quinta-feira, 12 de abril de 2012

Número de fumantes segue em queda no Brasil

Pela primeira vez, o percentual de fumantes está abaixo dos 15%.

Fonte: Site Ministério da Saúde - 12 de abril de 2012.

O número de fumantes permanece em queda no Brasil. É o que revela a pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel 2011), realizado pelo Ministério da Saúde. Segundo a pesquisa, de 2006 a 2011, o percentual de fumantes passou de 16,2% para 14,8%. A incidência de homens fumantes no período 2006-2011 diminuiu a uma taxa média de 0,6 % ao ano, segundo o Vigitel 2011.

A frequência é menos da metade do índice de 1989, quando a Pesquisa Nacional de Saúde e Nutrição (PNSN), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontou 34,8% de fumantes na população. “Os dados mostram que nossas políticas públicas contribuíram efetivamente nessa redução. Hoje temos mais ex-fumantes do que fumantes no País, mas é preciso continuar reforçando a luta pelo tabagismo. Queremos reduzir essa proporção com as medidas restritivas, como a proibição de fumódromos em recintos coletivos fechados, a restrição dos aditivos de cigarro que alteram sabor e odor, que vão reduzir o tabagismo no grupo de jovens e de mulheres, a proibição de propaganda nos pontos de venda, e o aumento da tributação sobre cigarros”, explicou o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

HOMENS FUMAM CADA VEZ MENOS – A frequência de fumantes continua maior em homens (18,1%) do que entre as mulheres (12%). Porém, é a população masculina quem também lidera a redução do hábito de fumar entre os brasileiros: um quarto dos homens declarou ter abandonado o cigarro (25%).

A tendência de queda do consumo do tabaco em homens foi constatada em todas as faixas etárias e independentemente do grau de escolaridade. Essa redução resultou na queda da prevalência do fumo na população geral. Além disso, o baixo número de fumantes entre os jovens de 18 e 24 anos: 12,5%, porcentagem inferior à média nacional. Além disso, o Vigitel 2011 também apontou que 11,3% desses jovens param de fumar antes de completar 25 anos.

A quantidade de pessoas que largam o vício aumenta com o avançar da idade. A frequência de ex-fumantes é quase cinco vezes maior para homens maiores de 65 anos (52,6%). Entre as mulheres, a maior queda é sentida na faixa etária dos 55 aos 64 anos, atingindo 30% da população feminina.

Outro bom motivo para comemorar é a diminuição dos homens que fumam mais de 20 cigarros por dia, o chamado fumo pesado. A proporção passou de 6,3% para 5,4% nos últimos seis anos. Ações de combate ao tabaco estão entre as prioridades do Governo Federal.

Uma série de medidas para reduzir a atratividade do cigarro vem sendo liderada pelo Ministério da Saúde. Dentre elas, destacam-se a proibição de publicidade do tabaco, a adesão à Convenção-Quadro do Controle do Tabaco de 2005, aumento das alíquotas dos impostos para 85%, proibição de fumódromos e a ampliação do espaço reservado às advertências sobre os efeitos danosos do fumo nos maços. Recentemente, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu os aditivos do cigarro.

FUMO PASSIVO – O Vigitel 2011 apontou que 11,8% dos brasileiros não-fumantes moram com pelo menos uma pessoa que fuma dentro de casa. Além disso, 12,2% das pessoas que não fumam convivem com algum colega fumante no local de trabalho.

São as mulheres (13,3%) e os adultos entre 18 e 24 anos (17,7%) quem mais sofrem com o fumo passivo dentro de casa. Já no trabalho, a frequência de homens atingidos pelo fumo passivo (17,8%) é mais que duas vezes superior à registrada entre as mulheres (7,4%). Homens menos escolarizados (até oito anos de estudo) são as principais vítimas do cigarro alheio no ambiente de trabalho (20,9%), percentual bem superior se comparado àqueles com mais de 12 anos de estudo (8,9%).

Para o ministro, a Lei Antifumo sancionada pela presidenta Dilma Rousseff vai contribuir para a redução do fumo passivo no ambiente de trabalho. “O resultado do Vigitel só reforça a importância de investir em políticas públicas mais restritivas ao tabaco. O ambiente de trabalho também é um espaço público, portanto deve ser livre do cigarro”, afirmou Padilha. O SUS gasta cerca de R$ 19 milhões por ano com diagnóstico e tratamento de doenças causadas pelo tabagismo passivo.

