em cinco anos

Fonte: Site Zero Hora - 2 de março de 2010.

Em visita a Porto Alegre na manhã desta terça-feira para conhecer o projeto para as obras do Hospital da Restinga, o ministro da Saúde José Gomes Temporão falou sobre o surto de dengue no Estado. Em entrevista ao Gaúcha Atualidade, na Rádio Gaúcha, Temporão disse que o surto não é surpresa para o governo e que só ficará tranquilo quando a população estiver imune à doença.

Temporão afirmou que a vacina contra a dengue ainda deve levar 5 anos para ficar pronta. As doses estão sendo desenvolvidas pela Fiocruz em parceria de um laboratório britânico.

- Sabemos que esta é uma doença difícil de combater. Temos que lançar mão do que nós temos de conhecimento hoje, que é o combate, mobilização, educação e formação - conclui o ministro.

A maioria das cidades afetadas já apareciam no levantamento do Índice de Infestação Predial de novembro do ano passado segundo Temporão. Ele lembrou que as altas temperaturas e o grande volume de chuvas que atingiram o Rio Grande do Sul contribuíram com surto:

- Com as altas temperaturas o ciclo do mosquito é reduzido pela metade. O que levaria 15, leva sete dias. Isso acelera a velocidade reprodução do vetor.

O ministro da Saúde visita ainda hoje o local da construção do Hospital da Restinga.

segunda-feira, 1 de março de 2010

Secretaria de Saúde confirma 519 casos de dengue em Ijuí

Anúncio foi feito por meio de nota

Fonte: Site Zero Hora - 1 de março de 2010.

O Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS), da Secretaria Estadual da Saúde, divulgou neste domingo um novo relatório sobre os casos de dengue em Ijuí. Segundo o estudo, já são 519 casos confirmados.

O número divulgado neste domingo, por meio de uma nota, é referente a um levantamento que está sendo feito desde o dia 22 de fevereiro.

Além disso, um caso de dengue hemorrágica já foi confirmado na cidade na última sexta-feira.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Confirmado caso de dengue hemorrágica em Ijuí

Paciente internada no Hospital da Unimed está fora de perigo, segundo médico responsável

Fonte: Site Zero Hora - 26 de fevereiro de 2010.

Foi confirmado na manhã de hoje o primeiro caso de dengue hemorrágica em Ijuí, no noroeste do Estado. Trata-se de uma mulher internada no Hospital da Unimed. A confrmação foi do médico Ricardo Pittas, que acompanha a paciente.

— É a primeira vez que esta paciente tem dengue. A doença evoluiu para dengue hemorrágica, mas ela não precisou ser transferida para a UTI, pois a fase crítica já passou. Ela tem apresentado melhoras e está fora de perigo. Os pacientes com dengue apresentam considerável queda das plaquetas, o que deixa  a pessoa debilitada e também pode ocasionar hemorragias, por isso o nome da doença — disse Pittas.

Segundo o gerente administrativo do hospital, Günter Melchiors, outra mulher, uma gestante de 27 anos, também está sendo monitorada, apesar de apresentar um quadro clínico mais estável.

O coordenador regional de saúde, Erlon Beck, e o médico do Ministério da Saúde, Rivaldo Venêncio da Cunha, que foi encaminhado a Ijuí para acompanhar ações contra a epidemia, visitaram a paciente no Unimed.

— Segundo Cunha, todos os indícios são realmente de dengue hemorrágica — afirma Beck.

De acordo com o diretor administrativo do Hospital de Caridade de Ijuí (HCI), Airton Buss Junior, o hospital tem 14 pessoas internadas com sintomas de dengue, mas nenhuma com suspeita de dengue hemorrágica. A Secretaria Municipal da Saúde ainda não foi notificada de nenhum caso suspeito de dengue hemorrágica na cidade.

Epidemia de dengue avança em oito Estados

Em São Paulo e Paraná, número de casos detectados neste ano já alcança o registrado em 2009

Fonte: Site Zero Hora - 26 de fevereiro de 2010.

O Ministério da Saúde promete para hoje a divulgação de um mapa completo da dengue no Brasil, mas as informações obtidas até o momento revelam uma preocupante escalada da doença. Em pelo menos seis Estados, a enfermidade atingiu o status de epidemia.

A explosão do número de doentes se deve sobretudo aos dias de calor intenso, só amenizados por chuvas constantes.

– Em períodos muito quentes e chuvosos, aumenta o número de criadouros do mosquito, em poças de água e nichos. E no calor, o mosquito Aedes aegypti se torna mais ativo. Associado às altas temperaturas, há um fator comportamental. Hoje em dia a movimentação de pessoas é muito grande, criando um cenário propício para o aumento dos casos – explica Jair Ferreira, epidemiologista do Hospital de Clínicas de Porto Alegre.

Seis Estados já integram a lista da epidemia de dengue: Acre, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Rondônia. Em São Paulo, a estimativa do governo estadual é de que os casos já passam de 7 mil neste ano – quase o número registrado em todo 2009. Em Mato Grosso do Sul, há 43 cidades com incidência considerada alta: maior do que 300 casos por 100 mil habitantes. No Paraná, já foram feitas 3 mil notificações da dengue neste ano, com 530 confirmações – em 2009, foram 893 casos confirmados o ano inteiro. A primeira morte do Estado, em Londrina, foi confirmada ontem – algo que não ocorria desde 2002. No Rio Grande do Sul, o Hospital de Caridade de Ijuí reservou ontem uma ala com 50 leitos a pacientes com suspeita de dengue. Onze dos leitos já estavam ocupados.

A possibilidade de o vírus dos casos registrados em Ijuí ser de uma tipagem diferente da do surto que atingiu Giruá em 2007 é outro fator preocupante, como mostra o exemplo do Paraná.

– Quando há mais de um tipo de vírus em circulação juntos, e no Paraná estão circulando os três, aumentam as chances de uma pessoa sofrer uma segunda infecção por uma cepa diferente de vírus e desenvolver a dengue hemorrágica, em que, de cada cinco casos, três resultam em óbito – diz o secretário estadual de Saúde, o médico sanitarista Gilberto Martin.

Ijuí destinou uma equipe só para atender doentes

Devido a tantos sinais de alerta, a estratégia escolhida pelas autoridades tem sido a de prevenir e tentar diagnosticar os casos com rapidez. Em Ijuí, o Hospital de Clínicas está com uma equipe destinada exclusivamente para o atendimento a pessoas com suspeita de dengue (60 profissionais se revezam 24 horas por dia). Mesmo assim, a orientação segue sendo para que os moradores com sintomas de dengue procurem primeiro as unidades básicas de saúde dos bairros, que contam com profissionais capacitados para identificar a doença.

A cidade gaúcha também se assustou com a temida dengue hemorrágica. Uma mulher de 61 anos foi examinada, mas a suspeita não foi confirmada. De acordo com o médico que está acompanhando a paciente, Celso da Silva Mello, tratava-se de caso da dengue clássica, e a paciente já havia apresentado melhora.

Ontem à tarde, a prefeitura pôde dar continuidade aos trabalhos com a chegada de mais inseticida. A área de aplicação do fumacê foi ampliada. Segundo o secretário municipal de Saúde, Claudiomiro Pezetta, 244 quarteirões da cidade receberão o veneno para eliminar o mosquito.

Municípios próximos a Ijuí também começaram ontem a adotar medidas de prevenção. Apesar de não ter registrado nenhum paciente com suspeita de dengue, Santiago, distante a 220 quilômetros do foco da contaminação, decretou alerta epidemiológico. Seis agentes de saúde monitoraram armadilhas espalhadas para pegar o mosquito em bairros da cidade.

*Colaborou Leila Endruweit 

Como Calae venceu a doença

Leandro Belles

O mecânico Adalberto Calae, 65 anos, foi um dos primeiros moradores de Giruá a ser contaminado com a dengue, no surto de 2007. Neste ano, o pequeno município, no noroeste do Estado, foi aterrorizado pela doença. Em poucas semanas, haviam mais de 230 casos suspeitos.

Ele recorda que acordou na madrugada de um domingo com fortes dores de cabeça e com febre alta. Levantou da cama e não dormiu mais. No final do dia, foi até um posto médico para procurar ajuda. Ele suspeitava que havia sido vítima da picada do mosquito.

– O médico me disse que era impossível, que não existia dengue no Rio Grande do Sul e muito menos em Giruá. Como já havia papo de que tinha o mosquito por aqui suspeitei – conta.

Medicado, Adalberto retornou para casa, mas não melhorou. Na segunda-feira, procurou outro médico que lhe repetiu a conversa do primeiro atendimento. Com febre ainda alta e dores no corpo, recebeu o diagnóstico de uma virose. Insatisfeito, pediu novamente que o teste da dengue fosse feito. A partir daí, começou a ser acompanhado pelo médico. Uma semana depois dos primeiros sintomas, quando seu estado de saúde havia melhorado, o resultado confirmou sua desconfiança: era dengue.