De acordo como o Instituto Nacional do Câncer (INCA), pelo menos 2,6 mil não fumantes morrem no Brasil por ano devido a doenças provocadas pelo tabagismo passivo. Pessoas que não fumam, mas são expostas à fumaça do cigarro têm 30% mais chance de desenvolver câncer de pulmão e 24% a mais de sofrer infarto e doenças cardiovasculares.

INFORMAÇÃO COMO ALIADA NO COMBATE AO TABAGISMO – Quanto mais informação, menor a chance da pessoa se iniciar no vício de fumar. O percentual de fumantes com menor escolaridade (0 a 8 anos de estudo) é de 18,8%, quase o dobro em relação às pessoas mais escolarizadas (12 anos ou mais), que atinge 10,3%. O Ministério da Saúde também investe em ações educativas. O Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento de Doenças Crônicas não transmissíveis prevê o fortalecimento do Programa Saúde na Escola, voltado para prevenção e redução do uso do álcool e tabaco entre crianças e adolescentes.

Postagens Populares

Arquivo do blog

Vídeos da Abrasus

Loading...

3º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2012

Abaixo, fotos do 3º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2012.



PALESTRA "TUBERCULOSE, CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS"

PALESTRA "TUBERCULOSE, CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS"

PALESTRA "FRATERNIDADE E SAÚDE PÚBLICA"

PALESTRA "FRATERNIDADE E SAÚDE PÚBLICA"

2º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2011

Abaixo, fotos do 2º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2011.

PALESTRA "CÂNCER DE MAMA: PREVENÇÃO, TRATAMENTOS E DEPOIMENTOS"

PALESTRA "CÂNCER DE MAMA: PREVENÇÃO, TRATAMENTOS E DEPOIMENTOS"

PALESTRA "FRAGILIDADE NA TERCEIRA IDADE"

PALESTRA "FRAGILIDADE NA TERCEIRA IDADE"

PALESTRA “DIABETE E SEXUALIDADE”

PALESTRA “DIABETE E SEXUALIDADE”
Evento realizado em 27 de outubro de 2011.

PALESTRA "CENTROS DE REFERÊNCIAS PARA DOENÇAS REUMATOLÓGICAS NO SISTEMA PÚBLICO"

PALESTRA "CENTROS DE REFERÊNCIAS PARA DOENÇAS REUMATOLÓGICAS NO SISTEMA PÚBLICO"
Evento realizado em 28 de setembro de 2011.

PALESTRA “HEPATITES”

PALESTRA “HEPATITES”
Evento realizado em 17 de junho de 2011.

Palestra "A Importância do Exercício Físico Para a Qualidade de Vida"

Palestra "A Importância do Exercício Físico Para a Qualidade de Vida"
Evento realizado em 7 de abril de 2011.

1º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2009-2010

Abaixo, fotos do 1º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2009-2010.

Palestra ABRASUS - O que "É" e O que "FAZ"

Palestra ABRASUS - O que "É" e O que "FAZ"
Último evento do 1º Ciclo de Palestras da ABRASUS 2009-2010, realizado em 25 de novembro de 2010.

Palestra "Atribuições da Defensoria Pública da União"

Palestra "Atribuições da Defensoria Pública da União"
Evento realizado em 30 de setembro de 2010.

Palestra "Fumo: As Razões da Abstinência"

Palestra "Fumo: As Razões da Abstinência"
Evento realizado em 5 de agosto de 2010.

Palestra "Proteja-se Contra o Câncer"

Palestra "Proteja-se Contra o Câncer"
Evento realizado em 27 de maio de 2010.

Palestra "Assistência à Saúde Mental Pelo SUS"

Palestra "Assistência à Saúde Mental Pelo SUS"
Evento realizado em 25 de março de 2010.

Palestra "Cuidadores de Idosos"

Palestra "Cuidadores de Idosos"
Evento realizado em 19 de novembro de 2009.

Mais Eventos

Abaixo, fotos de outros eventos realizados pela Abrasus e eventos que contaram com a participação da Entidade.

ABRASUS em nova sede

ABRASUS em nova sede
Evento realizado em 25 de maio de 2009.

Iara Trovão - Presidente à época - apresentando a Associação.

Entrevista com o Vereador Reginaldo Pujol.

Entrevista com Ivo Fortes - Conselheiro Suplente da ABRASUS.

ABRASUS vai a Natal - RN em dez/2008

ABRASUS vai a Natal - RN em dez/2008
Reunião com Associações congêneres no Hospital Psquiátrico Prof. Severino Lopes.

Iara Trovão - Presidente à época - apresentando a Abrasus.

Público que prestigiou o evento.

Dra. Rosane Rempel apresentando o Jurídico da Abrasus.

Presidente do Sindisaúde de Natal comentando sobre o evento.