– Foi um susto, mas como já estava melhor, relaxei. Por sorte, ninguém da família pegou a doença – recorda.

Durante os sete dias em que esteve doente, o mecânico não foi ao trabalho e emagreceu quase 10 quilos. A mulher e seus dois filhos ficaram em prontidão para cuidar do pai.

O medo de contágio rondou a casa dos Calae por semanas. Agora, com a volta da doença na região, eles ajudam a prefeitura na vigilância de possíveis focos de dengue. Por já terem vivido o problema, querem evitar que a história se repita com outras famílias.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Prefeito de Ijuí decretará situação de alerta epidemiológico

Município tem sete casos confirmados de dengue e protagoniza ofensiva contra o mosquito

Fonte: Site Zero Hora - 23 de fevereiro de 2010.

O prefeito de Ijuí, Fioravante Ballin, vai decretar situação de alerta epidemiológico no município do noroeste do Estado ainda nesta manhã. Desde ontem, equipes da prefeitura deram início ao combate ao mosquito nas ruas do bairro São Paulo, considerado o foco da contaminação. Segundo Ballin, a situação está sob controle.

Ainda assim, o prefeito decidiu que encaminhará o decreto, que permite a contratação emergencial de técnicos e de materiais, sem a necessidade de concurso, agilizando o combate. Para hoje, estavam previstas novas nebulizações no bairro mais atingido e na área ao redor dele. Desde a noite de ontem, porém, chove sem parar no município, o que inviabiliza o trabalho.

Se o mau tempo continuar, nem as duas caminhonetes equipadas com nebulizadores enviadas ontem pelo governo do Estado poderão entrar em ação. Para a tarde de hoje, é esperada a chegada do secretário estadual da Saúde, Osmar Terra, ao município. Ele deve se reunir com o prefeito para reavaliar a estratégia contra a dengue, que deve passar a contar com o apoio do Exército.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Casos de dengue em Ijuí acendem alerta no Estado

Foram confirmados por laboratório do Estado sete casos da doença, que não era contraída em território gaúcho desde 2007

Fonte: Site Zero Hora - 22 de fevereiro de 2010.
Começa hoje uma força-tarefa que tentará deter um surto de dengue em Ijuí. De 11 casos suspeitos analisados pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), sete foram confirmados.
 
O Rio Grande do Sul não registrava casos autóctones – que se originaram no Estado – desde 2007 quando houve um situação similar em Giruá, na região Norte.
 
Os resultados dos exames são preliminares, mas o secretário estadual de saúde, Osmar Terra, classificou o caso como surto epidêmico. O Ministério da Saúde já foi notificado. Na luta para evitar a propagação da doença, bombas costais e unidades de pulverização pesada serão encaminhadas ao município, além de 20 técnicos da secretaria. O objetivo é mapear a situação e iniciar a ação contra o mosquito transmissor da enfermidade, o Aedes aegypt.
 
Em 2007, quando houve o surto em Giruá, somaram-se 268 casos autóctones no Rio Grande do Sul. Em 2008 e 2009 não foram registrados nenhum. Na terça-feira, Terra reúnirá em Porto Alegre prefeitos e secretários das 53 municípios em que há foco do mosquito para estabelecer medidas preventivas.
 
A força-tarefa deve ser semelhante à de Giruá, somando ações da prefeitura, Defesa Civil, Brigada Militar e Secretaria Estadual de Saúde. Segundo o secretário, todas as casas deverão ser visitadas e dedetizadas por agentes. A limpeza urbana deve ser intensificada e serão instaladas armadilhas para o mosquito nas BRs e próximo a postos de gasolina. As armadilhas, pneus com água constantemente analisados pelas equipes de prevenção, pretendem controlar a chegada do mosquito a regiões vizinhas. Segundo Terra, é comum a transmissão para as cidades ocorrer por meio dos veículos que circulam nas estradas.
 
O resultado dos exames definitivos, feitos no Laboratório Adolfo Lutz em São Paulo, deve sair apenas amanhã. No entanto, Terra acredita que o surto pode ser maior do que o de 2007.
 
– É um alerta para o Estado – diz o secretário.
 
Os municípios que têm ou tiveram foco do mosquito nos últimos 12 meses também terão ações preventivas. Para Terra, a preocupação deve ser maior nessas cidades e na região Noroeste. O Ministério da Saúde confirmou no último dia 18 que cinco Estados estão em situação de epidemia de dengue. São eles: Acre, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Roraima.
 
Os doentes se recuperam em casa.
Entrevista: “Esse surto deve ser maior”
 
Em abril de 2007, um surto de dengue em Giruá, região Norte, assustou o Rio Grande do Sul. Na entrevista a seguir, o secretário estadual da Saúde, Osmar Terra, conta que atitudes foram tomadas na época e quais são as perspectivas para o surto na cidade de Ijuí.
 
Zero Hora – Como foi combatido o surto que ocorreu em abril de 2007 no município de Giruá?
 
Osmar Terra – Foi feita uma força-tarefa entre o Estado, Giruá e os municípios da região afetada. Várias áreas estavam envolvidas, a Brigada Militar, a Defesa Civil e uma equipe da Secretaria de Saúde, incluindo agentes de saúde da família. Foi um grande mutirão. A prefeitura mobilizou toda a infraestrutura necessária, principalmente para a limpeza urbana, que é muito importante. O foco do mosquito, na maioria das vezes, se dá no lixo que fica nas ruas e nos quintais. Em alguns casos, é preciso aterrar locais alagados, além de reforçar o cuidado nos cemitérios, nas borracharias e nos ferros-velhos. Com uma autorização de um juiz da cidade, também se conseguiu entrar nas casas que estavam fechadas para realizar a limpeza e a dedetização. Foi um grande esforço coletivo.
 
Zero Hora – O que deve ser feito em Ijuí?
 
Terra – Conversei com o prefeito, e ele deve coordenar em nível local. Deve-se mobilizar todas as secretarias do município mais a Defesa Civil. Está havendo uma conjugação de forças para ajudar. Espera-se fazer outro grande mutirão com a participação dos municípios vizinhos. Haverá também divulgação na TV e no rádio. É importante salientar que, diferentemente da gripe A, que passa de pessoa para pessoa, a dengue precisa do mosquito. Deve-se colocar armadilhas nas BRs e próximo a postos de gasolina para detectar se o mosquito está indo de uma cidade a outra ou não. O mais importante é fazer um grande esforço e logo, por isso não esperamos os exames definitivos. Quanto mais cedo começar, mais cedo o risco termina.
 
Zero Hora – Quais são as expectativas desse surto em relação ao que aconteceu em Giruá em 2007?
 
Terra – Acredito que esse surto deva ser maior porque a população é superior. Em Giruá, eram cerca de 20 mil habitantes e em Ijuí são quase 100 mil. A cidade também tem uma economia mais ativa, o que pode colaborar para propagar o surto de forma mais rápida. É preciso maior empenho.
 
Zero Hora – Em 2007, acreditava-se que a proximidade com a Argentina poderia explicar o surto. Quais seriam os motivos agora?
 
Terra – Sempre que acontece um surto grande de dengue em Mato Grosso do Sul (como está ocorrendo agora), há interferência aqui. Isso se explica pelo fato de que grande parte daquele Estado foi colonizado pela população do noroeste do Rio Grande do Sul. Em 2007, o surto ocorreu depois da Semana Santa, agora depois do Carnaval. As férias e os feriados aumentam o risco, porque o intercâmbio entre as famílias permanece ativo.
A diferença
 
- Epidemia – Quando uma doença infecciosa e transmissível ocorre em uma comunidade ou região e pode se espalhar rapidamente entre as pessoas de outras regiões
 
- Surto – epidemia restrita a um espaço extremamente delimitado: quartel, colégio, bairro ou pequeno município.
 
- Pandemia – É uma epidemia que atinge grandes proporções, podendo se espalhar por um ou mais continentes ou por todo o mundo, causando inúmeras mortes ou destruindo cidades e regiões inteiras.
 
Dezenas de moradores procuram hospital
Mesmo antes da confirmação dos casos de dengue em Ijuí, a possibilidade de um surto da doença já vinha preocupando a população. No fim de semana, foi intensa a procura por atendimento no Hospital de Caridade de pessoas com sintomas semelhantes aos da enfermidade – febre, vômitos, dores no corpo e erupções cutâneas. Segundo o coordenador regional de Saúde, Erlon Beck, mais de 150 pessoas procuraram atendimento desde a noite de sexta-feira.
 
No sábado, equipes da vigilância epidemiológica de Ijuí fizeram buscas minuciosas por focos do mosquito em dois bairros do município – São Paulo e Progresso – onde reside grande parte das pessoas com suspeita de dengue. Foram encontradas larvas nos dois locais, mas ainda não há confirmação que sejam do mosquito transmissor da doença. O resultado dos exames deve ser divulgado hoje.

Prefeitura se mobiliza para caçar mosquito

Hoje pela manhã, deverão ser colocados em prática os planos para controle da disseminação da doença. O secretário municipal de Saúde, Claudiomiro Pezzetta, disse que já mobilizou as equipes.
 
– Serão duas frentes de ação. Vamos em busca do extermínio dos mosquitos, que transmitem a doença. A outra ação será a limpeza da cidade, sobretudo dos lugares com possíveis focos da dengue. Já contatei com a Secretaria de Obras, que irá ajudar nessa demanda.
 
De acordo com Pezzetta, para desafogar os plantões dos hospitais de Ijuí, a prefeitura vai oferecer uma equipe em um posto de saúde no centro da cidade para atender as pessoas com sintomas parecidos com os da dengue.
 
Hoje pela manhã, uma reunião da Coordenadoria Regional de Saúde com representantes da prefeitura deverá definir qual será esse local e o horário de atendimento da população.

Postagens Populares

Arquivo do blog

Vídeos da Abrasus

Loading...

3º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2012

Abaixo, fotos do 3º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2012.



PALESTRA "TUBERCULOSE, CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS"

PALESTRA "TUBERCULOSE, CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS"

PALESTRA "FRATERNIDADE E SAÚDE PÚBLICA"

PALESTRA "FRATERNIDADE E SAÚDE PÚBLICA"

2º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2011

Abaixo, fotos do 2º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2011.

PALESTRA "CÂNCER DE MAMA: PREVENÇÃO, TRATAMENTOS E DEPOIMENTOS"

PALESTRA "CÂNCER DE MAMA: PREVENÇÃO, TRATAMENTOS E DEPOIMENTOS"

PALESTRA "FRAGILIDADE NA TERCEIRA IDADE"

PALESTRA "FRAGILIDADE NA TERCEIRA IDADE"

PALESTRA “DIABETE E SEXUALIDADE”

PALESTRA “DIABETE E SEXUALIDADE”
Evento realizado em 27 de outubro de 2011.

PALESTRA "CENTROS DE REFERÊNCIAS PARA DOENÇAS REUMATOLÓGICAS NO SISTEMA PÚBLICO"

PALESTRA "CENTROS DE REFERÊNCIAS PARA DOENÇAS REUMATOLÓGICAS NO SISTEMA PÚBLICO"
Evento realizado em 28 de setembro de 2011.

PALESTRA “HEPATITES”

PALESTRA “HEPATITES”
Evento realizado em 17 de junho de 2011.

Palestra "A Importância do Exercício Físico Para a Qualidade de Vida"

Palestra "A Importância do Exercício Físico Para a Qualidade de Vida"
Evento realizado em 7 de abril de 2011.

1º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2009-2010

Abaixo, fotos do 1º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2009-2010.

Palestra ABRASUS - O que "É" e O que "FAZ"

Palestra ABRASUS - O que "É" e O que "FAZ"
Último evento do 1º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2009-2010, realizado em 25 de novembro de 2010.

Palestra "Atribuições da Defensoria Pública da União"

Palestra "Atribuições da Defensoria Pública da União"
Evento realizado em 30 de setembro de 2010.

Palestra "Fumo: As Razões da Abstinência"

Palestra "Fumo: As Razões da Abstinência"
Evento realizado em 5 de agosto de 2010.

Palestra "Proteja-se Contra o Câncer"

Palestra "Proteja-se Contra o Câncer"
Evento realizado em 27 de maio de 2010.

Palestra "Assistência à Saúde Mental Pelo SUS"

Palestra "Assistência à Saúde Mental Pelo SUS"
Evento realizado em 25 de março de 2010.

Palestra "Cuidadores de Idosos"

Palestra "Cuidadores de Idosos"
Evento realizado em 19 de novembro de 2009.

Mais Eventos

Abaixo, fotos de outros eventos realizados pela Abrasus e eventos que contaram com a participação da Entidade.

ABRASUS em nova sede

ABRASUS em nova sede
Evento realizado em 25 de maio de 2009.

Iara Trovão - Presidente à época - apresentando a Associação.

Entrevista com o Vereador Reginaldo Pujol.

Entrevista com Ivo Fortes - Conselheiro Suplente da ABRASUS.

ABRASUS vai a Natal - RN em dez/2008

ABRASUS vai a Natal - RN em dez/2008
Reunião com Associações congêneres no Hospital Psquiátrico Prof. Severino Lopes.

Iara Trovão - Presidente à época - apresentando a Abrasus.

Público que prestigiou o evento.

Dra. Rosane Rempel apresentando o Jurídico da Abrasus.

Presidente do Sindisaúde de Natal comentando sobre o evento.